Robôs assassinos já são quase uma realidade e precisam ser banidos

Filmes de ficção cientifica cansaram de nos mostrar robôs assassinos que se rebelam e tentam acabar com a humanidade. Eles são letais, implacáveis e difíceis de serem destruídos, mas ninguém realmente leva essa história a sério, já que o cinema é o cinema e nossas máquinas nos obedecem.

O problema, segundo os grandes líderes em tecnologia, é que essa realidade obscura pode não estar muito longe. E é exatamente isso que precisa ser impedido.

Claro que não estamos falando de um apocalipse robótico, nem de um enredo do tipo Exterminador do Futuro; mas, de algo bem mais possível e palpável: inteligência artificial (AI, em inglês) sendo usada para o desenvolvimento e uso de armas.

Carta de alerta (e pânico)

E, se você acha que isso é invencionice, acredite, o assunto está tirando o sono de várias autoridades no ramo tecnológico.

Em agosto, por exemplo, mais de 100 especialistas em robótica se reuniram, por meio de uma carta, para cobrar da ONU uma iniciativa para impedir o desenvolvimento dos tais robôs assassinos.

No documento, personalidades do segmento, como o cofundador e CEO da Tesla, Elon Musk; alertam para o risco de uma 3ª revolução tecnológica de guerra.

Os especialistas alertam que “uma vez desenvolvidos, eles permitirão um conflito armado numa escala maior do que nunca, e em intervalos de tempo mais rápidos que os humanos podem compreender”.

Os líderes dizem que, embora essas possam ser armas eficientes contra o terror, se caírem nas mãos erradas, esses robôs assassinos podem exterminar populações inocentes, uma vez que essas armas podem ser hackeadas e reprogramadas de forma remota.

É por isso que esse tipo de tecnologia deve ser acrescentada à lista de armas banidas pela Convenção das Nações Unidas sobre Certas Armas Convencionais (CCW).

O que são os robôs assassinos?

Agora, se você está se perguntando que “diabos” são esses tais robôs assassinos, a explicação é bem simples.

Eles se tratam de máquinas que funcionam sem a intervenção humana e que são capazes de selecionar seus alvos por meio de descrições físicas, étnicas e até mesmo por memorização de face.

Os especialistas garantem que esse tipo de arma ainda não existem, mas os avanços na tecnologia as tornam cada vez mais próximas da realidade.

E, se você ainda não entendeu qual a causa do pânico a respeito de algo que ainda nem foi criado, o vídeo abaixo vai deixar você impressionado com o que pode acontecer em um futuro bem próximo.

Tenso, não? Lembrando: embora nada disso exista ainda, essa é uma realidade muito próxima e muito possível, diante de toda essa tecnologia que dispomos.

E, se você acha que mesmo assim essas máquinas devam ser criadas e usadas pelas “mãos corretas”, talvez você comece a repensar depois de conferir essa outra matéria: 8 bizarros experimentos já feitos pelo exército americano.

Fonte: BBC, Telegraph