Estilo

História da Balenciaga: trajetória da marca com estilo e glamour

Você pode precisar de alguns milhões para fazer compras na Balenciaga, mas se o fizer, terá a garantia do armário que é a inveja de bilhões.

Se você é fã de alta costura, o nome Balenciaga dispensa apresentações. Fundada pelo designer espanhol Cristóbal Balenciaga, é uma marca que conquistou sozinha o mercado em seu lançamento em 1917. Mais de um século depois, ainda é um dos maiores nomes da moda do mundo.

Vamos conhecer a história da grife de luxo espanhola neste artigo!

História da Balenciaga

Tudo começou em 1917, quando um designer espanhol chamado Cristóbal Balenciaga abriu sua primeira boutique em San Sebastián, na Espanha. Seus designs impecáveis ​​e seu bom gosto escandaloso logo lhe renderam o apreço dos ricos e famosos, para não mencionar vários membros da família real espanhola.

Mas então estourou a Guerra Civil Espanhola. Com seus clientes lutando ou fugindo da guerra, Cristóbal foi forçado a fechar as portas de sua operação espanhola e bater em retirada apressada para a França. Como se viu, foi a melhor jogada de carreira que ele já fez.

Continua após a publicidade

Uma vez instalada em Paris, a Balenciaga começou a se reerguer. Em 1937, ele conseguiu juntar as coisas o suficiente para abrir uma casa de alta costura na Avenue George V. Nas décadas seguintes, ele começou a redesenhar a moda feminina do zero.

A estética única de seus designs capturou os corações e a imaginação de legiões de mulheres, com alguns de seus clientes mais famosos; incluindo Pauline de Rothschild, Bunny Mellon, Marella Agnelli, Hope Portocarrero, Gloria Guinness, Jackie Kennedy e Mona von Bismarck. Enquanto isso, sua visão inspirada da alta costura revolucionou efetivamente a indústria.

Quem foi Cristóbal Balenciaga?

Filho de um pescador e de uma costureira, Cristobal Balenciaga nasceu em 1895 em Getaria, pequena cidade do País Basco, na Espanha.

Quando criança, ele sonhava em se tornar designer e passava muitas horas desenhando. Com apenas 13 anos, copiou uma roupa da marquesa da Casa Torres – mãe da futura rainha Fabíola da Bélgica – que a determinou a mandá-lo para uma escola de alfaiataria.

Continua após a publicidade

Em 1917 abriu sua primeira oficina em San Sebastian – o lugar favorito da aristocracia da época – onde fez seu nome. Posteriormente, na década de 1930 Cristobal Balenciaga já tinha enorme prestígio na Espanha.

Outras oficinas se seguiram em Madri e Barcelona, ​​mas em 1936 a guerra civil começou e ele foi forçado a se mudar para Paris, onde abriu uma casa de Alta Costura no 10th George V Boulevard.

Cristobal Balenciaga tornou-se um mestre da Alta Costura, exibindo algo novo em cada coleção. Desde 1939, ele tem uma linha com ombros caídos e quadris arredondados, um estilo que antecipa o novo visual de Christian Dior.

Pouco depois, reinventou a figura feminina com seus modelos vanguardistas: o vestido bolsa, a manga três quartos, a saia balão, a cintura alta, a túnica cai e a manga morcego.

Continua após a publicidade

Inovadora em tecidos, em 1960, a Balenciaga introduziu tecidos pesados, bordados intrincados e materiais de cores vivas. A marca se destaca com golas levemente afastadas do decote e mangas três quartos.

Estilo Balenciaga

O estilista sempre buscou o modelo feminino perfeito e elegante. Como a roupa era para ele a casa do corpo, considerava que cada corpo era diferente dos demais, buscando a perfeição em todas as suas criações.

Além disso, suas modelos nunca foram bonitas, eram mulheres maduras com estrutura corporal, destinadas a mostrar à clientela que qualquer um pode ficar bem em suas roupas.

Cristobal Balenciaga se opôs ao ideal de beleza promovido pela revista Vogue ou Harper’s Bazaar, considerando-o irreal. Desse modo, nas revistas, suas roupas apareciam sem cabeça e eram fotografadas por trás.

Continua após a publicidade

Em suas oficinas, havia respeito e amor pela criação. Desta forma, ganhou a atenção e admiração da crítica internacional e a fidelização de uma clientela da alta sociedade europeia e norte-americana, como atrizes ou representantes das casas reais – rainhas, princesas, etc.

Portanto, Cristobal Balenciaga revelou uma nova figura feminina, partindo de seu próprio sistema de proporções estéticas.

Renascimento da marca até os dias atuais

Após anos de atividade, Cristobal se aposentou em 1968, sendo sua última aparição pública no funeral de Coco Chanel em 1971.

Um ano depois, em 23 de março de 1972, morreu em Jávea, tão discretamente quanto viveu sua vida, encerrando o casamento vestido para Carmen Martínez Bordiú – sobrinha de Franco – que se casou com o Duque de Cádiz. Ele também conseguiu fazer os uniformes para as aeromoças da Air France.

Continua após a publicidade

Exemplo de profissionalismo e discrição, Cristobal Balenciaga deu uma única entrevista, afastando-se dos holofotes e frivolidades da moda.

A Casa da Balenciaga ficou fechada até 1986, quando foi adquirida pelo grupo Jacques Bogart, e Nicolas Ghesquière foi por muito tempo diretor criativo, colocando a casa de volta no mapa da moda.

Em 2000, a Prefeitura de Getaria criou a Fundação Balenciaga, com o objetivo de conhecer a trajetória que Balenciaga teve na história da moda mundial. O seu nome denota um prestígio que perdura no tempo e um legado que poucos designers adquiriram.

Nicolas Ghesquiere

Nicolas Ghesquiere chegou à Balenciaga em 1995 como relativamente desconhecido. Embora a Balenciaga ostentasse um tremendo legado, ironicamente ela havia saído de moda.

Continua após a publicidade

Dois anos depois, Ghesquière foi promovido a diretor criativo e o renascimento começou. Ele reconheceu a história do design da Balenciaga, mas se absteve de qualquer sentimentalismo sobre isso. Sua visão não era meramente moderna, era futurista.

Assim, ele abraçou tecidos de alta tecnologia, uma urbanidade estimulante e uma visão das mulheres como uma espécie de super-herói que só a ficção científica poderia criar.

Em 2000, a Balenciaga foi incorporada ao Grupo Gucci – agora PPR Luxury – durante uma onda de compras corporativas liderada por Domenico de Sole e Tom Ford. Em sua nova casa e graças a um importante negócio de acessórios e inúmeras coleções aclamadas pela crítica, a marca prosperou.

Contudo, em 2012, Ghesquière anunciou seu desligamento da marca.

Continua após a publicidade

Demna Gvasalia

Em 2012, Nicolas Ghesquière foi substituído pelo designer Alexander Wang, mas permaneceu nessa posição por apenas 3 anos. Finalmente, em 2015, Demna Gvasalia , que deu uma segunda vida à casa de moda, tornou-se a nova diretora criativa da marca.

Demna nasceu na Geórgia em 1981. Quando ele tinha 12 anos, sua família se mudou para Dusseldorf, Alemanha. Mais tarde, estudou economia internacional na Tbilisi State University e posteriormente frequentou a Royal Academy of Fine Arts em Antuérpia, onde se formou com mestrado em design de moda.

Como diretor criativo da Balenciaga, Demna não só conseguiu agitar a indústria da moda, mas também criou novas regras. Demna sabia bem que esporte e moda são quase inseparáveis ​​hoje.

Por isso, quando a casa de moda Balenciaga lançou seus famosos “tênis feios”, eles conquistaram instantaneamente os corações dos fashionistas de todo o mundo, enquanto outras marcas começaram a copiá-los.

Continua após a publicidade

Gvasalia conseguiu fazer o inacreditável, ou seja, ele mudou a compreensão do que é a beleza. Se os designers anteriores estavam tentando principalmente fazer a perna de uma mulher parecer elegante, ele convenceu a todos que sapatos enormes eram uma nova tendência.

Metaverso

No Metaverso, Balenciaga foi a primeira marca de moda a fazer parceria com o jogo online Fortnite. A grife de luxo propôs vender quatro itens de assinatura de sua coleção para servir de skin e acessórios para avatares no jogo.

O diretor criativo da marca de moda de luxo, Demna Gvasalia, sempre tem algo novo a oferecer. E, desta vez, borrando as linhas entre o físico e o digital o modelo de Balenciaga foi transformado em um avatar digital chamado ‘Doggo’, que usa roupas Balenciaga na arena Fortnite .

Polêmicas envolvendo a Balenciaga

Bolsa saco de lixo

Não é de hoje que a Balenciaga coleciona polêmicas, sendo a mais recente o lançamento de uma bolsa que se assemelha a um saco de lixo. O ‘Balenciaga Trash Pouch’ é um item de couro de bezerro que está disponível em 4 tons de cores diferentes.

Continua após a publicidade

Ele recebeu duras críticas dos internautas, pois, como eles apontaram, seu design parece um saco de lixo comum e atual; além do fato de que o seu preço é de mil 790 dólares.

Crocs com salto

Outro artigo que gerou debate foi um crocs com salto. Aliás, um dos modelos que ganhou mais atenção nas redes sociais foi o chamado ‘Crocs Madame’. Em suma, ele tem a forma original dos sapatos de borracha; no entanto, tem um pequeno salto na parte de trás.

Para conseguir esses tênis, as pessoas tiveram que desembolsar US$ 625. E embora parecesse estranho para os usuários, o modelo estava em grande demanda na época.

Tênis desgastados

Em maio deste ano, a Balenciaga anunciou pela Internet que estava prestes a lançar novos modelos de tênis, mas ninguém esperava que eles tivessem o design de pares antigos e desgastados.

Continua após a publicidade

Os modelos ‘Paris Sneaker’ foram feitos com um propósito, mostrar como seria um par de sapatos de lona depois de 100 anos, segundo a revista ‘Vanity Fair’.

As imagens dos tênis (que variavam de preço e cores) viraram as redes sociais logo após serem publicadas, gerando diversos comentários, além de memes criativos.

Moletom rasgado

Até aqui, o público já entendeu o gosto da marca pelo estilo desgastado e quebrado. Outro exemplo claro disso foi quando, no início de 2022, foi posto à venda um modelo de moletom rasgado, o que teve um impacto negativo nas redes sociais, já que os usuários criticaram seu valor de 1.250 dólares.

Fontes: Pegueibode, Etiqueta Única, Stealthlook, Área da Mulher

Continua após a publicidade

Então, gostou deste conteúdo? Pois, leia também: Conheça tudo sobre a história do jeans

Próxima página »

Escolhidas para você