Surto de micose de gato afeta humanos e já registra 5 mil casos

Você tem gato em casa? Então é melhor ficar de olho na saúde do seu bichano. Isso porque, segundo os jornais nacionais, uma micose de gato, chamada esporotricose, tem atingido vários animais e se espalhado também pelas pessoas, nos últimos três anos pelo menos.

Para quem não sabe, a doença é causada por um tipo de fungo que vive naturalmente no solo, o Sporothrix, e é transmitida aos felinos, aos cães e aos outros animais por meio dos arranhões. Ela provoca lesões sérias e que podem se tornar fatais nos animais, caso não sejam tratadas a tempo.

De acordo com o INI/Fiocruz, desde 2015, no Rio de Janeiro, já foram registrados mais de 5 mil casos entre pessoas e quase a mesma quantidade em felinos. Em 2016, a micose de gato também foi bem presente nos diagnósticos: houve um aumento de 400% nos animais infectados e, com relação aos seres humanos, 580 casos foram confirmados.

A micose de gato só atinge os gatos?

Embora a doença também infecte outros bichos, incluindo o ser humano, a suscetibilidade dos bichanos ao fungo é muito maior. Neles, as lesões costumam ser bem mais sérias.

De acordo com a veterinária Isabella Dib Gremião, do Instituto Fiocruz, no caso de outros bichos e dos seres humanos, as lesões não costumam ser tão severas e não apresenta risco de morte. Mas, a boa notícia é que, até mesmo para os felinos, existe tratamento, embora seja caro e demorado.

Os estudiosos sobre a doença ainda não sabem explicar como o fungo começou a infectar os gatos, já que este era um problema esporádico, antes do aumento de casos no Rio de Janeiro. No entanto, eles apostam que os animais que contraem a micose de gato sejam abandonados pelos donos. Uma vez nas ruas, eles podem transmitir a doença para outros bichos e podem infectar também o solo, caso sejam enterrados em quintais ou jogados no lixão.

Como o fungo age?

De acordo com especialistas, o fungo da micose de gato destrói a epiderme, a derme, o colágeno, os músculos e até mesmo os ossos, de maneira progressiva. Ele também pode atingir os órgãos internos, o que deixa o quadro bem mais sério.

Como você pode ver nas fotos, sem o tratamento eficaz e em tempo hábil, as feridas podem ficar bem feias nos bichanos e nos seres humanos também.

Triste, não? Fique de olho na saúde de seu gato e na sua também!

Agora, aproveitando o assunto, você pode se interessar em conferir essa outra matéria, embora o conteúdo dela também não seja nada divertido: Mulheres donas de gatos têm mais chances de cometer suicídio, diz estudo.

Fonte: Uol