Grupo droga e sequestra modelo para leiloá-la na Deep Web

Se você acha que as atrocidades da Deep Web são apenas histórias inventadas, acredite, muita coisa aterrorizante acontece por lá. Um bom exemplo disso é o caso da modelo britânica Chloe Ayling, de 20 anos, que um grupo tentou leiloar nessa lado obscuro da internet.

Conforme a própria modelo contou à polícia, ela foi sequestrada em Milão, na Itália, onde tinha um ensaio fotográfico marcado. Ela foi atacada por duas pessoas que a seguraram e drogaram com uma substância injetável.  O sequestro, que aconteceu no dia 11 de julho.

Frete grátis na Deep Web

Na hora, Ayling perdeu a consciência e só acordou depois de um tempo, em um saco de dormir, dentro de um carro com braços e pernas amarradas. Segundo ela, depois disso ela foi levada a Borgial, uma vila isolada perto de Turin, onde a prenderam por seis dias.

De acordo com a polícia italiana, o grupo de sequestrados foi identificado como Black Death. Eles pretendiam vender a modelo na Deep Web por cerca de 300 mil dólares, algo em torno de 929 mil reais. Conforma as regras da venda, ela seria transportada para qualquer lugar, mas o “frete” para a União Europeia seria gratuito.

Regras do grupo

Apesar do susto, Ayling teve sorte e está bem. Ela contou à imprensa que era contra as regras do grupo o sequestro de mães e ela foi liberada quando eles descobriram que ela tem um filho.

Mas, não acredite que eles foram “bonzinhos” por liberarem a moça. Eles disseram que ela teria que manter o sequestro em silêncio e pagar 50 mil dólares, aproximadamente 156 mil reais, em bitcoins dentro de 30 dias, ou eles a procurariam a a “eliminariam”.

Procurados

A modelo, claro, concordou com as condições de sua libertada, mas procurou a polícia local em seguida. A polícia, aliás, chegou a prender um polonês de 30 anos, no dia 18 de julho, suspeito de participar do grupo. Ele morava no Reino Unido e está sendo investigado por sequestro e extorsão.

Outros quatro cúmplices do crime também estão sendo procurados na Itália, no Reino Unido e na Polônia.

Tenso, não? Mas esse não é o único tipo crime que as pessoas cometem na internet, como você confere nessa outra matéria: 8 crimes online que você comete todos os dias e não sabia.

Fonte: Olhar Digital, Coventry Telegraph, Week Facts