Qual a diferença entre um ateu e um agnóstico?

Em meio a tantos termos e conceitos que existem dentro do estudo da religião. Pode ser fácil se confundir ou até mesmo não compreender o que algumas palavras realmente significam. Provavelmente você já escutou alguém se autointitulado ateu ou agnóstico por aí. Mas o que isso significa no final das contas?

Um agnóstico é uma pessoa que acredita ou não em deus? Ateus negam o que existe na bíblia cristã, mas acreditam em alguma outra religião?

Se você já se questionou esse tipo de coisa, não se preocupe! Esse tipo de dúvida é muito mais comum do que você pode imaginar.

Para entendermos, portanto, de uma vez por todas o que significa cada um desses termos, devemos nos atentar ao mais básico do básico. Que é a etimologia de cada uma dessas palavras!

Etimologia das palavras

Ambos os termos por exemplo, tem origem na língua grega. Na palavra “ateu”, o “A” surge como uma espécie de negação (não). “Téus” por sua vez significa: deus. Por isso se tivéssemos como traduzir a palavra ateu para o seu sentido literal, chegaríamos ao conceito de “não há deus”.

Já agnóstico também em grego, significa “desconhecido”, “sem conhecimento”.
Indo agora para questões práticas, você pode estar se perguntando. E o que diferencia um ateu de um agnóstico no final das contas?

Qual a é a diferença prática entre Ateus e Agnósticos?

Bom, o ateu é aquela pessoa que admite para si mesmo que não existe um deus. Ateus são céticos, não creem em nenhuma religião, credo ou dogma que não possa ser provado empiricamente, ou seja, na prática.

Para ateus não existe vida após a morte e nada que envolva questões sobrenaturais. O que existe para quem pensa dessa forma, é apenas aquilo que podemos observar ou estudar.

Já o agnóstico se tivéssemos que usar uma metáfora para representa-lo, sem dúvida ele seria a da “pessoa em cima do muro”.

Agnósticos se conformam com o fato de ser impossível se provar ou não, a existência de um deus. Por isso não negam a possibilidade, como também não se apegam a nenhuma provável explicação do que seja o divino.

Por isso para ficar ainda mais claro na sua cabeça, podemos fazer um exercício mental, que fará você nunca mais confundir esses termos!

Como nunca mais confundir esses termos?

Imagine só um grande muro, que divide dois lados opostos de um mesmo campo. Quem está do lado esquerdo por exemplo, é chamado de “teísta”, essa pessoa tem plena convicção que deus existe. Independente de qual seja a sua religião, se você acredita sem nenhuma dúvida de que um deus, um ser superior existe, você também está desse lado do muro.

Em cima desse muro, temos o agnóstico, que em meio a dúvida, preferiu não se posicionar, se você acha que é inútil discutimos ou pautarmos a nossa vida em prol de algo que não pode ser provado ou negado, você estará em cima desse muro também!

Do lado direito, você já sabe quem irá encontrar! O ateu assim como o teísta, tem as suas convicções, é uma pessoa que não tem dúvidas e para ela não existe nada que seja sobrenatural e ponto final.

Mas e aí, querido leitor! As coisas passaram a fazer mais sentido para você agora? Conta isso e muito mais aqui embaixo pelos comentários!

Se você se interessou por esse assunto, não deixe de conferir também quais são as “5 descrições do inferno, que farão você temer por anos”. 

Fontes: Mundoestranho, Superinteressante.