Fusca azul: conheça a história por trás da brincadeira de infância

O que? Você nunca ouviu falar da brincadeira do Fusca azul? Então é muito provável que você tenha nascido depois dos anos 2000. Para quem não conhece, aquele que avistasse primiero um Volkswagen Fusca na cor azul, ganhava o direito de dar um tapinha em quem estivesse do lado, e tomara que fosse um amigo. Essa brincadeira era comum em praticamente todo o Brasil, variando apenas em algumas regras. Mas qual a origem dessa peripecia?

Uma regra comum era a que se o veiculo avistado não fosse de fato azul, um olhar rápido poderia confundir os desesperados, a pessoa que tivesse recebido o golpe poderia revidar em dobro. Mas qual a origem dessa brincadeira?

Você sabe como surgiu a brincadeira do Fusca Azul?

Não se sabe a resposta. O melhor palpite é que ela é um derivação de outra brincadeira, popular na década de 60 nos Estados Unidos. Na terra do tio Sam, o Beetle, chamado cariosamente de Fusca aqui no Brasil, foi apelido por bug, ou buggy, que em portugês siginica “inseto”. A brincadeira era simples, quando alguém avistasse um Fusca, só era preciso gritar “Punch Buggy”e socar quem estivesse mais próximo, não importando a cor do veiculo.

Ok, mas por que no Brasil o Fusca tinha que ser azul? Essa é outra pergunta sem uma resposta definitiva. Entretanto, tudo indica que a história envolve Henry Ford, o magnata fundador da Ford. Como muitos sabem, durante um perriodo de crise a Ford só comercializou veiculos na cor preta, você deve conhecer a frase classica atribuida Henry: “O cliente pode ter o carro que quiser, desde que ele seja preto”. Porém, certo dia, um funcionário responśavel pela produção da tinta dos veiculos, em lapso de desatenção, errou a mão e acabou pintando um lote inteiro de veiculos de azul escuro, ao invés de preto.

Conta da lenda que Henry Ford não gostou nada do discuido do funcionário, de forma que ele deu um belo tapa nas costas do funcionário na frente de todos os seus colegas, além de não disponibilizar o lote para venda.

Os veiculos pintados de azul foram reservados para a frota interna da fábrica. Acontece que todo vez que um funciońario vi um desses carros passar pela fábrica, logo imitava o patrão e desferia um tapa nas costas do colega mais próximo.

A brincadeira virou tradição nos Estados Unidos e, suspostamente, chegou ao Brasil nos anos 50. È claro que não existe nada que comprove todas essas histórias, mas é o mais próximo que teremos de uma explicação para essa brincadeira que fez parte da infância de tantos brasileiros.

 

 

Fontes: Megacurioso | Flatout
Imagens: Reprodução