Curiosidades

Pirilampo? Curiosidades sobre o animal e diferenças com o vagalume

Capturar vagalumes e pirilampos - e se encantar com o brilho da luz emitida por estes insetos - são uma das lembranças favoritas da infância.

Existem muitos animais encantadores e curiosos na natureza, como os vagalumes e os pirilampos. Quem não vê, com perfeição, uma floresta escura iluminada pelo brilho dos vagalumes? Certamente, esses pequenos insetos são fascinantes e vale a pena conhecer um pouco da sua biologia e comportamento.

Os vagalumes e pirilampos produzem luz devido a uma reação bioquímica que ocorre em seu corpo. Porém, é ai que está a principal diferença entre eles (saiba mais abaixo). Por meio dessa reação, eles convertem energia química em energia luminosa. Este fenômeno é denominado bioluminescência e, inclusive, é semelhante ao que acontece no mar com algumas espécies, como o plâncton e alguns tipos de algas.

pirilampos e luz
Fonte: Unsplash

Os órgãos produtores de luz dos vagalumes são constituídos por células que contêm uma substância química chamada luciferina. A luciferina combinada com oxigênio, cálcio, trifosfato de adenosina e magnésio formam a oxiluceferina, e este processo resulta na reação bioquímica que faz com que a luz seja produzida em um vagalume ou pirilampo.

Qual a diferença entre vagalumes e pirilampos?

Os vagalumes são insetos de linhagens ancestrais, originadas há mais de 100 milhões de anos. Além disso, vagalumes e pirilampos são bioluminescentes, mas produzem luz em diferentes partes do corpo.

Continua após a publicidade

Os pirilampos geralmente são de cor marrom escuro e possuem esse nome porque suas luzes ficam na cabeça. Para esclarecer, eles têm dois pequenos órgãos de luz bioluminescente na parte de trás da cabeça e um sob o abdômen. Já nos vagalumes, entretanto, a luz é emitida somente pelo abdômen.

Vagalumes e brilho no abdomen
Fonte: Unsplash

Em todo o mundo, a família de vagalumes é bem diversificada, sobretudo no continente americano. Com relação a alimentação, em resumo, as larvas desta espécie se alimentam de plantas e animais invertebrados. Já os insetos adultos comem frutas, pólen e insetos menores.

Segundo entomologistas (especialistas em insetos) essa é outra maneira de saber a diferença entre vagalumes e pirilampos, já que vagalumes adultos raramente, ou nunca, são vistos se alimentando.

Curiosidades sobre os vagalumes e pirilampos

1. Sua luz é fria

Vagalumes insetos com brlho
Fonte: Unsplash

Muita gente pensa que a luz emitida pelos vagalumes aquecem o seu corpo, como se fosse uma lâmpada, no entanto, ela não emite calor. Assim, se um vagalume pousar em sua mão, aproveite a magia do momento e não fique com medo de ser queimado pelo bichinho.

Continua após a publicidade

2. A luz é uma forma de comunicação

insetos bioluminescentes
Fonte: Unsplash

Vagalumes e pirilampos brilham para se comunicar com fêmeas da espécie, bem como, para afastar predadores. Ao atrair uma companheira, tudo se resume em luz.

3. A luz muda de espécie para espécie

Fonte: Unsplash

Cada espécie de vagalume tem seu próprio padrão de piscar a luz. Ou seja, machos e fêmeas da mesma espécie irão piscar de um mesmo jeito para ‘informar’ aos outros de sua presença.

4. O órgão que produz a luz tem sabor desagradável

Fonte: Unsplash

A maioria das espécies de vagalumes e pirilampos contém uma substância química no órgão que emite luz, de sabor desagradável. Ou seja, predadores que fizerem do vagalume seu lanchinho, vão experimentar um jantar brilhante, mas gosto muito ruim.

5. A luz produzida pelo vagalume é a mais eficiente que existe

Fonte: Unsplash

Para esclarecer, quase 100% da energia produzida na reação química é emitida como luz. Enquanto isso, uma lâmpada incandescente tem apenas 10% de sua energia convertida em luz, os outros 90% são perdidos em forma de calor.

Continua após a publicidade

Por que quase não vemos vagalumes e pirilampos?

Infelizmente, as populações destes insetos estão diminuindo em todo o mundo. Cientistas e pesquisadores acreditam que o desenvolvimento desenfreado de cidades e a poluição luminosa estão afastando esses bichinhos. Dessa forma, a maioria das espécies de vagalumes nasce e se desenvolve na madeira e em matas próximas a rios e lagoas, e à medida que crescem, tendem a ficar perto de onde nasceram. Porém, devido ao desmatamento, o habitat destes insetos fica ameaçado.

O que fazer para salvar esses insetos da extinção?

Vagalumes com brilho e luz
Fonte: Unsplash
  • Em primeiro lugar, se você mora próximo ao habitat desses insetos, desligue as luzes externas à noite para reduzir a poluição luminosa.
  • Em segundo lugar, evite utilizar pesticidas nestes ambientes
  • Corte a grama com menos frequência ou deixe alguns troncos de madeira no chão para que os vagalumes possam pousar sobre eles.
  • Por fim, plante árvores de copa volumosa, pois isso cria condições para estes insetos brilharem à noite através das folhagens.

Então, se você deste artigo, saiba mais sobre esses insetos em: Vagalumes, como se acendem e por que brilham no escuro?

Fontes: Dicio, Guia dos Curiosos, Infoescola

Fotos: Unsplash

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você