11 segredos sobre o beijo que você deveria conhecer

Seja por amor ou, simplesmente, por ‘pegação’, beijar é muito bom e ninguém discute. O fato, no entanto, é que o beijo na boca não representa somente um simples prazer. De acordo com cientistas, esse nosso hábito faz bem para o corpo e para a alma!

E, embora muitas culturas não incluam o beijo entre as ações de um relacionamento ou mesmo como uma preliminar para a procriação, a verdade é que ele funciona como belo teste de compatibilidade genética, sabia? Bom, tudo isso e muito mais você descobre agora.

Confira, abaixo, alguns segredos fascinantes sobre o beijo que você – e todo mundo – deveria conhecer:

1. A maioria das pessoas se lembram de seu primeiro beijo com mais detalhes do que do dia em que perderam a virgindade

1

Uma pesquisa realizada na Universidade de Butler comprovou esse ponto de vista ao pedir para 500 pessoas para detalharem suas memórias sobre as duas experiências. O primeiro beijo, disparadamente, foi o assunto mais detalhado.

2. Ninguém sabe, realmente, porque a gente beija a boca de outras pessoas

2

A teoria mais aceita e que tenta explicar nossa mania de trocar saliva é a de que o beijo é uma maneira, encontrada pelos seres humanos, para trocar informações biológicas sobre seus possíveis parceiros. Segundo contam, por meio dessa experiência a gente é capaz de dizer ou não se o relacionamento vai ter qualidade.

3. Beijo pode salvar sua vida

3

Um estudo realizado na década de 1980 descobriu que homens que beijam suas esposas antes de sair para o trabalho tendem a viver mais tempo. Isso porque eles ficam mais cautelosos e se envolvem em menos acidentes no trânsito.

Aliás, outra coisa que o estudo apontou é que os homens que mantém esse costume contam também com uma vida financeira mais próspera que os casados que não beijam suas mulheres antes de sair de casa. (Fica a dica!).

4. O beijo não faz parte de todas as culturas

4

Segundo antropólogos, na Ásia, na África e até em algumas partes da América do Sul, o beijo na boca não está incluso em suas culturas. Além disso, há ainda os lugares em que o beijo em público é condenado e visto como “falta de pudor” (ou de vergonha, se preferir). Em algumas partes dos Estados Unidos, por exemplo, o beijo em locais público é uma prática ilegal.

5. Algumas pessoas ainda ficam terrorizadas em beijar

5

Por mais que pareça besteira, tem gente que desenvolve uma ansiedade crônica quando o assunto é dar um beijo. Segundos especialistas, é como se o medo e a insegurança do primeiro beijo se preservassem pela vida inteira, deixando alguns indivíduos aterrorizados somente com a ideia de beijar alguém. A doença, aliás, tem até nome e é conhecida como philemaphobia ou, simplesmente, medo de beijar.

6. Beijos conservam a saúde

6

Além de melhorar o bem-estar, os beijos podem realmente ajudar a preservar a saúde do corpo. Segundo estudos recentes, a troca de bactérias que ocorre durante um beijo aumenta nosso sistema imunológico. Outras coisas que também acontecem: a saliva extra, resultante do ato de beijar, também ajuda a “lavar” as bactérias perigosas que temos na boca; e com os batimentos cardíacos acelerados, os vasos sanguíneos se dilatam, diminuindo  pressão arterial.

7. Duas a cada três pessoas viram a cabeça para a direita na hora do beijo

7

Esse foi o resultado de um estudo, publicado pela Revista Nature e realizado na Universidade de Ruhr, na Alemanha. Conforme a pesquisa, dos ​​124 pares analisados, 65 % tinham o hábito de entornar a cabeça para a direita.

8. Beijar proporciona um exercício de musculação 

8

Embora um beijo envolva principalmente o orbicular da boca, um músculo ao redor dos lábio; pesquisam científicas apontam que essa atividade envolve outros 146 músculos: 34 faciais e 112 posturais. Aliás, por essa musculação toda, beijar por 1 minuto queima, em média, 26 calorias.

9. Neurônios especiais ajudam a beijar no escuro

9

Na década de 1990, uma equipe da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, descobriu que alguns neurônios no córtex pré-motor do cérebro são importantes para a sensação tátil e para a consciência visual da área imediatamente em torno do rosto. Isso pode explicar por que é possível encontrar os lábios do parceiro depois das luzes se apagarem.

10. Beijar também é química

Beijar libera os mesmos neurotransmissores (mensageiros químicos no cérebro) como aqueles que são liberados quando você se envolve em um exercício intenso ou usa drogas estimulantes, como a cocaína. Isso porque o ato do beijo faz com que o seu coração bata mais rápido e sua respiração se torne profunda e irregular.

11. O beijo ajuda a reduzir o estresse e deixa as pessoas mais seguras

11

Ao longo do tempo, o beijo reduz os níveis de cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. Isso faz com que as pessoas se sintam mais vivas e seguras. Assim, quanto mais tempo você passou beijando na vida, mais tranquilo e relaxado você se torna.

E aí, “bora” beijar?