Depressão em animais de estimação existe! Aprenda a identificar os sinais

Muito se fala em depressão hoje em dia, mas o que se descobriu há algum tempo é que esse tipo de transtorno mental não é exclusivo dos seres humanos. Estudos provaram que, infelizmente, existe também depressão em animais de estimação, especialmente em cães e gatos.

Conforme especialistas, a causa da depressão em animais que criamos em casa, normalmente, é a constante ausência dos tutores. Cães que ficam sozinhos em casa por um longo período todos os dias, além da chegada de outros animais de estimação ou o nascimento de crianças são alguns dos motivos mais frequentes da tristeza profunda nos pets.

Outros fatores que geram ansiedade, insegurança e tédios nos bichinhos e que modificam a rotina e o relacionamento entre o animal e o dono também podem despertar o problema.

Quais os riscos da depressão?

Mas, não é só a tristeza profunda que preocupa os especialistas. A depressão em animais de estimação pode causar ainda outros problemas de saúde, como dermatites e perda de peso; e pode ainda ser confundida com outras doenças que também causam apatia.

É por isso que uma visita ao veterinário o quanto antes é muito importante.

A raça influencia?

No caso dos cães, os estudos comprovam que algumas raças tendem a ser mais propensas à depressão que outras.

Poodles, yorkshires e pinchers, por exemplo, são alguns dos cachorros mais suscetíveis aos distúrbio mental, já que apresentam maior grau de dependência humana, requerendo atenção redobrada dos tutores.

Sintomas da depressão em animais:

  • Isolamento
  • Tristeza profunda
  • Falta de apetite
  • Rejeição ao toque físico
  • Apatia
  • Automutilação (mordendo e lambendo as patas e o rabo)
  • Falta de ânimo para brincar e interagir

No gatos, além dos sintomas clássicos de tristeza já citados, é comum também que apresentem:

  • Comportamento agressivo
  • Miados altos e frequentes

Como evitar a depressão em animais?

Para evitar a tristeza nos animais de estimação, a recomendação dos especialistas é que se mantenha os bichinhos ativos.

Os donos precisam levá-los para passear e fazer exercícios pelo menos uma vez por dia, brincar com eles, acostumá-los aos horários do tutor, adestrá-los e inseri-los na nova rotina e na configuração familiar são as melhores formas de afastar a depressão dos pets.

Como tratar a depressão em animais de estimação?

De acordo com especialistas, assim que a doença é diagnosticada, é preciso começar o tratamento. Embora já existem medicamentos florais para pets, destinados ao combate de problemas psicológicos como a depressão, a melhor forma de afastar a doença da vida dos bichinhos e mantendo o animal ativo.

Brincadeiras e passeios ao ar livre, bem como as demais recomendações que já foram citadas como prevenção, também ajudam a mudar o humor dos cães.

Nos casos dos gatos, é preciso também criar lugares onde eles possam escalar e se esconder, já que isso afasta o estresse e os deixam mais satisfeitos.

E então, já percebeu algum desses sinais em seu pet? Não deixe de nos contar nos comentários!

Agora, falando em animais de estimação, você precisa conferir ainda: 12 raças de cachorro dóceis que você pode adotar sem medo.

Fontes: Revista Encontro, Cachorro Gato, Idmed