O exorcismo de Emily Rose: conheça a história real por trás do filme

Um dos maiores alentos de quem assiste filmes de terror, como o pesadíssimo O Exorcismo de Emily Rose, é que aquelas histórias são não são reais, mas criadas pelas cabeças doentes de roteiristas americanos.

O problema, no entanto, é que O exorcismo de Emily Rose se trata de uma história real, que aconteceu Alemanha, na cidade de Leiblfing.

Não se sabe realmente até que ponto o que aconteceu com Anneliese Michel, a verdadeira Emily Rose, se tratava de esquizofrenia, de outras doenças psíquicas ou de obras demoníacas.

O fato é que a garota passou por nada menos que 67 sessões de exorcismo em 11 meses e acabou morrendo por desnutrição.

A história por trás de O Exorcismo de Emily Rose

Mas, voltando ao início, tudo começou quando Anneliese completou 16 anos e passou a sofrer convulsões e foi diagnosticada com epilepsia. Ela também passou a apresentar um quadro de depressão profunda e foi internada.

Aos 20 anos de idade, depois dos tratamentos não funcionarem, a garota já não tolerava mais ver objetos religiosos e havia começado a ouvir vozes.

Como a família de Anneliese era muito religiosa, começaram a desconfiar de que a menina não estava realmente doente, mas que poderia estar possuída por demônios. E foi exatamente nessa época que começou a história assustadora que inspirou o filme O Exorcismo de Emily Rose.

Sem comer, beber ou dormir

Os pais da moça, então suspenderam os medicamentos e os demais tratamentos prescritos pelos médicos e deixaram que os sacerdotes católicos Ernst Alt e Arnold Renz começassem as sessões de exorcismo.

Para isso, Anneliese ficava trancada em uma cela, com apenas uma cama, onde não podia comer, beber qualquer coisa ou sequer dormir.

Durante as sessões, embora não se saiba se pelo sugestionamento da situação, pela loucura ou realmente por forças malignas, a moça se contorcia, tentava resistir às rezas, falava em línguas inteligíveis e proporcionava todo o espetáculo que se espera de um exorcismo.

Os padres chegaram a dizer que Anneliese estava dominada por nada menos que 5 espíritos: Lúcifer, Caim, Judas Iscariotes, Hitler e Nero.

Morte por inanição

Sem apresentar melhoras em seu comportamento, Anneliese começou a demonstrar sinais de fragilidade e acabou morrendo em 1º de julho de 1976, aos 23 anos.

Ela tinha pneumonia, os ligamentos dos joelhos haviam se rompido e, conforme a autópsia feita pela polícia, estava desnutrida e desidratada. Aliás, na época de sua morte, a moça não pesava mais de 30 quilos.

Fanatismo e negligência

Quando as autoridades tomaram conhecimento do caso que inspiraria O Exorcismo de Emily Rose, os padres e os pais da garota foram levados à justiça, acusados de homicídio por negligência.

A mãe e o pai de Anneliese não chegaram a ser presos, já que justiça entendeu que a perda da filha já era um bom castigo. Os padres, por outro lado, receberam pena de três anos em liberdade condicional.

O pior de tudo é que anos depois da morte da garota, em 2005, depois de tudo o que já foi dito sobre o assunto e depois do lançamento do filme de terror inspirado no caso, os pais de Anneliese continuavam acreditando que ela havia sido vítima de possessão demoníaca. Durante uma entrevista, eles disseram que a morte da filha foi uma libertação.

Tenso, não? Você acredita nisso? Acha que é realmente possível que espíritos do mal dominem uma pessoa?

Agora, falando em assuntos que assustam, você pode querer conferir também: 3 lendas urbanas assustadoras que na verdade são reais.

Fonte: Mistérios do Mundo