Saúde

Síndrome fúngica: já ouviu falar sobre essa condição?

Quando os fungos crescem de uma maneira rápida no intestino a ponto de alterá-lo, isso recebe o nome de síndrome fúngica.

Você está sentindo fadiga, ansiedade, necessidade de comer doces a todo instante ou outros sintomas inexplicáveis? A resposta pode estar no seu intestino, ou seja, você pode estar sofrendo de uma síndrome fúngica.

Em suma, o nosso corpo está cheio de colônias de fungos e bactérias inofensivas conhecidas como microbiota. A maioria dessas organismos tem um efeito positivo na sua saúde e contribui para os processos naturais do seu corpo.

No entanto, quando a qualidade desses organismos está desequilibrada, ou seja, há uma proliferação que altera o intestino, dizemos que há a síndrome fúngica. A principal espécie patogênica de fungo é a Candida Albicans. Vamos saber mais sobre esta condição neste artigo.

O que é a síndrome fúngica?

Quando você pensa na sua saúde intestinal, deve considerar a saúde do seu microbioma. Seu intestino está cheio de fungos e bactérias. Enquanto muitas desses organismos são saudáveis ​​e contribuem para os processos naturais do seu corpo, outros são insalubres e prejudiciais.

Continua após a publicidade

É importante que você tenha um equilíbrio saudável para que seu intestino possa fornecer uma base saudável para um corpo saudável.

Desse modo, a síndrome fúngica é a proliferação aumentada de fungos em nosso intestino e ocorre quando a microbiota intestinal tem seu equilíbrio alterado por um aumento do crescimento rápido e desornedado de fungos.

Continua após a publicidade

Causas

A síndrome fúngica pode se desenvolver como resultado de uma dieta insalubre e inflamatória, sensibilidades alimentares, antibióticos, crescimento excessivo de bactérias, leveduras ou fungos, fluxo biliar deficiente, baixo ácido estomacal, estresse crônico, ansiedade e alta carga tóxica.

Alguns dos sintomas dessa condição são leves e temporários, como dor de estômago, no entanto, se você não resolver o problema e não corrigir o desequilíbrio, o quadro pode levar a sintomas mais graves.

Continua após a publicidade

Quais os sintomas e doenças relacionadas à síndrome fúngica?

Os sintomas se manifestam em diversas áreas do organismo, e incluem:

  • Doenças autoimunes (tireoidite de hashimoto, psoríase, artrite reumatoide, lúpus, fibromialgia)
  • Dor de estômago
  • Náusea
  • Constipação
  • Diarréia
  • Inchaço
  • Gases
  • Mal hálito
  • Comichão vaginal ou retal
  • Dificuldade em urinar
  • Fadiga
  • Problemas para dormir ou insônia
  • Dificuldades em pensar ou se concentrar
  • Confusão mental
  • Memória fraca
  • Ansiedade, depressão ou outros problemas de humor
  • Erupções cutâneas ou vermelhidão
  • Dor no peito
  • Ganho de peso
  • Alterações no apetite
  • Resistência a insulina
  • Dores de cabeça e enxaquecas
  • Dores musculares e articulares
  • Dor crônica
  • Sistema imunológico fraco

Como descobrir se tenho síndrome fúngica?

Se você estiver apresentando sintomas de síndrome fúngica, existem alguns métodos de teste de saúde digestiva funcional que você pode tentar identificar quaisquer problemas subjacentes, como baixo ácido estomacal ou fluxo biliar deficiente.

Além disso, um médico pode solicitar exames de sangue e fezes, entre outros para obter um panorama de sua saúde. Portanto, lembre-se, identificar os problemas subjacentes e as causas dos seus sintomas é um passo fundamental para uma estratégia de tratamento e recuperação eficazes.

Como tratar?

Por fim, o tratamento mais comum envolve uma dieta restrita em carboidratos que inclui a eliminação de açúcares adicionados, álcool e, às vezes, glúten e laticínios. Aliás, produtos de levedura se tornam o inimigo número um de quem sofre de síndrome fúngica.

Continua após a publicidade

Alguns profissionais de bem-estar também podem complementar o tratamento com ervas ou suplementos probióticos. Além disso, as recomendações podem ser restritivas e, dependendo do caso, envolvem cortar todos os grãos e frutas. No entanto, esta dieta não é apoiada por dados ou estudos que mostram que funciona para impedir o crescimento excessivo de levedura.

Bibliografia

Otašević. The dietary modification and treatment of intestinal Candida overgrowth – a pilot study. Journal de Mycologie Médicale. 1-5, 2018
MORENO, Imma et al. Caso clínico Intervención dietético-terapéutica en candidiasis intestinal. Nutrición hospitalaria. 30. 3; 686-689, 2014

Fontes: Tua Saúde, Rsaúde, Soraya Costa, Tudo em Grãos, Nutrium, Boomi

Então, achou este artigo interessante? Pois, leia também:

Continua após a publicidade

Descubra o tamanho do intestino humano e sua relação com o peso
Alimentos que soltam o intestino, quais são? 11 opções benéficas
Intestino preguiçoso, você tem? O que é, causas, sintomas e tratamento
5 hábitos para melhorar o intestino sem tomar remédios

Próxima página »

Escolhidas para você