Pílula do dia seguinte: o que você deveria saber antes de usar

Sem dúvidas há muitos mitos sobre a pílula do dia seguinte circulando por aí. Apesar de ser considerada uma “solução milagrosa” por muitas mulheres, a verdade é que o buraco é bem mais embaixo.

A primeira coisa que precisa ficar clara sobre a pílula é que ela não pode ser usada como anticoncepcional regular, algumas mulheres chegam a usar esse recurso após todas as relações sexuais desprotegidas. Confira nossa lista para entender melhor o funcionamento dessa droga:

1. A pílula do dia seguinte não provoca aborto

A droga é um contraceptivo de emergência, agindo antes que a gravidez ocorra. Depois de interromper a ovulação, não há ovo para ser fecundado pelo esperma após o sexo desprotegido.

2. Pode haver efeitos colaterais

Embora a maioria das mulheres não tenha problemas, um efeito colateral comum é a desregulação do período menstrual. Porém, se o não houver uma menstruação nas próximas três semanas, é recomendável um teste de gravidez.

3. Seu peso pode diminuir a eficácia da pílula

Novas pesquisas indicam que o efeito da droga diminui consideravelmente em mulheres acima do 70 quilos, principalmente se a pílula conter um hormônio chamado Levonorgestrel.

4. Você pode consumir álcool

Consumir álcool após a pílula do dia seguinte não afetará seu funcionamento no organismo.

5. Não existe um limite para quantas vezes você pode tomar

Porém, se você estiver usando esse recurso com muita frequência, talvez seja o momento de considerar opções de anticoncepcionais de longo prazo.

6. Não existe garantias que vai funcionar

Apesar da pílula ser bastante eficaz, ela pode não funcionar. Em contra partida, o método contraceptivo DIO tem mais de 99% de eficacia e pode ser mantido por até 10 anos no corpo.

7. Apesar de evitar uma gravidez indesejada, a pílula não te protege de DSTs

O único método contraceptivo que te protege de doenças sexualmente transmissíveis é a camisinha. Clamídia e Gonorreia podem demorar até duas semanas para aparecerem em testes, sendo que o HIV pode levar até um mês.

Mesmo que não seja preciso uma receita médico para comprar a pílula do dia seguinte, é altamente recomendável que você converse com um médico antes de usar. Assim como os anticoncepcionais de longo prazo, a pílula também pode ser um risco para mulheres subjetiveis a trombose e doenças no fígado.