Conheça Okinoshima, a ilha japonesa que nenhuma mulher pode por os pés

É comum que alguns lugares do mundo tenha o acesso de visitantes bastante restrita, seja por segurança ou por exclusividade($$). No entanto, você sabia que existe uma ilha no japão que só pode ser visitada por homens?

A ilha chamada Okinoshima faz parte da cidade Munakata, na província de Fukuoka. Devido sua importância histórica, o local se tornou  Patrimônio Mundial da UNESCO recentemente.

Local sagrado

Crédito: Indiana jo

Entre os séculos 4 e 9, o comércio marítimo fervilhava na região do Leste Asiático. A ilha era uma local em que os homens passavam para rezar, antes de fazer suas viagens marítimas. Ao longo dos séculos, os viajantes deixaram como oferenda aos deuses mais de 80 mil artefatos, como espadas, joias e outros tesouros.

Os artefatos são anteriores aos registros históricos de rituais religiosos do Japão, o que os torna extremamente valiosos. Esses itens são protegidos como tesouro nacional pelo governo japonês.

Menstruação e profanação

Crédito: Indiana jo

Ainda hoje a ilha é considerada sagrada, e os costumes rigorosos das as tradições xintoístas ainda são praticados lá, o que explica a proibição de mulheres no local. Há diversas explicações para a restrição, mas a mais difundida é que as mulheres que estivessem menstruadas poderiam profanar o lugar.

Por enquanto, não há planos para tornar a ilha acessível para as mulheres. No início desse ano, um grupo hindu dos Estados Unidos exigiu que a UNESCO retirasse o título de Patrimônio Mundial da ilha Okinoshima, a menos que as mulheres pudessem entrar, mas os pedidos não foram atendidos.

 

Fonte: Erin Blakemore/smithsonianmag
Imagens: Reprodução