6 crimes fotografados ou transmitidos ao vivo na internet

Todo mundo sabe que a internet funciona como um mundo à parte e, querendo ou não, nela é possível encontrar coisas boas e coisas muito ruins. Um bom exemplo disso são as atrocidades com as quais nos deparamos algumas vezes nas redes sociais, como aconteceu com alguns crimes fotografados ou transmitidos ao vivo nesses ambientes virtuais.

Como você vai ver abaixo, assassinatos, estupros, torturas e outros tipos de atrocidades já foram fotografas ou filmadas e compartilhadas em momento real pela web. A parte boa, se é que podemos falar assim, é que isso permitiu que a maioria dos criminosos fossem identificados e punidos pela Justiça.

Mas, infelizmente, grande parte dessas vítimas de crimes fotografados ou transmitiram ao vivo pela internet não sobreviveram para ver seus carrascos pagarem o preço que deviam. E o pior de tudo: em pelo menos um dos casos que você está prestes a conhecer, foi uma pessoa amiga que transmitiu o crime, sem se preocupar em ajudar a pessoa atacada. Dá para acreditar nisso?

Tenso, não? Felizmente, nenhum dos crimes fotografados ou transmitidos por vídeos na internet aconteceram aqui, no Brasil. Pelo menos não os da lista abaixo, como você está prestes a conferir.

Confira 6 crimes fotografados ou transmitidos ao vivo na internet:

1. Crime no Periscope

1

Em abril (de 2016), em Ohio, nos Estados Unidos, uma menor de idade foi violentada por Raymond Boyd Gates, de 29 anos, que havia conhecido durante a balada. A amiga da garota, Marina Alexeevna Lonina, de 18 anos, estava próxima e transmitiu o crime ao vivo, pelo Periscope.

Um outro amigo da garota abusada viu o vídeo e ligou para o polícia. Tanto o homem quanto Marina foram indiciados e condenados por estupro. Juntando as penas dos dois, eles pegaram mais de 40 anos de prisão.

2. Selfies de um homicídio

4

As britânicas, uma de 13 e outra de 14 anos de idade, foram presas, em 2014, pelo assassinato e tortura de Angela Wrightson, de 30 anos. Elas entraram na casa da mulher, em Hartlepool, na Inglaterra, e passaram 5 horas ferindo a dona da casa, especialmente na região do rosto. As jovens ainda usaram os objetos da residência, como a televisão, para matar Angela.

Além dos requintes de crueldade, as jovens ainda tiveram o sangue frio de tirar e postar selfies na internet, enquanto praticavam o crime. Ambas pegaram prisão perpétua.

3. Selfie ao lado do corpo

3

Outro dos crimes fotografados e compartilhados na internet foi o assassinato de Jennifer Streit-Spears, de 43 anos, no Texas, Estados Unidos, no final de maio. Ela foi esfaqueada até a morte pelo namorado, Kenneth Alan Amyx, de 45 anos; que publicou uma foto de si mesmo deitado ao lado do corpo da mulher. Na rede social, ele acrescentou a legenda: “Por favor, rezem por nós”.

Não satisfeito, o homem teria ainda enviado as fotos para o celular da mãe de Jennifer. Foi ela, aliás, que entrou em contato com a polícia.

De acordo com Kenneth, os dois estavam bebendo e resolveram se matar. Mas, durante o processo, a mulher teria desistido da loucura e ele não. Kenneth foi preso com direito a fiança, mas com um valor equivalente a 2 milhões de reais.

4. A vida ou a morte de uma criança no Facebook

5

Outro dos crimes registrados ao vivo, nas redes sociais, foi o que ocorreu na França, em junho (de 2016 mesmo). Por volta de 21 horas, o marroquino Larossi Abdalla atacou e matou a facadas o agente policial de Les Mureaux.

Como o ataque aconteceu em frente à casa da vítima, o assassino entrou, matou a esposa do policial, que também era agente e pegou o filho do casal, de apenas 3 anos, como refém. Não satisfeito, ele entrou no Facebook e, por meio de uma transmissão ao vivo, discutiu com seus seguidores o que deveria fazer com a criança.

6

O vídeo durou 12 minutos, tempo que Larossi usou também para explicar que recebia ordens de Abu Bakr para “fazer da Europoca um cemitério”. A polícia acompanhou a transmissão e tentou negociar com o terrorista, mas não houve sucesso. Foi preciso, então, invadir a casa e matar o criminoso para salvar a criança, que não estava ferida.

5. Morte registrada no Snapchat

7

Outro dos crimes fotografados que choraram a internet foi o de Stephanie Hernandez, de 21 anos. Ela morava há três semanas com o namorado, Rafael Gonzales quando foi assassinada a tiros por ele. No dia do crime, a moça havia postado fotos no Snapchat em que o rapaz aparecia às suas costas, apontando uma arma para a câmera.

Mais tarde, Stephanie foi encontrada morta, em casa, com um ferimento de bala na cabeça. Rafael saqueou a casa e fugiu depois do crime, mas foi preso depois de alguns dias.

6. Assassinado durante o live no Facebook

Também no mês de junho, o vídeo de Antonio Perkins, de 28 anos, deixou o mundo chocado. Enquanto ele fazia uma transmissão ao vivo no Facebook, em frente sua casa, em Chicago, nos Estados Unidos, disparos de arma de fogo acabaram atingindo sua cabeça.

Antonio acabou morrendo e, infelizmente, o autor dos tiros não foram registrados nas imagens. Se você não se importar com imagens impactantes, assista, abaixo, o vídeo:

 

E, por falar de crimes que foram parar na internet, confira ainda: 6 criminosos presos com a ajuda do Facebook.

Fonte: Mega Curioso