Ciência & Tecnologia

Coulrofobia, o que é? Como a fobia se desenvolve? Tem tratamento?

Palhaços são a personificação da alegria e das risadas, certo? Não para todo mundo. Há quem tenha coulrofobia de tanto pavor dessa figura.

Desde os primórdios da arte teatral, a figura do palhaço aparece. Com o intuito de divertir as pessoas, os palhaços, normalmente, usam muita maquiagem e fazem piadas junto com um jeito desengonçado. Porém, não é todo mundo que acha esse personagem divertido. Aliás, muita gente tem até coulrofobia.

A coulrofobia é o medo de palhaços. Quem tem isso pode vir a sentir um grande desconforto com a imagem desse personagem. Inclusive, há pessoas que chegam a sentir ansiedade, a suar excessivamente e até a sentir o coração acelerado.

Essa fobia pode vir a se apresentar na infância, na adolescência ou na vida adulta. Contudo, para se ter coulrofobia, a pessoa tem que ter vivido alguma experiência traumática, ou ter sido exposto a situações desagradáveis que envolvam a figura do palhaço.

Mesmo que o objetivo desse personagem seja divertir a plateia, existe uma memória inconsciente coletiva de que palhaços são seres malignos. Sobretudo, na história da humanidade, existem vários relatos de palhaços macabros.

Continua após a publicidade

Ou você vai dizer que não conhece pelo menos uma história macabra com eles?

A popularização do palhaço-macabro

Culturalmente, tem-se registro dessa figura tragicômica em civilizações muito antigas, como Egito antigo e Europa medieval. A princípio, os palhaços serviam apenas para entreter. Eles eram o famoso “bobo da corte” e foram até usados nas obras de Shakespeare. Esse autor usou da teatralidade e do alívio cômico dos palhaços para escrever Macbeth (1606), Antônio e Cleópatra (1607) e Hamlet (1609).

Contudo, foi o britânico Joseph Grimaldi a ser o primeiro palhaço a surgir nos palcos circenses, em 1820. Ele usava maquiagens, perucas e roupas de cores muito fortes. Muitas pessoas que assistiam seus espetáculos e conviviam com ele relatavam sentir um grande desconforto.

Em suma, seus adereços lembravam machucados e sujeiras. Grimaldi também tinha uma má fama por ser depressivo e abusador com os filhos. É neste ponto que surge a ideia de que toda a maquiagem de alegria esconde uma figura assustadora. Com Grimaldi, as pessoas começam a ligar a figura do palhaço ao sentimento de desconfiança e, consequentemente, o do medo do desconhecido.

Continua após a publicidade

De lá para cá, outras histórias ruins aconteceram ou foram criadas envolvendo a figura do palhaço. A própria história de Grimaldi inspirou  Charles Dickens a escrever The Pickwick Papers (1837) onde o protagonista é cômico e horripilante ao mesmo tempo.

Outro exemplo é o maior inimigo do Batman, o Coringa. E o personagem clássico do livro It de Stephen King, o assustador Pennywise. O personagem de Stephen, inclusive, foi inspirado no assassino em série John Wayne Gacy. John viveu nos Estados Unidos e usava uma fantasia de palhaço para sequestrar e matar meninos. Ao total, ele assassinou 33 homens.

Sobretudo, essa popularização da imagem negativa de palhaços, de que eles nunca são o que parecem ser, criou essa memória ruim no inconsciente da humanidade vindo a despertar a coulrofobia.

Coulrofobia - entenda o que é este medo de palhaços
O palhaço Pennywise – Fonte: Conteudo

Tratamento da coulrofobia

Contudo, existe tratamento para quem enfrenta essa fobia. Em suma, a pessoa pode procurar fazer terapia e hipnose. Sobretudo, essas técnicas ajudam a dissociar da imagem dos palhaços um sentimento ruim. Quem sofre de coulrofobia pode vir a sentir bem estar e a conviver com a figura desse personagem.

Continua após a publicidade

Após um período de tratamento é totalmente possível que o coulrofóbico consiga consumir a imagem de palhaços novamente. No entanto, é importante respeitar o seu tempo e as suas limitações.

Coulrofobia - entenda o que é este medo de palhaços
Fonte: 1ZOOM

Se você quiser se aprofundar no assunto, leia também: Palhaços – Por que algumas pessoas têm medo deles?

Fonte: EstarSaudeMental MinhaVida RevistaGalileu

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você