6 fatos sobre Michel Temer, o novo presidente, que você não sabia

Michel Temer assumiu a Presidência do Brasil depois da condenação e afastamento de Dilma Roussef do governo, devido às pedalas fiscais. Mas, apesar de ser o líder da nação, a verdade é que pouco se sabe sobre a origem e a trajetória de Michel Temer. Hoje, no entanto, você vai conhecer um pouco mais do homem que assumiu a Presidência.

Filho de imigrantes libaneses, Temer nasceu e foi criando no interior paulista. Depois de adulto, embora não tenha participado diretamente de uma eleição, ocupou vários cargos políticos ao longo de sua carreira, como você vai conferir logo abaixo.

Michel Temer, embora poucos saibam, advogado, professor universitário, escritor e vice-presidente do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Também foi ele que criou a primeira Delegacia de Defesa da Mulher, em 1985, quando era Secretário de Segurança de São Paulo, sabia?

Outros feitos do novo presidente também se destacaram ao longo dos anos, e, claro, nos últimos meses. Nem todos são louváveis, como suas escolhas polêmicas para os ministérios (apenas homens brancos), e o fato de seu filho de 7 anos ter sido o design do novo logo do governo federal. E as curiosidades sobre Temer e sua história não param por aqui, como você vai ver abaixo.

Confira 6 fatos sobre Michel Temer que você não sabia:

1. Legalização do Jogo do Bicho

1

Sim, o novo presidente do Brasil, Michel Temer, já foi a favor da legalização do Jogo do Bicho. Mas, isso, claro, faz muito tempo, mais exatamente em 1984. Na época, ele era Secretário de Segurança de São Paulo e defendia que os lucros dos jogos fossem divididos com o Estado e com o município.

Mas, ao que tudo indica, a opinião dele não mudou tanto assim. Em maio, a Folha de São Paulo publicou uma matéria que apontava a simpatia de alguns ministros com relação aos jogos de azar se tornarem legais. Congressistas contaram à reportagem que Michel Temer também era a favor da legalização.

2. Dia Nacional do Vendedor

2

O Projeto de Lei 1658/1989 foi um dos “xodós” de Michel Temer enquanto estava na Câmara. Por meio desse PL ele queria institucionalizar o Dia Nacional do Vendedor. Mas, o projeto foi rejeitado pelo plenário e pela Mesa Diretora da Casa.

O mais interessante? Essa proposta (que nem parece tão representativa assim) corresponde a 5% do total de projetos de lei que Michel Temer apresentou durante sua “estadia” na Câmara. Ele não assinou mais de 22 projetos de lei em 22 anos da Câmara.

3. Cinco filhos e nada de fraldas

3

Em entrevista à Rolling Stone, em 2009, Michel Temer contou sobre sua vida pessoa ao lado da esposa, Marcela e do filho de 2 meses, naquela época. O novo presidente contou também que tem três filhas, quatro netos e um outro filho, de 10 anos, então.

Quando perguntado pela repórter se ele ajudava na troca de fraldas, ele respondeu: “Não chega a tanto”.

4. Livro sobre Impeachment

7

Além do livro de poemas, Michel Temer tem outro best-seller no currículo. Dessa vez, no entanto, o livro trata sobre legislação, chamado Elementos do Direito Constitucional, lançado em 1982.

Agora, você consegue adivinhar sobre o que se trata a obra? Sobre o poder executivo e os efeitos de um impeachment, no caso focado no vice-presidente da época.

5. Muitos cargos políticos na manga

5

Michel Temer não é um novato na política ou ao redor dela. A carreira dele começou em 1982, como procurador geral do Estado de São Paulo. Dois anos mais tarde, ele se tornou secretário de Segurança também de São Paulo. Em 1986 ele foi para a Câmara e, em 1995, se tornou presidente da Casa.

No ano de 2004, ele foi vice de Erundina (PSB), na disputa pela prefeitura de São Paulo. Depois de seis anos, Michel Temer se viu vice-presidente de Dilma e, agora, é presidente do Brasil.

6. Ficha suja

4

Michel Temer é o novo presidente do Brasil, mas se ele estivesse disputando o cargo pelas vias eleitorais, provavelmente não assumiria o cargo. Isso porque ele seria impedido de participar da disputa logo de cara, pelo menos durante os próximos 8 anos, uma vez que sua ficha é suja.

Temer foi condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo por ter doado uma quantidade de dinheiro muito superior ao permitido por lei para campanhas políticas. E esse não é o único processo do novo presidente: ele foi citado na Lava-Jato e seu nome apareceu 21 vezes nas investigações da Operação Castelo de Areia, que investigava o grupo Camargo Correia.

Quer mais? A chapa de Temer com Dilma, nas últimas eleições presidenciais, também está sendo investigada pelo Tribunal Superior Eleitoral por suspeitas de doações ilegais e uso dos Correios para campanha política. Se as denúncias forem comprovadas, sabe o que acontece? Isso mesmo que você está pensando: a chapa é cassada e Temer sai do poder.

E, falando em assuntos polêmicos, talvez você queira refrescar a memória sobre os acontecimentos que levaram Temer ao poder: Impeachment de Dilma é aprovado e Temer assume Presidência.

Fonte: Superinteressante