O que aconteceu com Stephen Hawking?

O famoso físico teórico Stephen Hawking conseguiu de forma singular levar suas ideias sobre buracos negros e gravidade, temas consideravelmente complicados, para uma ampla parcela da sociedade leiga. Durante a maior parte da sua vida ele foi confinado a uma cadeira de rodas, sendo essa a imagem que o público em geral atribuí ao seu nome. Porém, poucas pessoas de fato sabem o que realmente aconteceu com Stephen Hawking, o gênio paralisado.

O que aconteceu com Stephen Hawking?

Stephen Hawking não nasceu paralisado. O caçula de quatro irmãos nasceu saudável em Oxford, Inglaterra, em 1942. Hawking sempre foi precoce, com 17 anos ganhou uma bolsa para estudar física na Universidade de Oxford. Apesar de não ter sido um aluno excepcional durante a graduação, ele conseguiu ser aceito no mestrado da Universidade de Cambridge.

Stephen Hawking já apresentava dificuldades em se locomover no se casamento com Jane Wilde

Durante o mestrado, o jovem físico percebeu que estava ficando desastrado. Derrubar objetos e levar tombos começou a fazer parte do seu dia-a-dia, parecia que ele não conseguia mais controlar seus movimentos. Certo dia, caiu de patins e não conseguiu levantar. Foi levado ao médico, que o diagnosticou com esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença incurável que leva à perda de movimentos – e, segundo o médico, levaria à morte em no máximo três anos.

Em 1970 ele parou de andar, seus movimentos ficaram debilitados de tal forma que o físico encontrou na cadeiras de rodas a única saída para continuar se locomovendo. Nos anos seguintes sua saúde piorou muito.

Stephen Hawking, sua esposa Jane Wilde e seus filhos

Por que Stephen Hawking parou de falar?

Em 1985, durante uma viagem ao CERN, na Suíça, ele pegou uma pneumonia. Esse episódio foi quase o ponto final na história de Hawking. O físico ficou tão debilitado que os médicos chegaram cogitar a possibilidade de desligar os aparelhos que o mantia vivo. A solução para o seu quadro critico foi uma cirurgia de traqueostomia, uma intervenção cirúrgica que consiste na abertura de um orifício na traqueia e na colocação de um tubo para passagem de ar.

A cirurgia deu certo, Hawking sobreviveu, mas nunca mais falou. Foi a partir desse ano que o físico começou a usar a voz eletrônica para se comunicar, sua marca registrada.

Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

Sua doença nunca desacelerou, mas ele nunca se rendeu a sua condição. Assim como sua mente, a doença de Hawking também parece ser singular. A maioria das pessoas com ELA – também conhecida como doença de Lou Gehrig, são diagnosticadas após os 50 anos e morrem dentro de cinco anos. A condição de Hawking foi diagnosticada pela primeira vez quando ele tinha 21 anos, e ninguém esperava que ele fosse comemorar seu 25º aniversário.

Além de sua contribuição para a física, Hawking também mostrou ao mundo que sua doença é uma desordem incrivelmente variável em muitos aspectos. Ainda não existe cura para esclerose lateral amiotrófica, mas a expectativa de vida de quem tem a condição vem crescendo nas últimas décadas, parte disso se deve ao exemplo de resiliência e força de vontade que Stephen Hawking demostra ao longo de toda sua vida.

 

Imagens: Reprodução