Por que bebês recém-nascidos têm um cheiro tão bom?

Tem gente que até sente vontade de morder os pequeninos ao sentir aquele cheirinho único. Mas de onde ele vem e para que serve?

Basta uma visita à qualquer maternidade para sentir aquele cheiro característico de recém-nascidos. De fato, o cheiro de bebês existe, e já foi comprovado cientificamente que é capaz de “encantar” adultos.

De onde vem o cheiro dos bebês?

Ainda não sabemos com precisão a origem desse cheiro. Atualmente existem duas explicações mais aceitas: A primeira diz que o cheiro é remanescente do vernix caseoso, uma substância esbranquiçada que cobre o corpo do bebê até seu nascimento. É normal que após o parto seja dado um banho no recém-nascido, o que remove o vernix caseoso.

A outra explicação remete às glândulas sebáceas do bebê. No dia-a-dia, nosso suor secretado pelas glândulas sebáceas contêm dezenas de informações, como o nível cortisol, que não conseguimos captar. Da mesma forma pode acontecer com eles, o cheiro pode ser algo proposital, adquirido no processo evolutivo.

Por que gostamos tanto desse cheiro?

Assim como outras características da nossa espécie adquiridas ao longo do processo evolutivo, o cheiro emanado pelos bebês, muito provavelmente, também remete à evolução humana. O vínculo emocional é algo essencial para que os filhotes de muitas espécies sobreviviam, e não é diferente conosco.

Por exemplo, o cheiro de pão de queijo pode iniciar um gatilho emocional que remete a infância. Da mesma forma, o cheiro dos bebês também é um gatilho emocional extremamente forte, despertando sentimentos de afeto, proteção e atenção.

Em nosso passado evolutivo esse cheirinho típico dos bebês pode ter sido a diferença entre a extinção ou continuação da nossa espécie.

 

 

Fonte: Superinteressante
Imagens: Reprodução