23 felinos mais extraordinários e curiosos do mundo

Quando ouvimos falar em felinos é comum que nossa imaginação nos remeta, imediatamente, aos gatinhos domésticos, que fazem o maior sucesso em vídeos fofinhos na internet. Mas, o que muita gente se esquece é que os grandes predadores, como os leões, os tigres, as panteras e assim por diante também são felinos.

E, embora esses outros espécimes não sejam nada adoráveis quanto o gatinho que brinca com a bolinha de lã em nossos lares, a verdade é que eles são extremamente interessantes. Na lista de hoje, aliás, você vai perceber o quanto é possível aprender sobre eles.

Como você vai ver, com tantas habilidades e com o espírito extremamente arisco, fica fácil entender como os felinos chegaram tão imponentes nos dias de hoje, mesmo que seus primeiros ancestrais tenham surgido há cerca de 40 milhões de anos, durante o Eoceno.

Veja 12 felinos mais extraordinários e curiosos do mundo:

1. Tigre

Embora os leões tenham a fama de “reis”, os tigres são bem mais imponentes e são considerados os maiores felinos do mundo. O problema é que, aparentemente, eles perdem com relação aos níveis de agressividade. Mas, claro, isso está longo de significar que eles são dóceis.

Comparados aos leões, por exemplo, eles são mais “legais” entre si. Por exemplo, se dois tigres se encontram em uma caçada, ao invés de lutares até a morte, como os leões; eles dividem a presa. Se em grupo, mesmo sendo uma situação bem rara, eles permitem que os filhotes e as fêmeas se alimentem primeiro, coisa que os leões não fazem.

Os tigres são típicos da Ásia, especialmente de territórios como o da Rússia, da China, do Camboja, de Laos, da Malásia, de Myanmar, da Tailândia, da Índia, de Bagladesh e do Vietnã. Entretanto, três espécies já não existem mais: tigre-de-bali, tigre-de-java e tigre-do-cáspio.

2. Leão

Extremamente dominadores, agressivos e destemidos, os leões fazem jus ao título de “reis da selva”. Atualmente, eles são encontrados na África subsaariana e na Ásia, com apenas uma população (já em riscos de extinção) na Índia.

Conforme historiadores, há aproximadamente 10 mil anos, eles era a espécie de mamíferos terrestres mais difundidas sobre a Terra, logo depois dos humanos. A maior parte deles se concentrava na África, mas também estavam bastante presentes em outros territórios, como Eurásia e América.

Os leões, aliás, são os segundo maiores felinos do mundo.

3. Lince-ibérico

Típicos da Península Ibérica, os linces são considerados os felinos mais ameaçados de extinção no mundo. E, apesar da aparência fofinha e desajeitada, por causa da cabeça menor que o corpo, eles contam com membros robustos e com unhas mortais, que eles podem recolher completamente quando querem.

O território onde vivem combina regiões cheias de arbustos, que permitem que ele se abrigue; mesclada também com grandes clareiras, o que dá a eles chances de conseguir alimento.

4. Onça-pintada

O continente Americano, por sua vez, conta com um dos maiores felinos do mundo, o terceiro aliás: a onça-pintada. Ela é encontrada desde o sul dos Estados Unidos até o norte da Argentina e, claro, no Brasil, em especial nas regiões do Pantanal, da Amazônia e do Cerrado.

Mas, mesmo estando atrás do leão quanto ao porte, esse é um dos felinos mais mortais do mundo. A mandíbula da onça-pintada é tão forte que é capaz de quebrar até mesmo cascos de tartarugas. Sua mordida, inclusive, é considerada mais poderosa que a do leão.

5. Leopardo-das-neves

O quarto maior do mundo entre os felinos são os leopardos-da-neve. Típicos da Ásia Central, esses felinos de pelo cinza e manchas negras têm hábitos solitários e são considerados em risco de extinção desde 1986, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUNC). Esse conjunto de fatores, aliás, faz com que seja raríssimo ver o leopardo-das-neves.

6. Guepardo

Típico da savana africana, o guepardo ou chita, como também é chamado; é considerado um dos felinos mais rápidos do mundo. Com seu porte esbelto e proporções aerodinâmicas, eles conseguem alcançar 100 quilômetros por hora em disparada.

Mas, ao contrário do que as pessoas pensam, eles não correm grandes distâncias. Eles também são mais fracos que outros felinos que vivem na mesma região, como os leões e até mesmo as hienas, e não costumam entrar em brigas por alimento com eles.

7. Gato-de-pallas

Estes, sem dúvida, são um dos felinos de aparência mais adorável da lista. No entanto, eles são selvagens e vivem na Ásia Central, especialmente em países como Mongólia e Rússia.

O que torna esses bichos interessantes, além da raridade, é que eles são a espécie de felinos mais antiga vivendo na Terra. Especialistas afirmam que eles são um dos primeiros felinos modernos a evoluir do Pseudaelurus, um tipo de gato pré-histórico que deu origem ao tigre-dente-de-sabre.

8. Suçuarana

Também chamados de puma, onça-parda, onça-vermelha, leão-baio, leão-da-montanha e pantera, esses felinos são nativos das Américas.

Uma curiosidade sobre eles é que suas caçadas são quase sempre marcadas por emboscadas. Aliás é muito comum encontrar as suçuaranas no alto de árvores.

9. Gato-vermelho-de-bornéu

Também considerados um dos felinos mais raros do mundo, eles também levam fama de extremamente esquivos. Típicos da Malásia, eles são tão raros de se ver que tudo que se sabe sobre a espécie até hoje foi deduzido com base em apenas 12 espécimes capturados desde 1855, quando os gatos-vermelhos-de-bornéu foram descobertos.

Pelo que se sabe, não há subespécie desses felinos e eles estão em perigo crítico de extinção, baseado nas chances incrivelmente remotas de serem avistados na natureza.

10. Selval

Típicos da África subsaariana, os servais vivem em áreas pouco arborizadas, próximo a água. Eles são parentes próximos do leão e do guepardo e, apesar de pequenos, conseguem dar grandes saltos de até 3 metros para apanhar uma ave em voo, por exemplo.

Mas, mesmo não domesticados, esse felinos são incrivelmente dóceis e costuma ser tratados como animais de estimação em alguns países africanos. No entanto, o convívio direto com o ser humano e o acesso a outro alimentos que não a carne crua é prejudicial para os selvais, que costuma adoecer com facilidade nessas condições.

11. Jaguarundi

Conhecidos também como gato-mourisco, eirá, gato-preto e maracajá-preto, esses felinos, embora pouco conhecidos, são encontrados desde os Estados Unidos até a Argentina.

Esses são felinos que menos se parecem com os gatos domésticos. Sua aparência é mais parecida, aliás, com as lontras, devido à cara arredondada. Isso justifica outro de seus nomes comuns: gato-lontra.

12. Gato-do-deserto

Considerado o menor dos felinos, esse gatinho, quando adulto, não ultrapassa os 50 centímetros de comprimento, mais 30 centímetros de cauda. Os machos maiores pesam, no máximo, 3,5 kg.

Bem adaptado ao deserto, eles são facilmente encontrados no Saara, na Arábia, no Iran, Afeganistão, no Turcomenistão e no Paquistão.

Um dos traços mais marcantes deses gatos é a cabeça larga e as grandes orelhas, que melhoram a audição desses animais e evitam a perda de excesso de calor. Ao contrário da maioria dos felinos, a planta dos pés dos gatos-do-deserto são totalmente cobertas de pele para protegê-los do contato direto das areias ardentes.

13. Lince-do-canadá

Apesar do nome, esse lince também é encontrado em algumas partes dos Estados Unidos. Quando adultos, eles variam entre 67 e 107 centímetros de comprimento e pesam entre 5 e 17 quilos, sendo que os machos costumam ser maiores e mais pesados que as fêmeas.

14. Gato-bravo-de-patas-negras

Entre os menores felinos do mundo, ao lado do gato-do-deserto, eles vivem pelos desertos da África e da Ásia, especialmente nos desertos do Saara e Arábico.

Quando adultos, eles costumam chegar a 25 centímetros de altura e não passam de 43 centímetros de comprimento. Os machos costumam pesar menos de 2 kg, enquanto as fêmeas pesam cerca de 1,3 kg.

15. Lince-do-deserto

Também conhecido como Caracal, esse é um dos felinos típicos da África e da Ásia Menor e costumam lembrar, realmente, a aparência de um lince, gato selvagem parente próximo do serval.

Quando adultos, eles costumam medir 76 centímetros e pesar aproximadamente 12 kg.

Apesar de ser selvagem, o caracal costuma ser tratado como animal doméstico por indianos e iranianos, sendo treinados para caçar por eles.

16. Leopardo-nebuloso

Típico do Nepal, da Índia e da China, esses felinos costumam medir entre 60 e 110 centímetros e pesam entre 11,5 e 23 quilos. O nome da espécie, segundo especialistas, vem das manchas em suas pelagens, com grandes elipses irregulares e de bordas escuras, consideradas em formato nebuloso.

Uma outra curiosidade da espécie é que esses animais têm os caninos mais longos proporcionalmente ao tamanho.

17. Gato-dos-pampas

Típico do território que vai do Peru à Argentina, e também de parte do Brasil, esses gatos vivem em áreas abertas, providas de capins altos. Eles são felinos pequenos, que medem de 60 centímetros a 1 metro de comprimento e pesam de 1,7 kg a 6,4 kg.

Embora sejam bem parecidos com os gatos domésticos, eles são selvagens e se alimentam de pequenos roedores e de aves terrestres. Eles estão ameaçados de extinção devido a caça e ao comércio de pele.

18. Gato-leopardo

Encontrados no Sudeste asiático e no subcontinente indiano, esses felinos contam com 11 subespécies, distribuídas pelo mundo. Embora sejam de gêneros diferentes, o nome “gato-leopardo” é inspirado no próprio leopardo, por suas manchas serem bem parecidas.

Esses felinos são, basicamente, do tamanho de um gato doméstico. Em média, eles têm 45 centímetros de comprimento, 20 centímetros de calda e pesam entre 6 kg e 7 kg.

19. Gato-pescador

Típicos da Indochina, da Índia, do Paquistão, do Sri Lanka, da Sumatra e de Java, esses felinos são encontrados em regiões pantanosas, mas também já foram encontrados vivendo em áreas verdes e em floresta tropical seca.

Sobre o nome que recebem, não é à toa. Eles realmente são ótimos mergulhadores e os peixes realmente são a base da alimentação desses felinos, bem como outros bichos aquáticos, como rãs e lagostas; e pequenos roedores e aves.

20. Gato-chileno

Considerado o menor dos felinos das Américas, eles são típicos da Cordilheira dos Andes. Eles são animais extremamente raros e esquivos e pesam entre 2 kg e 2,5 kg, com comprimento de 42 a 51 centímetros de altura e 25 centímetros de comprimento.

21. Gato-bravo

Também conhecido como gato-selvagem, esse felino pequeno é natural da Europa, da África e da Ásia e ocupa territórios diversificados, como savas, florestas e estepes.

Embora sejam parecidos com os gatos domésticos, esses felinos são mais robustos, têm a cabeça arredondada, focinho curto e mandíbulas poderosas.

22. Gato-dourado asiático

Típicos do sudeste asiático, eles são de médio porte. Devido ao desmatamento e à caça ilegal da espécie, em 2008, a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais classificou esses felinos como em risco de extinção.

23. Gato doméstico

Esse, com certeza, é um dos felinos mais conhecidos do mundo. Dóceis, embora nada obedientes se comparados ao cachorro, por exemplo; eles são bem flexíveis, contam com unhas retráteis, tato, visão e audição bem apurados e uma incrível independência.

Outra característica bem curiosa dos gatinhos domésticos é que eles são extremamente adaptáveis e, por praticamente não contarem com predadores, estão entre as 100 espécies exóticas invasoras do mundo.

O lado triste disso, conforme a Ciência, é que eles contam com grande potencial de provocar impactos nos ecossistemas, por meio da competição entre espécies diferentes e da introdução de parasitas e doenças.

E então, você sabia que os felinos pediam ser tão curiosos e interessantes? Agora, falando em gatos, essa é uma outra curiosidade que vale a pena conhecer a respeito dos bichanos domésticos: Por que os gatos trazem animais mortos para casa?

Fonte: Hypescience, Rock’nTech