Listas

Besouro rola-bosta: TUDO sobre os insetos que guiam bolas de cocô

Você já viu um besouro empurrando uma bola de cocô? Os insetos que fazem isso são escaravelhos, mas comumente chamados besouros rola-bosta.

Certamente, você já deve ter visto um besouro rola-bosta alguma vez na vida. Em suma, trata-se de um escaravelho que é dividido em três seções: cabeça, protórax e abdômen. Seu corpo é composto por uma cutícula dura. Além disso, eles vêm em uma variedade de cores geralmente variando de marrom a preto.

Os escaravelhos não são apenas o inseto mais forte do mundo, mas também o animal mais forte do mundo!

Em relação ao seu tamanho, os besouros rola-bosta podem empurrar ou puxar uma bola de fezes 1.141 vezes seu próprio peso. (Daí, o seu famoso apelido). E quando não estão empurrando bolas, os besouros usam sua força para afastar outros machos.

Vamos saber algumas curiosidades fascinantes sobre o besouro rola-bosta neste artigo.

Continua após a publicidade

10 curiosidades sobre o besouro rola-bosta

1. Origem

Por não terem ossos, os besouros rola-bosta raramente aparecem no registro fóssil. Mas sabemos que os escaravelhos existiam cerca de 30 milhões de anos atrás, porque os paleontólogos encontraram bolas de esterco fossilizadas do tamanho de bolas de tênis daquela época.

Desse modo, acredita-se que os escaravelhos pré-históricos eram insetos gigantes e coletavam o cocô da megafauna da América do Sul: tatus do tamanho de carros, preguiças mais altas que as casas modernas e um herbívoro peculiar de pescoço longo chamado macrauquênia.

2. Habitat

Existem muitas espécies de besouro rola-bosta, que são encontrados em todos os continentes, exceto na Antártida, vivendo em habitats que variam de florestas úmidas a desertos secos.

3. Alimentação do besouro rola-bosta

Os escaravelhos não comem qualquer cocô, pois preferem resíduos de herbívoros ou onívoros. Aliás, eles geralmente não bebem ou comem mais nada, pois o esterco fornece todos os nutrientes necessários para sua sobrevivência. No entanto, alguns escaravelhos se alimentam de cogumelos, frutas em decomposição e folhas.

Continua após a publicidade

Eles não são os insetos mais perigosos do mundo, contudo a competição é alta entre os besouros rola-bosta, portanto eles ficam hipersensíveis à queda de alimentos frescos.

Ao contrário de seu nome, eles não comem esterco cru. Em vez disso, eles peneiram e comem nutrientes não digeridos.

4. Reprodução

Se você vir dois besouros rolando uma bola de fezes juntos, geralmente é um macho e uma fêmea preparando uma bola de ninhada para botar ovos.

Quando encontram solo macio, enterram a bola e acasalam no subsolo. Depois, o escaravelho fêmea põe seus ovos em áreas específicas da bola de esterco, garantindo que as larvas tenham comida quando eclodem.

Continua após a publicidade

5. Tipos de besouro rola-bosta

Existem três categorias de escaravelhos: roladores, escavadores e moradores. Roladores rolam esterco em bolas para viver e comer, escavadores de túneis enterram o esterco e os moradores simplesmente vivem nele.

6. Reação ao clima e orientação

Você pode ver um besouro rola-bosta subindo em cima de sua bola de esterco por vários motivos. Uma delas é que seus pés ficam quentes quando estão andando em terreno escaldante, então eles sobem em cima para esfriar os pés.

Em segundo lugar, os escaravelhos sobem mais alto para se orientarem usando até mesmo a Via Láctea para encontrar o caminho de casa! Interessante, não é mesmo?

7. Importância ambiental do besouro rola-bosta

Os besouros rola-bosta são muito influenciados por fatores ambientais. Dessa forma, mesmo odiados por alguns, eles desempenham um papel muito importante na agricultura e nas florestas tropicais, pois melhoram a fertilidade do solo e ajudam na reciclagem enterrando e consumindo esterco. Os escaravelhos também ajudam na dispersão de sementes presentes nas fezes dos animais.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Eles podem ajudar na construção do solo e na alteração da textura das partículas do solo, aumentando a porosidade e distribuindo microorganismos. Além disso, eles podem ser introduzidos em fazendas e pastagens e atuam como controle natural de pragas no dia a dia.

Por fim, os besouros rola-bosta podem se alimentar de esterco de gado e quebrar o esterco antes que os parasitas se reproduzam no esterco do gado e espalhem qualquer doença.

8. Comunicação

Como a maioria dos besouros, os besouros rola-bosta se comunicam com produtos químicos. Os machos usam o cheiro da fêmea para localizá-los. Eles têm visão limitada, o que os faz depender de cheiros e sons em alguns casos.

Ademais, eles geralmente raspam suas peças bucais ou esfregam as pernas em seus corpos para fazer sons. Escaravelhos que vivem em tambores de madeira morta fazem vibrações como forma de se comunicar com os outros.

Continua após a publicidade

9. Diferença de cores

Existem cerca de 5000 espécies de escaravelhos no mundo, sendo que 700 delas podem ser encontradas no Brasil.

Com efeito, eles diferem na cor dependendo da espécie. Por exemplo, nos países tropicais, os besouros são mais coloridos. Nas Américas, eles são principalmente de cor preta ou marrom escuro.

10. Ciclo de vida do besouro rola-bosta

Por fim, como todos os besouros, os escaravelhos sofrem metamorfose completa com quatro estágios de desenvolvimento: ovo, larva, pupa e adulto.

Assim, eles geralmente colocam seus ovos no chão, no esterco ou em outros materiais em decomposição, incluindo carniça. Em muitas espécies, as larvas se alimentam de raízes de plantas, embora algumas se alimentem diretamente de esterco ou carniça.

Continua após a publicidade

Em áreas com climas frios de inverno, as larvas normalmente se movem mais fundo no solo para sobreviver a temperaturas congelantes. E assim como as cigarras, eles então emergem como adultos no início do verão.

Então, gostou de saber mais sobre o besouro rola-bosta? Pois, leia também: Besouros – Espécies, hábitos e costumes desses insetos

Bibliografia

Santos-Heredia, C.; Andresen, E.; del-Val, E.; Zarate, D.A.; Mendoza, M.N.; Jaramillo, V.J. (2016). The activity of dung beetles increases foliar nutrient concentration in tropical seedlings. Biotropica, 48(5): 565–56.

Continua após a publicidade

Slade, E.; Riutta, T.; Roslin, T.; Tuomisto, H.L. (2016). The role of dung beetles in reducing greenhouse gas emissions from cattle farming. Scientific Reports, 6: 18140. doi:10.1038/srep18140.

Hammer, T.J.; Fierer, N.; Hardwick, B.; Simojoki, A.; Slade, E.; Taponen, J.; Viljanen, H.; Roslin, T. (2016). Treating cattle with antibiotics affects greenhouse gas emissions, and microbiota in dung and dung beetles. Proc. R. Soc. B., 283: 20160150.

Beiroz, W.; Slade, E.M.; Barlow, J.; Silveira, J.M.; Louzada, J.; Sayer, E. (2017). Dung beetle community dynamics in undisturbed tropical forests: implications for ecological evaluations of land‐use change.Insect Conservation and Diversity, 10(1): 94–106.

Fontes: Mega Curioso, Darwinianas, Super Interessante, UFLA

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você