Ciência & Tecnologia

Ciclone – O que é, como se formam e quais seus tipos

Um ciclone é formado em centros de baixa pressão e está associado à formação de nuvens, à umidade e a tempestades, levando a destruição.

Primeiramente, o ciclone é um fenômeno natural. Ele é formado em centros de baixa pressão e, inevitavelmente, ele é associado à formação de nuvens, à umidade e a tempestades. De fato, eles são formados, principalmente, sobre oceanos tropicais. Além disso, representa um sistema rotativo de nuvens e tempestades.

O que é um ciclone?

Ciclone – O que é, como se formam e quais seus tipos
Mundo Educação

O ciclone é um sistema de área de baixa pressão. Ou seja, é uma área que apresenta baixa pressão atmosférica se comparada à das áreas que a circundam. Além disso, eles possuem centro de circulação fechada no qual os ventos sopram para dentro, em volta do centro.

Como dito anteriormente, geralmente o ciclone surge sobre os oceanos tropicais. Apesar disso, tem bastante intensidade com duração de dias e longas distâncias.

Um fato curioso é a circulação dos ciclones. Ela se difere nos dois hemisférios: no Hemisfério Norte, gira no sentido anti-horário, e no Hemisfério Sul, no sentido horário.

Continua após a publicidade

Tipos

Tropical

Ciclone – O que é, como se formam e quais seus tipos
G1

Primeiramente, o ciclone tropical é quando acontece a baixa pressão ao redor dos trópicos. Sendo assim, apresenta grande umidade e alta temperatura, resultando em ventos de alta velocidade e tempestades torrenciais.

Extratropical

Ciclone – O que é, como se formam e quais seus tipos
Destino Florianópolis

A princípio, o ciclone extratropical é a baixa pressão fora dos trópicos, em locais de média e alta latitudes. Aqui é quando acontece a famosa frente fria com ventos fortes e chuvas moderadas.

Subtropical

Ciclone – O que é, como se formam e quais seus tipos
Solidário

Igualmente aos outros, é um sistema de baixa pressão, mas esse já está entre os trópicos. Seu centro possui temperaturas elevadas em comparação à atmosfera vizinha. Além disso, há ventos fortes e muita chuva.

Ciclone x Tornado x Furacão

Ciclone – O que é, como se formam e quais seus tipos
Super Interessante

Primeiramente, os fenômenos tornado, furacão e tufão são tempestades tropicais e classificações de ciclones. Assim, essas diferenciações apenas acontecem pelo local de origem e intensidade.

Continua após a publicidade

Em primeiro lugar, tornado é considerado um fenômeno com alto poder de destruição.  No entanto, sua duração é menor em comparação ao furacão. Em suma, os tornados são redemoinhos formados por uma tempestade. No caso de se formarem sobre a água, são nomeados de tromba d’água.

Em seguida, temos os furacões. Esses são tempestades tropicais com ventos em alta velocidade. A diferenciação entre furacão e tufão ocorre pelo local que são formados: se na porção leste do Oceano Pacífico ou no Oceano Atlântico, é o furacão. No entanto, se no oeste do Pacífico, mais precisamente na Ásia, é o tufão.

Ciclone e anticiclone

Ciclone – O que é, como se formam e quais seus tipos
Oráculo Meteorologia

Seguindo o sentido da palavra, o anticiclone é realmente o inverso do ciclone. Enquanto o ciclone é um sistema de baixa pressão atmosférica, o anticiclone apresenta pressão atmosférica elevada. Ou seja, ocorre uma zona de dispersão de ventos.

Portanto, isso ocorre porque as massas de ar possivelmente movimentam-se de uma zona de alta pressão para uma de baixa pressão. Logo, os ciclones representam regiões instáveis com fortes ventos e chuvas intensas. No entanto, os anticiclones são em regiões estáveis, normalmente seco e sem a presença de nuvens.

Continua após a publicidade

Diferente do ciclone, o anticiclone tem sentido de movimentação inverso. Portanto, sentido horário no Hemisfério Norte, e sentido anti-horário no Hemisfério Sul.

Ciclone no Brasil

Ciclone – O que é, como se formam e quais seus tipos
Veja

A princípio, entre os anos de 2004 e 2016, ocorreram no Brasil, dois ciclones tropicais e cinco subtropicais. Em sua grande maioria, ocorreram na região sul do país.

No entanto, apenas uma tempestade destas atingiu a costa brasileira. Em 2004, o ciclone extratropical Catarina atingiu a costa de Santa Catarina, o que acabou provocando 11 mortes e deixando mais de 27 mil pessoas desabrigadas.

Eçaí (2016) e Cari (2015) foram dois ciclones subtropicais que também foram motivos de danos ao litoral brasileiro. Ambos causaram estragos devido as fortes ventanias e chuvas em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Continua após a publicidade

E aí, gostou dessa matéria? Se gostou, veja a matéria a seguir também: Tufão e furacão são a mesma coisa? E ciclone e tornado?

Fontes: Brasil Escola; Mundo Educação.

Imagem de Destaque: Flyertalk

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você