4 efeitos colaterais que os astronautas enfrentam quando voltam à Terra

Entrar em uma nave, sair da atmosfera e viver em gravidade zero por meses, com certeza, traz aos astronautas consequências. E não estamos falando apenas do desconforto para ir ao banheiro ou dormir e nem mesmo dos objetos flutuantes. O corpo dessas pessoas sofrem impactos reais e, em certos casos, até mesmo perigosos, ao retornarem à Terra.

Um bom exemplo disso é o astronauta britânico Tim Peake, que retornar ao nosso planeta em junho de 2016, depois de 6 meses a bordo da Estação Espacial Internacional. Segundo ele, a impressão é de que ele está vivendo “a pior ressaca do mundo” depois de pisar em solo firme novamente.

Tim Peake
Austronauta Tim Peake

E olha que esse nem foi o maior tempo que o ser humano passou em órbita no espaço. O recorde foi de Scott Kelly, astronauta que voltou à terra em outubro de 2015, depois de 340 dias (mais ou menos 11 meses) no espaço.

Astronauta Scott Kelly

Possíveis complicações

Mas este não é apenas um desconforto bobo, daqueles que sentimos depois de uma longa viagem de avião. No caso dos astronautas, problemas sérios podem surgir com a volta à gravidade e é por isso que eles deve passar por um monitoramento de semanas para se acostumar novamente com a vida por aqui.

Conforme especialistas, não só a sensação de peso no corpo é exaustiva (já que eles voltam a sentir a gravidade depois de um grande período fora dela), mas outras consequências são esperadas.

Desgaste ósseo, redução da massa muscular são apenas algumas das coisas que se passando pelo corpo do britânico e de qualquer outro astronauta durante o período de adaptação, como você vai conferir na matéria abaixo.

Conheça os efeitos colaterais que os astronautas enfrentam quando voltam à Terra:

1. Náuseas e desmaios

6

Ainda não sabem porque, mas Tim Peake está sofrendo com náuseas e desmaios repentinos. Conforme os médicos, nas próximas semanas o astronauta vai passar por uma bateria de exames, além de dieta e monitoramento psicológico para entenderam o que está ocorrendo.

2. Fraqueza muscular e óssea

British astronaut Tim Peake

Uma das consequências mais impactantes da microgravidades são a fraqueza dos músculos e dos ossos. Conforme especialistas, os astronautas perdem até 1,5% da massa óssea a cada mês que passam no espaço.

3. Coração diminui de tamanho

5

E, como o coração também é músculo, adivinha o que acontece com ele? Sim, ele também tem o tamanho reduzido. Mas, a boa notícia é que essa condição só permanece por um tempo.

4. Danos no fígado

2

Ao que tudo indica, a radiação cósmica e a falta do campo magnético da Terra também afeta o fígado. Conforme um estudo da Universidade do Colorado, ratos que passaram um pouco mais de 13 dias em órbita tiveram o fígado afetado mesmo sem ter a dieta alterada.

Os efeitos, conforme os pesquisadores, eram os mesmo da doença que causa gordura do fígado, além de um princípio de fibrose.

Tenso, não? E, por falar em astronautas e no espaço, você vai gostar de ler também: 9 coisas mais estranhas que já foram enviadas ao espaço.

Fonte: Revista GalileuScience Alert