Esse pai injetou o vírus da Aids no filho recém-nascido

Essa história chocante que você vai conhecer agora, envolvendo a Aids – envolvendo uma das doenças mais tristes e desafiadoras da humanidade até hoje -, teve início em 1992. Nessa época, o pequeno Brryan tinha apenas 11 meses e enfrentava um crise asmática muito forte. Ele já estava há dias internado no hospital, com a imunidade comprometida devido à agressividade da doença quando acabou ficando sozinho com seu pai no quarto.

Isso, com qualquer outro ser humano, teria sido uma situação comum e até positiva para a criança. Acontece, no entanto, que com Brryan a história foi completamente diferente. Isso porque o pai da criança, Brian, que era um profissional da área da saúde e especialista em transfusão de sangue, aplicou em seu próprio filho uma amostra de sangue infectado pelo vírus da Aids, o HIV.

Conforme os parentes do garotinho, que descobriram a verdade anos depois, nessa época os pais de Brryan estavam se separando e o homem simplesmente enlouqueceu quando percebeu que teria que bancar a pensão alimentícia da criança durante longos anos. Esse motivo torpe, aliás, foi o estopim para Brian que resolveu agir da forma mais vil possível, infectando seu próprio filho com o vírus da Aids.

5

Não demorou muito para que Brryan apresentasse sinais de que alguma coisa muito grave estava acontecendo. Os médicos já haviam tentado de tudo com a criança e não conseguiam detectar qual era seu mal. Até que um dos médicos do bebê, por pura intuição, decidiu fazer o teste da Aids na criança e o resultado, claro, deu positivo.

A partir de então a vida do garoto se transformou completamente. A fase mais aguda da Aids chegou quando ele tinha apenas 5 anos de idade, período em que tomava 23 comprimidos por dia. Os medicamentos eram tão fortes para a criança, que ela chegou a perder 70% de sua audição.

1

A previsão dos médicos para Brryan era de que ele não passaria dos 6 anos. No entanto, ele sobreviveu e algo surpreende aconteceu! Depois de anos sofrendo com a Aids e passando por vários tipos de discriminação (as pessoas não entendem a doença e chegam a ser cruéis por isso), o organismo do garoto simplesmente reagiu e o curou!

Hoje, com 22 anos, os médicos de Brryan não conseguem mais detectar o vírus da Aids em seu organismo. Ele conta que se sente feliz e grato pelo milagre e conta ainda que não sente rancor do pai, uma vez que não cabe a ele julgar outra pessoa por seus atos.

3

Quanto ao homem que tentou destruir a vida do próprio filho, a justiça não foi tão compreensiva assim. Ele foi condenado à prisão perpétua e, no dia de seu julgamento, o  juiz se encarregou de fazê-lo se sentir culpado por toda a vida. O magistrado disse ao réu que ele era um monstro, que poderia ser comparado aos piores criminosos de guerra que já existiram.

4