História

14 idiomas mais antigos do mundo (que ainda são falados)

Já se perguntou como surgiram os idiomas? Ou ainda quais seriam os idiomas mais antigos do mundo? E sabe de onde eles vieram?

Desde os primórdios, o ser humano se destaca devido sua capacidade de comunicação. Seja por gestos, imagens ou letras. Falando nisso, já se perguntou quais são os idiomas mais antigos do mundo? E como será que tudo isso começou?

Basicamente, usamos a língua em todos os momentos de nossa vida. E o mais interessante é que civilizações de várias regiões do mundo – sem nem mesmo conhecerem a existência uma das outras -, criaram idiomas diversificados.

Como por exemplo, a primeira língua falada que se tem testemunhos gráficos, suspeita-se, pode ter sido a Suméria. Você já tinha ouvido falar nisso?

Basicamente, suas primeiras inscrições tem origem em 3000 a.C. Além do mais, o seu alfabeto é cuneiforme, ou seja, gravada com objetos em forma de concha.

Continua após a publicidade

Abaixo, com você vai ver, selecionamos muito mais informações e curiosidades sobre este e outros dos idiomas mais antigos do mundo.

Os idiomas mais antigos do mundo

1- Indiano indo-iraniano

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Vale ressaltar que, a até meados do ano 1000 a.C., essa língua era dividida em duas partes: a primeira é o ramo indiano ou indo-ário; e a outra, iraní ou persa.

Sobretudo, o ramo indiano desenvolveu-se no noroeste da Índia. Porém, sua história pode ser dividida em três grandes etapas: o indiano antigo, que inclui o védico e o sânscrito.

Continua após a publicidade

Assim sendo, o indiano médio possui dialetos vernáculos do sânscrito, chamados prácritos. Dentre eles, procede o páli, que é a língua sagrada dos textos budistas, e ainda o indiano novo ou moderno.

Sobretudo, as línguas mais relevantes desse idioma, são o híndi e o urdu. Tanto é que a híndi, a qual tem origem no sânscrito, é falada por cerca de 180 milhões de hindus. Por outro lado, a segunda, de origem persa, é considerada a língua dos muçulmanos e também está entre os idiomas mais antigos do mundo.

No mais, existem outras línguas indianas. Como por exemplo, o bengali, que tem mais de 120 milhões de falantes em Bengala e Bangladesh.

Além dessas, o penjabi, o biari, o cingalês, que é o idioma oficial do Sri Lanka e o romani, que é a língua dos ciganos. Vale destacar que cerca de 150 milhões de pessoas falam as 23 línguas dravídicas, principalmente no sul da Índia.

Continua após a publicidade

Inclusive, dentre essas, quatro têm condições para serem idiomas oficiais. São eles o tamil, télugo, canará e malaio. Basicamente, eles contam com produção literária e escrita autônoma.

2- Língua japonesa

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

A priori, essa língua é falada por mais de 120 milhões de pessoas somente no Japão. Ela ainda é falada por mais de 200 mil no Havaí, por 200 mil nos Estados Unidos e por quase 400 mil no Brasil.

Aliás, uma curiosidade sobre essa língua é que não existem relações entre ela e outros idiomas. Inclusive, a única semelhança é no léxico com as línguas do leste da Ásia, como as tibetano-birmanas e as austro-asiáticas.

Continua após a publicidade

Assim sendo, a partir do século VIII em diante, os caracteres da língua chinesa passaram a ser utilizados como sinais fonéticos. Ou seja, cada signo representava uma sílaba.

Ainda que seja um dos idiomas mais antigos do mundo, o idioma passou por mudanças após cerca de um século, quando os caracteres foram abreviados. Por isso, deram lugar à aparição de dois silabários japoneses ou kana, que consistem em um “sinal que representa uma sílaba”: o katakana e o hiragana.

O mais interessante, contudo, é que logo depois da II Guerra Mundial, o número de caracteres de representação desse idioma caiu para 1.850. Porém, depois de um tempo, esse número acabou subindo novamente para 2 mil. Vale destacar que isso foi tudo um processo para tentar simplificar a língua escrita.

3- Hieróglifos

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Continua após a publicidade

Primeiramente, os hieróglifos podem ser definidos como uma escrita sagrada, a qual era usada no Egito antigo. Inclusive, era uma escrita reservada às pessoas que supostamente tinham poder divino, como sacerdotes e membros da realeza.

Sobretudo, alguns estudiosos afirmam que essa escrita pode ter começado em tempos pré-históricos, por meio de imagens. Aliás, foram eles que estabeleceram símbolos para todas os sons consonantais da língua. Tanto é que durante 3000 anos constituíram a linguagem monumental do Egito.

Porém, a última inscrição conhecida de hieróglifos é do ano de 394 d.C., quando o Egito era uma província romana. Até porque muitos acreditam que vários hieróglifos sofreram alterações propositais pelos escribas sacerdotais. Basicamente, a intenção era tornar os sinais e o conhecimento incompreensíveis para a maioria dos egípcios.

Inclusive, somente em 1822, um linguista francês conseguiu provar que aqueles desenhos podiam formar palavras relacionadas com as imagens. Portanto, daí em diante, os homens do Ocidente começaram a compreender a linguagem e o próprio povo egípcio, até então misterioso.

Continua após a publicidade

4- Torre de Babel – História da Torre de Babel

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Primeiramente, vale contar sobre a Torre de Babel, não é mesmo? A história, aliás, é contada no Antigo Testamento, no livro de Gênesis.

A Bíblia, então, conta que a torre foi construída na Babilônia, pelos descendentes de Noé. Inclusive, eles montaram a torre com a intenção de eternizar seus nomes.

Basicamente, eles queriam construir uma torre para alcançar o céu. Porém, esse ato soberbo não agradou tanto assim a Deus.

Continua após a publicidade

Portanto, para castigá-los, Ele confundiu as línguas das pessoas e as espalhou por toda a Terra.  A intenção era que, devido à soberba, eles não conseguissem mais se comunicar umas com as outras.

O mais interessante de tudo é que a história da Torre de Babel tem inspiração no templo de Marduk. Esse nome, em hebraico, é Babel ou Bavel e significa “porta de Deus”.

Sobretudo, vale destacar que hoje em dia, esse mito é visto como uma tentativa dos povos antigos de explicarem a origem dos idiomas mais antigos do mundo. Inclusive, ainda restam no sul da antiga Mesopotâmia, ruínas de torres que se ajustam perfeitamente à torre de Babel descrita pela Bíblia.

Além do mais, foram os fenícios os responsáveis pelo alfabeto Árabe, grego, hebraico e latino. Sobretudo, esses povos eram chamados de sidônios no Antigo Testamento, e de fenícios, pelo poeta Homero. Foram eles, aliás, que fundaram as primeiras povoações na costa mediterrânea, por volta de 2500 a.C.

Continua após a publicidade

5- Língua Persa – História da Língua Persa

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Primeiramente, essa língua é a mais significativa no ramo iraniano. Basicamente, ela faz parte da subfamília das línguas indo-iranianas, que pertencem ao conjunto indo-europeu. Além do mais, ela é o o idioma do Irã, o qual antes era conhecido como Pérsia.

É também falada no Afeganistão e, em forma arcaica, no Tajiquistão e na região de Pamir. Sobretudo, o persa, ou iraniano moderno emprega o alfabeto árabe e possui uma literatura rica e extensa.

6- Hebraico

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades

Continua após a publicidade

O hebraico é um idioma que acabou caindo em desuso com a chegada do aramaico na mesma região. Apesar disso, permaneceu como língua litúrgica para os judeus, o que garantiu seu uso. A partir da ascensão do sionismo nos séculos XIX e XX, então, uma das línguas mais antigas do mundo voltou ao uso comum até se tornar a língua oficial de Israel.

Ainda que a versão moderna não seja a mesma da versão bíblica, os falantes do idioma conseguem compreender a versão antiga do idioma.

7- Basco

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades

O basco é um dos maiores mistérios entre idiomas antigos no mundo. Isso porque ele ainda é nativo para povos em regiões de França e Espanha, mesmo sem ter nenhuma relação com as línguas romanas. Na verdade, não há relação do basco com nenhum outro idioma do mundo. De acordo com suposições de linguistas, é possível apontar que o idioma já existia na região antes da chegada dos romanos, mas nenhuma teoria é capaz de apontar a origem precisa.

Continua após a publicidade

8- Tâmil

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades
India TV

O tâmil é um idioma atualmente falado por cerca de 78 milhões de pessoas em todo o mundo. A língua clássica faz parta de família de línguas dravídicas, comuns no sul e leste da Índia, sendo a língua oficial de Sri Lanka, Cingapura e Tamil Nadu. Outra língua indiana, o sânscrito, também faz parte dos idiomas mais antigos do mundo, mas tornou-se principalmente uma língua litúrgica, enquanto o tâmil se desenvolveu ao ponto de virar a 20ª língua mais falada no mundo.

9- Lituano

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades
True Lithuania

A grande maioria dos idiomas europeus têm origem na língua indo-europeia, com grandes separações começando a ocorrer por volta de 3500 ac. Apesar disso, um dos idiomas manteve a característica mais próxima do proto-indo-europeu: o lituano. Dessa maneira, é possível classificar a língua como um dos idiomas mais antigos do mundo.

10- Islandês

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades
Ice News

Assim como o lituano, o islandês também é uma língua indo-europeia. Desde o desenvolvimento das mudanças nas línguas do grupo, o islandês manteve muitos recursos e funcionou de maneira mais conservadora. Durante o domínio dinamarquês na região, por exemplo, a língua sofreu pouco influência externa. Por causa disso, ainda hoje finlandeses são capazes de compreender sem dificuldades sagas de séculos atrás.

11- Macedônio

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades
Macedonian Language

O macedônio é um dos idiomas antigos com origem em línguas eslavas, que começaram a separar do eslavo comum por volta do século IX. Na época, eslavos também tiveram contato com missionários cristãos que vinham de um lugar ao norte da Grécia. Atualmente, o idioma da região é conhecido como macedônio, muito conectado à igreja antiga a ao idioma búlgaro.

Continua após a publicidade

12- Finlandês

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades
World Atlas

Até o século XVI, o finlandês não era um idioma escrito. No entanto, como um dos mais antigos do mundo, já possuía uma história bem anterior a tudo isso. O próprio vocabulário finlandês carrega muito dessa história, já que a língua mantem palavras de empréstimo de outros idiomas antigos. A palavra para mãe, por exemplo, é aiti, que vem do gótico. Já a palavra para rei, kuningas, vem do antigo kuningaz do idioma germânico, que não existe em outro idioma além do finlandês

13 – Georgiano

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades
Travel Service Support

A região do Cáucaso conta com três idiomas principais com origens distintas: indo-européias, turcas e kartvelianas. O georgiano é a única kartveliania com uma tradição literária antiga, além de ter um dos alfabetos mais antigos do mundo. De acordo com as principais teorias, ele trouxe transformações para o aramaico a partir do século III dC.

14- Gaélico irlandês

Idiomas mais antigos do mundo - Quais são, origens e curiosidades
fiverr

O gaélico irlandês já existia nas ilhas da Irlanda e da Grã-Bretanha bem antes da chegada dos idiomas antigos germânicos na região. Atualmente, é comum dentro de uma parcela da população irlandesa, mas possui uma história rica por trás. Entre todos os idiomas da Europa ocidental, é o que tem a literatura vernacular mais antiga.

10 curiosidades sobre as línguas e o idioma

1- A língua mais antiga do mundo

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Continua após a publicidade

Primeiramente, vale ressaltar que os estudiosos ainda não conseguiram saber ao certo sobre quais foram os idiomas mais antigos do mundo. Escolher um só, então, é praticamente um tiro no escuro. Portanto, eles não sabem ao certo qual foi a “língua mãe” de todas as outras já existentes.

Sobretudo, os especialistas estudam o surgimento da língua com duas hipóteses: primeiramente, a linguagem pode ter surgido ao mesmo tempo em vários lugares. E, depois, que ela pode ter surgido em um único lugar, e de lá se espalhado para outras regiões.

Assim sendo, após alguns estudos pelos cérebros humanos,  cientistas descobriram que o idioma mais antigo, possuía um vocabulário pequeno. Além do mais, era composto por termos concretos, palavras para indicar coisas corriqueiras, como andar, comer e correr. E também era composto por um sistema fonético bastante simples.

Porém, de acordo com eles, pela nossa condição de construção social e cultural, mesmo se já tivessem descoberto qual é a “língua mãe”, ela não seria mais da mesma forma. Pois, nós já teríamos a modificado.

Continua após a publicidade

2- A linguagem é genética

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

A priori, deve se destacar que a aptidão para a língua é sim de natureza genética. Porém, o idioma que falamos é cultural. Até porque nós não nascemos com um gene para a língua portuguesa, não é mesmo?

Além do mais, alguns estudiosos explicam que da mesma forma que uma ave passou a servir para o voo, nós também evoluímos e desenvolvemos estruturas e circuitos neuronais próprios para a linguagem. Por isso, nosso cérebro é programado para comportar línguas.

Tanto é que já foi constatado que nossa espécie nasce programada para se comunicar e falar. Além do mais, nós conseguimos aprender, mesmo que não nos ensinem. Pois é exatamente essa pré-disposição cerebral que orienta os idiomas em torno de uma estrutura semelhante.

Continua após a publicidade

Até porque todos nós, até mesmo pessoas surdas e mudas, produzimos sílabas, palavras e fonemas. Inclusive, eles também conseguem emitir sons e ruídos para tentarem se comunicar.

3- Por que é tão difícil falar sem sotaque?

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Primeiramente, é difícil pois o sotaque é uma particularidade linguística. Assim sendo, essa particularidade a qual não passa despercebida, é um indicativo de pluralidade cultural. Sobretudo, a pronúncia aprendida juntamente com a língua pode se tornar distinta e imperfeita em determinados fonemas.

Aliás, essa característica pode mudar de região para região. Ou então de grupo social, etnia e de pessoa para pessoa. Sobretudo, o sotaque se distingue de ritmo, ênfase ou distinção entre sons.

Continua após a publicidade

Uma curiosidade que podemos destacar é o fato das crianças não pegarem o sotaque de primeira. Isso se dá justamente por elas terem uma facilidade a mais de aprender a linguagem sem sotaque. Pois, como já explicamos, nós nascemos com a capacidade de aprender qualquer tipo de idioma.

E como os bebês ainda estão em processo de formação, o cérebro e a laringe, por exemplo, ainda estão em formação. Portanto, na medida que o bebê vai crescendo ele vai selecionando os sons que ouve com mais frequência. Ou seja, os sons que não pertencem ao de sua língua nativa acaba sendo esquecido.

E já na fase adulta a maturação desses mecanismos e do ouvido estão completas em cima da língua de origem. Além do mais, a flexibilidade do sistema articulatório é reduzida e o sotaque se torna mais evidente. Sobretudo, mesmo estando adulto, ainda existem pessoas que sentem dificuldades de aprender a língua de origem.

4- Por que estrangeiros acham difícil pronunciar “ão”?

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Continua após a publicidade

Primeiramente, cada grupo linguístico possuem pronúncias tipicamente deles, tanto é que elas funcionam como uma senha sonora, a qual é mais conhecida como xibolete. Sobretudo, vale destacar que ele se difere do sotaque, pois designam os sons característicos de um grupo linguístico, em vez de particularidades de pronúncias

Portanto, da mesma forma que você pode ter dificuldade de falar o “th” americano, ou o “ch” do alemão, eles também poderão encontrar dificuldades na nossa língua.

5- A palavra saudade só existe no português?

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Primeiramente, vale destacar que os sentimentos são universais. Portanto, todas as pessoas sentem saudade de algo ou alguém. Porém, alguns idiomas não dispõem de uma palavra em específico para isso, como nós brasileiros usamos.

Continua após a publicidade

Basicamente, o vocabulário de cada idioma demonstra um recorte cultural diferente. Desse modo, eles são feitos por seus falantes de acordo com visões de mundos distintos. Tanto é que as dificuldades da tradução surgem como um tipo de choque cultural a nível linguístico.

Por fim, vale destacar que a língua é um produto dos hábitos de nossos antepassados, que na medida em que se tornaram gerais, viraram regras. Portanto, o uso da língua não é questão de escolha pessoal. E sim uma imposição da língua, na qual o sujeito não pode escapar.

6- Por que algumas línguas eslavas invertem o acento circunflexo?

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

A priori, em alguns idiomas, como o tcheco e o croata esse acento possui um nome próprio, o “hatchek”. Assim sendo, sua função nesses idiomas é indicar a pronúncia das letras. Sobretudo, de acordo com alguns estudiosos a criação desses acentos evidencia os reflexos da religião sobre a língua.

Continua após a publicidade

Como por exemplo, nos povos eslavos existem dois alfabetos. Enquanto, os ortodoxos de influência grega adotam o alfabeto cirílico, os países ocidentais, como a república Tcheca, seguidores da Igreja Romana utilizam o alfabeto latino.

Inclusive, vale ressaltar que no alfabeto dos povos eslavos ocidentais foi criado um sistema com fonemas diferentes do alfabeto cirílico. Assim sendo, os acentos surgiram com a função principal de substituir reuniões, como o tch ou sh, por um sinal gráfico, o qual é chamado de diacrítico.

7- Por que o francês “calcula” os números?

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Basicamente, tudo se iniciou quando o território da França ainda correspondia a Gália, a terra dos personagens Asterix e Obelix. Assim sendo, com a conquista do território de gália, os romanos impuseram a língua latina, a qual deu origem ao francês moderno.

Continua após a publicidade

Porém, a língua conservou características do céltico, o qual não tinha base decimal, só o número 6. Além do mais, esse sistema se estendia um pouco mais. Tanto é que para os gauleses, um século correspondia a um espaço de 120 anos.

Desde então, os franceses contam com dezenas próprias somente até o número 60. Como por exemplo, para dizer 90, eles dizem quatre-vingt-dix. Ou então, quatro vezes vinte mais dez. Inclusive, esse sistema numérico também está presente em outros povos de origem celta, como o gaélico dos irlandeses.

A título de curiosidade, vale destacar que a base 6 originária da Babilônia pode estar mais presente no nosso cotidiano do que imaginamos. Tanto é que você pode reparar que o dia tem 24 horas, duas metades de 12, e cada uma formada por 60 minutos.

8- Quantos alfabetos tem o japonês?

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Continua após a publicidade

Primeiramente, vale destacar que o japonês possui cinco sistemas de escrita. Dentre eles estão o alfabetos hiraganas, katakana, kanji e o alfabeto latino (romaji), que serve principalmente para a transliteração do japonês. Além desses ainda tem os algarismos indo-arábicos, os os números utilizados pelos ocidentais.

Sobretudo, a maior parte do alfabeto é escrito em kanji. Até porque ele é o alfabeto escrito por milhares de ideogramas, os quais possuem um significado próprio e nem sempre correspondem a um som. Além do mais, o kanji já tem mais de 15oo anos e por isso é o alfabeto japonês mais antigo.

Inclusive, foi por meio de simplificações dele que surgiu os demais. Como por exemplo, o alfabeto hiragrama, que é conhecido como “letra das mulheres”. Basicamente, ele era conhecido dessa forma, pois as mulheres nobres usavam esse alfabeto em seus diários. Até porque elas não podiam estudar, e por isso escolhiam simplificar as letras do kanji.

Sobretudo, esse alfabeto foi inventado no final do século IX e representou as palavras nativas do Japão e suas terminações verbais. Já o alfabeto katakana é empregado na escrita de palavras estrangeiras e onomatopeias. Inclusive, ambos  são silabários e compreendem 48 caracteres.

Continua após a publicidade

Portanto, a escrita japonesa pode seguir o modelo chinês, dispondo o texto em colunas lidas da direita para a esquerda. Além de fazer a leitura em linhas ordenadas da esquerda para a direita, como é no Ocidente,

9- Quais alfabetos leem da direita para a esquerda?

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

A priori sabemos do japonês. Porém, além do japonês, ainda tem os alfabetos árabes e hebraicos, em que eles também são lidos da direita para a esquerda. Inclusive, ambos são predominantemente consonantais e não distinguem de palavras maiúsculas e minúsculas. Para nós isso é quase impossível de se entender, não é mesmo?

Sobretudo, o alfabeto árabe é composto por 28 letras e apenas três vogais longas. E já as vogais curtas usam sinais diacríticos, que ficam sobre as consoantes. Além do mais, o diacrítico serve para identificar a função sintática que a palavra exerce na frase. Ou seja, dizer se ela é verbo, sujeito ou objeto direto.

Continua após a publicidade

Uma outra curiosidade que podemos destacar é a variação da grafia de acordo com a posição da letra na palavra. Ou seja, para quase todas as letras tem uma forma diferente de se escrever. Inclusive, no hebraico algumas letras são escritas de uma forma diferente quando estão no final da palavra.

Enquanto as vogais são sinalizadas por pontos ao redor das consoantes, chamados nekudot. Portanto, mesmo que as vogais facilitem o aprendizado da língua, elas não são representados no dia a dia. Ou seja, o falante acrescenta as vogais no processo da fala, e se ele quiser também.

10- O esperanto acabou?

Descubra as curiosidades e quais são os idiomas mais antigos do mundo

Primeiramente, o esperanto foi uma língua artificial, ou melhor foi quase uma língua de laboratório. Basicamente, essa língua teve início com o médico polonês Ludwik Zamenhof, em 1887. Uma vez que ele tenha criado essa língua com o propósito de auxiliar a comunicação internacional.

Continua após a publicidade

Sobretudo, o esperanto foi uma das tentativas de se criar uma língua universal, para facilitar a comunicação entre as pessoas de qualquer nacionalidade. Inclusive, ela teve influências de línguas latinas, germânicas e eslavas.

Contudo, essa língua ela não se popularizou como foi esperado. Porém, vale destacar que ela já teve mais de 2 milhões de falantes, no fim dos anos 90. Aliás, ela ainda é presente em comunidades internacionais. Vale ressaltar também que até a Wikipédia tem uma versão nessa língua.

Deste modo, seu crescimento não popularizou, por inúmeros motivos. Dentre eles, entra o fato de que as línguas dominantes, como por exemplo o inglês, não se interessam em outra língua, para não perder a posição de dominante. Outro fato que ajudou a não ocorrer a expansão dessa língua, foi por razões políticas, e não linguísticas.

O que achou dessa matéria sobre os idiomas mais antigos do mundo?

Continua após a publicidade

Leia mais: 10 palavras mais difíceis de traduzir no mundo

Fontes: Infoescola, Terra, Idiomas e culturas, The Fools

Imagens: Infoescola, Idiomas e culturas, Youtube, Blasting news, Vortex mag, Mensagens com amor, Infoescola, Como comprar um apartamento, Nihongo Autodidata, Super prof, Termine seus estudos, Cleofas, Wkipédia, Veja, Viagens, Travel Service Support, fiverr, World Atlas, Macedonian Language, Ice News, True Lithuania, India TV

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você