Ciência & Tecnologia

Erupções vulcânicas: como acontecem na natureza?

As erupções vulcânicas acontecem a partir do extravasamento do magma acumulado em altas condições de temperatura e pressão dentro dos vulcões.

As erupções vulcânicas são fenômenos naturais que decorrem da evacuação do magma na superfície do planeta. Em outras palavras, é a saída do magma, pedaços de rochas, gases e cinzas por conta do vulcanismo. No geral, essa substância tem como composição rochas e minerais derretidos por conta das altas temperaturas no núcleo da Terra.

Sendo assim, quando o magma entra em contato a superfície por meio das erupções vulcânicas, o magma torna-se a lava. Logo em seguida, a solidificação origina as rochas vulcânicas ou magmáticas. Apesar disso, existem diferentes tipos de erupções vulcânicas, assim como diferentes vulcões.

Em resumo, um vulcão é uma estrutura geológica que se forma a partir do choque das placas tectônicas. Como consequência, surge um reservatório de magma no espaço desse choque, como uma bolsa. Portanto, a erupção vulcânica que conhecemos surge no instante em que essa bolsa se enche e o magma precisa ter vasão para superfície.

Comumente, não existe vulcanismo no Brasil, pois o território está longe de uma zona de congruência de placas tectônicas. Por outro lado, estima-se que os ciclos tectônicos que formam os vulcões e as erupções duram cerca de 300 milhões de anos. Por fim, quando esse ciclo termina, também chega ao fim a atividade vulcânica.

Erupções vulcânicas: como acontecem na natureza?

Como ocorrem erupções vulcânicas?

Como citado anteriormente, as erupções vulcânicas surgem por conta das forças internas da Terra. No geral, é essa estrutura que mantêm o manto e o material magmático em atividade. Ademais, vale relembrar as aulas de Geografia sobre a litosfera, uma camada sólida do planeta que consiste em vários blocos rochosos em fragmentos.

Continua após a publicidade

Em outras palavras, esses blocos rochosos fragmentados chamam-se placas tectônicas, e também estão em constante movimento. Nesse sentido, o movimento das placas cria uma agitação no magma. Além disso, essa movimentação das placas cria alterações na superfície, no caso, formando os vulcões.

Porém, a agitação faz subir consigo o magma, que ficam acumulados na câmara magmática e podem, ou não, encontrar vasão para a superfície por meio das erupções vulcânicas. Em resumo, a agitação e as condições de alta temperatura e pressão no interior do planeta causam essas explosões do magma, expelindo a lava a temperaturas maiores que 1000 ºC

Curiosamente, a lava é uma mistura de minerais naturais que existem no interior da Terra, como é o caso do magnésio e do ferro. Por outro lado, as erupções vulcânicas dividem-se em dois tipos: efusivas e explosivas. Mais ainda, há o tipo misto, ou seja, que acontece com alternância de lava fluida e lava viscosa.

A princípio, as efusivas tem como característica principal os derrames de lavas. Em contrapartida, as erupções explosivas envolvem o lançamento violento de materiais no ar. Ou seja, há uma junção de lava com rochas, minérios e gases a céu aberto. Por fim, existem ainda subtipos mais específicos.

Curiosidades sobre o fenômeno

No geral, existem cerca de 1500 vulcões ativos em todo o planeta Terra. Porém, os países com maior número de estruturas geológicas dessa natureza são o Chile, Japão, Indonésia, Estados Unidos e Rússia. Em resumo, essas nações compões o Círculo de Fogo do Pacífico, uma área em que acontecem mais atividades sísmicas e de vulcanismo, como erupções vulcânicas.

Por outro lado, o vulcão ativo há mais tempo, ou seja, com maior número de erupções vulcânicas ou atividade dessa naturza, é o Yasur. Basicamente, está localizado na ilha de Tanna, em Vanuatu. Ademais, tem erupções constantes há 111 anos, com intervalos curtos, variando entre 3 a 4 minutos.

Continua após a publicidade

Apesar disso, os fenômenos são leves e não comprometem a segurança no local. Porém, especialistas em vulcanismo estimam que no planeta Terra, cerca de 70 vulcões entram em erupção todos os anos. Nesse sentido, cabe citar que a erupção vulcânica mais catastrófica da história aconteceu em Tambora, em 1815, com a mais de 100 mil vítimas.

Posteriormente, adotou-se uma política internacional mais rígida de controle e acompanhamento das atividades sísmicas e de vulcanismo. No entanto, o episódio entrou para a história por ter escurecido o céu em países na outra ponta do globo. Por fim, o vulcão com maior número de erupções é o Kilauea, no Havaí, que está em atividade ininterrupta há mais de 30 anos.

E aí, aprendeu sobre as erupções vulcânicas? Então leia sobre Sangue doce, o que é? Qual a explicação da Ciência

Próxima página »

Escolhidas para você