Curiosidades

23 declarações chocantes feitas por serial killers

Saiba o que os serial killers mais famosos (e terríveis) da história disseram sobre os crimes que cometeram.

Por Thamyris Fernandes

Eles já inspiraram os enredos mais temíveis enredos de filmes de terror e suas histórias, infelizmente, aconteceram na vida real. Os serial killers – ou assassinos em série, no bom e velho português – se tratam de pessoas, na grande maioria, mentalmente perturbadas, que abusam, torturam e matam (das piores maneiras possíveis) um grande número de pessoas.

Segundo especialistas em investigações criminais, uma das principais diferenças entre um criminosos comum e um serial killer é que a motivação desse último não vem de qualquer natureza emocional. Mesmo que exista um padrão em seus crimes, e que eles normalmente eles escolham pessoas que façam parte de um grupo pré-determinado (como prostitutas, ou mulheres loiras, por exemplo) não há qualquer tipo de sentimento na hora de escolher suas vítimas.

Conforme especialistas, não existe uma fórmula que aponte um serial killer. No entanto, suas ações, atitudes, a história de sua infância e suas declarações podem ajudar a esclarecer melhor a mente dessas pessoas e o cenário na investigação de crimes onde são possíveis visualizar determinados padrões.

Confira 23 declarações impressionantes feitas por serial killers:

1. “Nós, serial killers, somos seus filhos, somos seus maridos, estamos em toda parte. E haverá mais de suas crianças mortas amanhã” – Ted Bundy

2. “Você sente o último suspiro deixando seus corpos. Você as olha nos olhos. Uma pessoa nessa situação é Deus” – Ted Bundy

3. “Às vezes sinto-me como um vampiro” – Ted Bundy

Rascunho automático

Ted foi um dos mais temíveis serial killers dos Estados Unidos até hoje. Ao todo, a polícia acredita que ele tenha feito entre 30 e 36 vítimas na década de 70.

4. “Durante minha vida, assassinei 21 seres humanos. Eu cometi milhares de arrombamentos, furtos, roubos, incêndios criminosos e, por último mas não menos importante, pratiquei sodomia com mil homens. Eu não tenho o mínimo arrependimento por tudo isso” – Carl Panzram

5. “Desejo que todos tenham um pescoço e eu tenha minhas mãos nele” – Carl Panzram

Rascunho automático

Carl Panzram, aos 11 anos, foi levado a um reformatório, onde apanhou e sofreu abusos várias vezes, inclusive por líderes religiosos.

6. “Eu adoro o cheiro doce, rude e espesso de homicídio em lugar fechado. É a única maneira que eu tenho para me lembrar de que ainda estou vivo” – Michael Swango

Rascunho automático

Swango, um médico, foi um dos maiores serial killers já investigados até hoje. Ele foi autor de cerca de 60 envenenamentos fatais de pacientes e colegas. Ele, no entanto, só admitiu ter causado quatro mortes.

7. “Eu tirei seu sutiã e sua calcinha e fiz sexo com ela. Essa é uma dessas coisas que penso terem feito parte da minha vida… Ter relações sexuais com os mortos” – Henry Lee Lucas

Rascunho automático

Henry confessou que ele e seu parceiro, Ottis Toole, estavam envolvidos em cerca de 600 assassinatos.

8. “Eu não consegui encontrar nenhum sentido para minha vida enquanto estive lá fora, tenho certeza absoluta de que não o encontrei aqui (na Winsconsin Columbia Correctional Institution). Este é o grand finale de uma vida miseravelmente vivida, e o resultado final é apenas esmagadoramente deprimente… É apenas uma história de vida triste, patética, desprezível, infeliz, isso é tudo o que ela é. Como isso pode ajudar alguém, eu não sei” – Jeffrey Dahmer

Rascunho automático

Jeffrey foi autor do assassinato de 17 homens e garotos entre os anos de 1978 e 1991. Ele também cometeu estupro, necrofilia e canibalismo.

9. “Os demônios estavam bramindo por sangue” – David Berkowitz

Rascunho automático

David, apelidado de Filho de Sam e o Assassino da Calibre 44; confessou o assassinato de seis pessoas.

10. “Eu me lembro de que havia quase uma verdadeira excitação sexual… Você ouve aquele pequeno estouro e tira suas cabeças e as segura pelo cabelo, arrancando suas cabeças, seus corpos sentados lá. Eu tinha um orgasmo” – Edmund Kemper.

Rascunho automático

No depoimento acima, ele relatava sobre o que sentia quando brincava de matar as bonecas de sua irmã, na infância. Na vida adulta, Kemper foi acusado de 10 assassinatos, incluindo o de sua própria mãe, Clarnell Strandberg-Kemper.

11. “Eu adoro matar pessoas. Eu adoro vê-las morrer. Eu atiro em suas cabeças, e elas se balançam e se contorcem por todo o lugar e depois simplesmente param. Ou as corto com uma faca e vejo seus rostos ficarem muito brancos. Eu amo todo aquele sangue. Eu falei para uma mulher me dar todo seu dinheiro. Ela disse ‘não’, então eu a cortei e arranquei seus olhos” – Richard Ramírez

Rascunho automático

Ramírez era fã da banda AC/DC e, conforme os arquivos policiais, vestiu uma camiseta do grupo durante alguns dos crimes que cometeu.

12. “Se você ama alguém, deixe-o ir. Se ele não retornar, cace-o e o mate” – Leonard Lake

13. “Deus destinou as mulheres para cozinhar, limpar a casa e para o sexo. Quando elas não estão em uso, devem ser presas” – Leonard Lake

Rascunho automático

Lake e seu parceiro de crime, Charles Ng, sequestraram mulheres e as usaram de escravas sexuais. Depois de um tempo, ele matavam as vítimas dos sequestros e todos seus familiares.

14. “Ralé da América! Sejam estuprados!” – Aileen Wuornos.

Rascunho automático

Aileen Wuornos disse a frase acima ao juri, quando foi condenada por assassinato. Ela foi uma prostituta considerada a primeira mulher serial killer dos Estados Unidos.

15. “Eu perdi minha inocência aos 8 anos, então decidi fazer o mesmo ao maior número de garotas que conseguisse” – Pedro López

Rascunho automático

Pedro Alonso López é um serial killer colombiano acusado de matar e estuprar mais de 300 pessoas.

16. “Bem, divertir-se é uma razão tão boa como qualquer outra” – Dennis Nilsen.

Rascunho automático

Dennis Nilsen fez a declaração sobre sobre o porquê de matar. Ele é britânico e matou pelo menos 15 homens entre os anos de 1978 e 1983.

17. “No caso de Ohliger, eu também suguei o sangue do seu ferimento na têmpora, e, de Scheer, da facada no pescoço. Da garota Schulte apenas lambi o sangue de suas mãos. O mesmo ocorreu com o cisne no Hofgarten (parque da cidade de Munique, Alemanha). Eu costumava vagar à noite pelo Hofgarten com bastante frequência, e, na primavera de 1930, notei um cisne dormindo na beira do lago. Eu cortei sua garganta. O sangue jorrou para o alto e o bebi sugando-o pelo corte” – Peter Kürten

18. “Toda a família sofria durante a sua bebedeira, pois, quando bebia, meu pai era terrível. Eu, sendo o mais velho, tinha que sofrer mais. Como você pode imaginar, sofríamos com a pobreza extrema, tudo porque os salários eram gastos em bebida. Todos nós morávamos em um único cômodo, e você perceberá qual o efeito isso teve sexualmente sobre mim” – Peter Kürten

Rascunho automático

Kürten foi um serial killer alemão, que ficou conhecido pela alcunha de “Vampiro de Düsseldorf”.

19. “Quatro ou cinco camaradas e eu entramos em uma casa chinesa e prendemos todos no guarda-roupas. Nós roubamos as joias e estupramos as mulheres. Nós até ferimos uma grávida com a baioneta e arrancamos o feto por seu estômago” – Yoshio Kodaira

Rascunho automático

Yoshio Kodaira nasceu em 1905 e foi um estuprador e serial killer japonês.

20. “O que eu fiz não foi por prazer sexual. Mais do que isso, trouxe-me certa paz de espírito” – Andrei Chikatilo

Rascunho automático

Andrei Romanovich Chikatilo foi um serial killer ucraniano, também conhecido como Açougueiro de Rostov, O Estripador Vermelho e O Estripador de Rostov. A polícia estima que ele tenham feito 53 vítimas entre os anos de 1978 e 1990.

21. “Eu obrigo uma mulher a ir aonde eu quero e quando chego lá digo: ‘Sabe de uma coisa? Eu fui ferido, então vou fazer isso agora.’ Então eu as mato” – Moses Sithole

Rascunho automático

O serial killer fez 38 vítimas em apenas 10 meses, se tornando um dos mais sanguinários da África do Sul.

22. “Eu escolhi prostitutas porque pensei que poderia matar quantas delas eu quisesse sem ser pego. Eu também as escolhi como vítimas porque elas eram fáceis de serem apanhadas sem serem notadas” – Gary Ridgway

23. “Eu gostava de dirigir pelos bolsões ao redor do país e pensar nas mulheres que eu depositei lá. Eu matei tantas mulheres que não consigo precisar quantas” – Gary Ridgway

Rascunho automático

Gary Leon Ridgway ou o “Assassino do Rio Verde” é um dos serial killers mais assustadores da lista por seu contexto social: ele era pai de família, casado três vezes; tinha emprego fixo e foi condenado por 48 assassinatos confessos.

Ficou arrepiado com os relatos desses serial killers? Espere até conferir os crimes dessa outro turma a seguir: 5 assassinas bonitas e mais cruéis do mundo.

Fonte: Mega Curioso

Próxima página »

Escolhidas para você