Curiosidades

Intoxicação alimentar – causas, sintomas e como lidar com o problema

A intoxicação alimentar é um problema muito comum, e nem por isso fácil de lidar. Nós vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre ela!

Certamente você já teve uma intoxicação alimentar, alias esse é um dos transtornos de saúde mais comuns que existem. Basicamente esse é um problema causado pela ingestão de alimentos que contém organismos prejudiciais ao nosso corpo. Como por exemplo bactérias, parasitas e vírus.

Este tipo de micro-organismo é encontrado com mais facilidade em carne crua, frango, peixe e ovos. Apesar disso eles podem se espalhar para qualquer tipo de alimento. A intoxicação alimentar costuma ser consequência de alimentos que são deixados ao ar livre ou que ficaram armazenados por muito tempo. Às vezes, acontece até mesmo quando você não lava as mãos antes de tocar na comida.

Primeiramente, na maioria das vezes esse transtorno é rápido e passageiro. Em relação a intoxicação alimentar, tudo o que você pode fazer é esperar seu corpo para se livrar do germe que está causando a doença. Apesar disso, alguns tipos de intoxicação alimentar podem ser mais sérios e precisam de um médico.

Causas da intoxicação alimentar

Intoxicação alimentar, causas, sintomas e como lidar com o problema

Continua após a publicidade

Inicialmente, a intoxicação alimentar é causada pelo ingerimento de bactérias, parasitas, vírus, amebas, produtos químicos e toxinas. Essas bactérias podem ser encontradas nos intestinos de animais sadios que comemos. Se as bactérias entram em contato com carne ou aves durante o processamento, os alimentos ficam contaminados.

Pode até parecer que não, mas frutas e vegetais frescos também podem ser contaminados. Isso acontece se eles forem lavados ou irrigados com água contaminada por dejetos de animais ou esgoto humano. Além disso, os alimentos podem ser contaminados quando uma pessoa infectada toca a comida ou quanto o alimento entra em contato com alguma coisa contaminada. Caso você não higienize as mãos antes de cortar um manipular um alimento, também corre mais risco de ser contaminado.

Muitos organismos prejudiciais encontrados na sujeira, poeira e água podem cruzar o caminho dos alimentos que comemos. Estes organismos incluem Condições ambientais, tais como a água poluída, podem tornar este tipo de infecção mais frequente. Além disso, alimentos enlatados que não são preparados adequadamente também podem conter problemas.

Sintomas

Intoxicação alimentar, causas, sintomas e como lidar com o problema

Continua após a publicidade

O sintoma da intoxicação alimentar mais comum é a diarreia. Ainda assim, existem outros como:

  • Náusea
  • Vômitos
  • Diarreia aquosa
  • Dor abdominal e cólicas
  • Febre
  • Dores musculares e dores
  • Fraqueza
  • Sintomas neurológicos, como dores de cabeça, tontura, problemas visuais e ataques
  • Calafrios

Da mesma forma que esses sintomas podem começar dentro de horas após a ingestão do alimento contaminado, eles também podem demorar dias ou até mesmo semanas em alguns casos. Na maioria das vezes, ela dura de um a 10 dias. Tudo depende do organismo que te infectou e quais as suas condições gerais.

Fatores de risco

Intoxicação alimentar, causas, sintomas e como lidar com o problema

Além disso, existem fatores de risco, que são:

Continua após a publicidade
  • Falta de higiene
  • Refrigeração insuficiente
  • Falta de conhecimento para preparar alimentos com segurança
  • Sistema imunológico enfraquecido, incluindo a gravidez
  • Idade: crianças pequenas e idosos

Prevenção

Intoxicação alimentar, causas, sintomas e como lidar com o problema

Primeiramente é necessário lavar as mãos, os utensílios e as superfícies de alimentos várias vezes. Também é importante lavar bem as mãos com água morna e sabão antes e depois de manusear ou preparar alimentos. Além disso, use água quente e sabão para lavar os utensílios e outras superfícies que você utiliza para cortar alimentos.

Mantenha os alimentos crus separados de alimentos prontos para o consumo. Quando se faz compras, preparar a comida ou o armazenar alimentos, mantenha a carne crua, aves, peixes e frutos do mar longe de outros alimentos. Isso impede a contaminação cruzada. Cozinhe os alimentos a uma temperatura segura.

Nunca se esqueça que você pode matar organismos nocivos na maioria dos alimentos por cozinhá-los à temperatura certa. Carne moída deve ser cozido a 71°C, enquanto bifes e assados devem ser cozidos a pelo menos 62,8°C. Porco precisa ser cozido a pelo menos 71°C), frango e peru precisam ser cozidos a 73,9°C. O peixe é geralmente bem cozido a 62,8°C. Além disso, não se esqueça de refrigerar ou congelar alimentos perecíveis prontamente.

Continua após a publicidade

Descongele os alimentos com segurança. Não descongele os alimentos à temperatura ambiente. A maneira mais segura para descongelar alimentos é na geladeira. Se for usar o micro-ondas, use o “degelo”. Manter água fria corrente sobre a comida também descongela com segurança.

Por fim, em caso de dúvida, jogue o alimento fora. Se você não tem certeza se um alimento foi preparado, servido ou armazenados de forma segura, descarte-o.

Tratamento

Intoxicação alimentar, causas, sintomas e como lidar com o problema

Primeiramente, o tratamento depende da origem da doença e da gravidade. Para a maioria das pessoas, a doença se resolve sem tratamento dentro de poucos dias. Algumas outras podem durar uma semana ou mais.

Continua após a publicidade

Inicialmente você vai precisar de reposição de líquidos perdidos na diarreia ou vômito, algumas vezes por via intravenosa no hospital. Hidratação intravenosa fornece ao corpo água e nutrientes essenciais. O médico pode prescrever antibióticos se você tiver uma intoxicação alimentar bacteriana e grave. Além disso, durante a gravidez, o tratamento imediato com antibióticos reduz o risco do bebê ser contaminado.

Além disso, durante a intoxicação alimentar você pode se alimentar de:

  • Chás de ervas
  • Leite de soja ou leite sem lactose
  • Água de coco
  • Sucos de frutas naturais
  • Frutas cozidas ou cruas sem casca e sementes (caju, maçã, banana maçã, goiaba)
  • Biscoito água e sal, biscoito de água, biscoito de polvilho, biscoito de maisena
  • Torrada simples,
  • Pão de forma simples, bisnaguinha, pão francês sem miolo
  • Sopas de legumes, caldos de legumes, carne ou frango
  • Legumes bem cozidos (sem sementes e cascas)
  • Arroz branco e macarrão bem cozidos
  • Carnes magras (cozidas, assadas, grelhadas): bovina (filé mignon, lagarto, coxão mole, coxão duro, patinho e maminha), frango sem pele e peixes (sem espinhas)
  • Gelatinas
  • Geleias sem sementes (goiaba ou maçã)
  • Picolé de frutas (exceto os que contenham leite na composição)
  • Óleo vegetal em pequena quantidade (para preparo das refeições)
  • Alho e cebola com moderação (para preparo das refeições)
  • Açúcar (com moderação) ou adoçantes.

Você gostou dessa matéria? Então você também vai gostar dessa: Especialista em intoxicação alimentar revela as 6 coisas que ele jamais comeria

Fonte: Sabará Minha Vida

Continua após a publicidade

Imagens: Accinet Ativo Saúde Tricurioso Rede Mobilizadores Quartz Quality Globo Esporte

Próxima página »

Escolhidas para você