Viagem

Como planejar sua primeira viagem internacional: passo a passo completo

Vai fazer sua primeira viagem internacional? Preparamos um guia completo com os documentos necessários, o que deve planejar, como escolher o melhor assento e assim por diante, para ter a viagem dos sonhos.

Por Thamyris Fernandes

-

Apesar do Brasil ser um país fantástico, é difícil conhecer alguém que não queira se aventurar por outras culturas ao redor do mundo. Mas, para quem nunca saiu do Brasil, a primeira viagem internacional pode ser um desafio. Aliás, se não for bem planejada e assegurada, sua primeira viagem internacional corre o risco de ser um verdadeiro desastre.

Se você está pensando em ter sua primeira vez em breve, não se preocupe que nós vamos ajudar. Nós, do Segredos do Mundo, preparamos uma espécie de guia resumido sobre tudo o que você precisa saber e fazer ao decidir que chegou a hora de se aventurar fora do país pela primeira vez.

E, se você pensa que a principal barreira para o sucesso das suas férias é a língua estrangeira, melhor ler esse post com atenção. Como você vai perceber, apesar de não conhecer a língua falada no país escolhido, a primeira viagem internacional pode ser tornar um tormento caso você não tome algumas medidas na preparação de tudo.

A contratação de um seguro de viagem é um excelente exemplo. As pessoas costumam pular essa etapa no planejamento, mas a coisa pode ficar realmente séria caso você fique doente ou sofra um acidente longe de sua terra natal. Mas, vamos ao passo a passo do que você realmente precisa saber antes de viajar pelo mundo.

Guia da primeira viagem internacional:

1. Seu passaporte está em dia?

Vai fazer sua primeira viagem internacional? Tem preocupe-se com o passaporte. Ele vai ser seu documento oficial fora do Brasil, a não ser em alguns lugares da América do Sul, onde ele não é obrigatório.

Aliás, se você vai para algum destino que precisa de visto para entrar, é no seu passaporte que essa autorização vai estar. Portanto, não deixe para tirar ou renovar esse documento de último hora, já que a liberação dele pode enrolar bastante. Ah, e só para lembrar, alguns países exigem que o passaporte tenha, no mínimo, 6 meses de validade.

2. Vai precisar de visto?

Falando em visto, aí vão alguns países onde brasileiros precisam, obrigatoriamente, de visto para entrar: China, Japão, Canadá, Austrália e casos especiais como Dubai. Claro, para os Estados Unidos também é preciso, mesmo que o país seja apenas uma parada em sua viagem.

Aqui, aliás, já ensinamos o passo a passo para tirar, ou melhor, solicitar o tão desejado visto para os Estados Unidos.

Mas, claro, nem todo lugar existe essa burocracia no caso dos brasileiros, como você também já conferiu aqui.

3. Como saber qual vacina você precisa tomar

Estar com a vacinação em dia também é uma etapa primordial no caso de alguns países. A imunização contra a febre amarela, aliás, é uma das comprovações internacionais de vacinação mais solicitadas.

Para saber se essa é o caso do seu destino, consulte nesse link. Você também pode saber quais os locais mais próximos para emissão do documento de comprovação e para tomar as doses das vacinas exigidas nesse outro link aqui.

4. A arte de comprar passagens mais baratas

Em determinadas épocas do ano, dias da semana e até mesmo em alguns horários do dia é possível fazer compra de passagens, mesmo as internacionais, muito mais baratas.

Por isso, antes de comprar seus tíquetes para sua primeira viagem internacional, confira também as dicas dessa outra matéria (clique para ler).

5. Escolha o melhor assento

Por ser uma viagem de muitas horas, é preciso pensar em conforto no avião. Para isso, toda atenção (e ajuda) é pouco na hora de escolher seu assento.

Existem até mesmo sites que ajudam a descobrir qual a melhor opção para seu voo, sabia? Bons exemplos são Seat Guru, Expert Flyer, Business Traveller. Com esse tipo de ferramenta, é possível saber, por exemplo, se existe a possibilidade de reservar um assento conforto sem taxas extras.

Mas, claro, a principal dica é: não deixa essa escolha para a última hora, como só para a hora do check-in. Apesar de ser possível pedir um upgrade no aeroporto, é bem mais tranquilo fazer a escolha mais cedo, com calma e com bastante tempo para analisar as opções.

6. Restrições alimentares? Necessidades especiais?

As companhias internacionais também oferecem refeições durante os voos, com o valor incluso na passagem (normalmente). Caso você tenha alguma restrição alimentar, por exemplo, você pode entrar em contato antes com a empresa com a qual voará e avisar sobre o que você pode ou não ingerir.

Isso também é válido para pessoas que precisam de atendimento especial durante o voo, como passageiros com dificuldade de locomoção, por exemplo.

7. Milhas para garantir outras viagens mais baratas

Viagens internacionais são excelentes formas de acumular uma quantidade gorducha de milhas, sabia? E você pode garanti-las antes mesmo do embarque. O processo, aliás, funciona da mesma forma que com os voos domésticos, com a diferença de que a pontuação também é válida para companhias aéreas parceiras.

Você também pode pegar as milhas na hora do check-in ou depois do voo. Mas, quanto antes melhor.

8. Orçamento bem calculado é o segredo do sucesso

Gastos com hotéis, alimentação, transporte, passeios, compras e até um extra para imprevistos devem ser considerados para sua primeira viagem internacional (e para todas as outras que você resolver fazer na vida).

Para isso, você precisa decidir como quer viajar. Se for ficar em albergues, por exemplo, o custo será muito mais em conta que se ficar nos tradicionais hotéis. Fazer compras em supermercados ficará infinitamente mais barato que comer em restaurantes, e assim por diante.

Para que o dinheiro não acabe antes da viagem, especialmente se o orçamento estiver curto, calcule uma margem de quanto será permitido gastar por dia. E não vale fazer contas que comprometam seu orçamento real, já que as contas básicas aqui no Brasil não deixarão de chegar só porque você está tendo as férias dos seus sonhos.

A moeda é outra preocupação. Faça uma pesquisa sobre o destino, qual moeda é usada lá e quanto está o câmbio e as taxas de IOF na hora de trocar. Em algumas ocasiões, é mais vantajoso comprar a moeda local no próprio país, outras vezes é bom levar o dinheiro já trocado do Brasil.

Cartões de crédito e cartões de viagem também podem ser úteis, mas vale a pena verificar se os cartões são amplamente aceitos no país de destino e se o câmbio também é favorável. Tudo para a fatura não ser uma surpresa desagradável.

9. Roteiro: pensando “tim tim” por “tim tim”

Uma boa forma de reduzir as chances de ter problemas no exterior é pesquisando, de forma completa e consistente, os destinos de sua viagem.

Montar roteiros de cidades e de passeios, o quanto custa para entrar em atrações turísticas, saber qual o clima da região, o tipo de roupas permitidos em cada lugar (dependendo da cultura isso é primordial), pensar nas formas de transitar de um lado para o outro e assim por diante, evitam que você se enfie em encrencas fora do Brasil.

10. Reservas com antecedência = tranquilidade

Depois que você estiver com o roteiro de viagem pronto, chegou a hora de reservar o lugar onde vai se hospedar. Leve em consideração não só o preço, mas também a localização do estabelecimento, a acessibilidade aos transportes públicos e assim por diante.

Nesse momento, também é legal já se preparar para as viagens internas que você fará no país que estiver visitando. Decida se vai alugar um carro (e se sua habilitação é válida no local), se via de avião, trem, metrô, navio e, o principal, não deixe para definir isso de última hora.

Você pode comprar as passagens e fazer a reserva do carro com antecedência, ainda no Brasil, por exemplo. Isso vai deixar seu tour ainda mais tranquilo.

11. Tenha sempre um seguro viagem

Ninguém quer sair do Brasil imaginando que coisas ruins podem acontecer, mas a verdade é que elas podem mesmo. Para se proteger enquanto estiver fora do país, especialmente quanto à sua saúde, tenha sempre uma assistência ao viajante

Aliás, nos países europeus que seguem o Tratado de Schengen, a contratação de um seguro de viagem ou de assistência ao viajante com uma cobertura mínima de 30.000 euros, é obrigatória para todos os turistas.

E, a boa notícia é que existem seguros para todos os bolsos. Saiba mais sobre o Seguro viagem internacional nesse link e viagem com muito mais segurança.

12. O jeito certo de fazer as malas

Não, o planejamento da viagem não é o único desafio que você vai enfrentar. Fazer as malas pode ser também um quebra-cabeça, especialmente quando se trata da primeira viagem internacional.

Fique atento ao limite de peso estipulado pelas companhias aéreas, considere o espaço para as lembrancinhas na volta, pense sobre o clima do país e do trajeto também.

Nesse outro link aqui você pode conferir algumas dicas indispensáveis na hora de fazer as malas.

13. Cheque a documentação necessária

Para sua segurança, alguém no Brasil precisa saber todos os passos que você planejou em seu roteiro de viagem. Com essa pessoa de confiança, você deve deixar as cópias de suas passagens, do passaporte, das reservas de hotéis e assim por diante. Estabelecer formas e períodos de contato com essa pessoa também garante que ela poderá ser útil, caso aconteça algum imprevisto.

A cópia de toda a documentação também deve ficar com você, de forma impressa e digital. Isso evita, por exemplo, que você tenha problemas com a imigração em caso de perda ou furto de seus documentos.

Vale lembrar que o número de atendimento ao cliente no Brasil e no exterior devem estar anotados e em um local que você tenha fácil acesso. Cancelamento de cartões podem causar a maior dor de cabeça em uma viagem internacional.

14. E durante o trajeto, o que fazer?

Esteja sempre atento às informações no aeroporto, nas conexões e assim por diante. Chegue com pelo menos três horas de antecedência do seu embarque e nunca exite em perguntar, caso tenha alguma dúvida. Sobre isso, aliás, vale aprender algumas palavras-chaves na língua nativa do país para onde você vai e, claro, o inglês sempre salva.

Tente se informar sobre os aeroportos por onde você vai passar, sobre as conexões que fará na ida e na volta.

Na imigração, vale sempre a verdade e tenha em mãos seus documentos, as passagens e as reservas de sua hospedagem.

Vale lembrar também que você deve ficar ligado na hora de pegar suas malas. Casos de extravio, infelizmente, podem acontecer, mas você só precisa entrar em contato com sua companhia aérea para resolver o problema. Por causa disso, vale sempre ter aquela peça de roupa coringa na mala de mão, e deixar ali seus pertences pessoais mais importantes, especialmente sua documentação.

No mais, a gente deseja a você uma excelente primeira viagem internacional!

Fontes: Quero viajar mais, Melhores destinos, Segredos do MundoAssegure sua viagem

Imagens: Câmbio Curitiba, US Tour Travel Operator, Sweet Way, Quero viajar mais, Deposit Photos, Espaço Saúde da Mulher

Próxima página »

Escolhidas para você