Biografias

Morre atriz Cláudia Jimenez aos 63 anos

Insuficiência cardíaca foi a causa da morte da atriz Cláudia Jimenez, de 63 anos, de acordo com a assessoria de imprensa.

Claudia Jimenez morreu na manhã deste sábado (20), aos 63 anos, no Rio de Janeiro. A atriz estava internada em um hospital na Zona Sul da cidade. A causa da morte foi insuficiência cardíaca, confirmada pela assessoria de imprensa da artista.

Nos últimos anos, a atriz já havia passado por pelo menos três cirurgias no coração e por tratamento de radioterapia para combater um câncer no tórax.

Morte de Cláudia Jimenez

Nas redes sociais, amigos e familiares de Claudia Jimenez fizeram homenagens à atriz. O diretor Miguel Falabella destacou em um post do Instagram:

“Fui procurar uma foto para ilustrar essa postagem e me deparei com uma vida. Agora, estou deitado, passando um filme na minha cabeça, tentando me agarrar às tantas gargalhadas que demos, ao prazer de atuar juntos, ao seu único e irreproduzível tempo de comédia. Você estará para sempre usando aquele biquíni selvagem que nos ensolarou a existência, Claudinha. Hoje todas as homenagens são suas e os refletores de todos os teatros do Brasil reluzem para você. Obrigado por ter caminhado a meu lado nesta passagem. Betty Lago e Mercedinha certamente vão recebe-la em festa! A nós, resta a saudade e a responsabilidade de manter viva a memória do seu imenso talento! Te amo! Descanse em paz!”

O humorista Helio de la Peña postou:

“Uma das maiores comediantes do Brasil agora descansa. Obrigado pelas gargalhadas, Claudia Jimenez.”

Continua após a publicidade

O governador do Rio, Claudio Castro, escreveu:

“Todos vamos nos lembrar com carinho dos papéis inesquecíveis vividos por Claudia Jimenez em novelas e programas humorísticos. Dona Cacilda, da “Escolinha do Professor Raimundo”, e Edileuza, de “Sai de Baixo”, entre tantas outras personagens, nos deixam saudosos. Uma grande atriz de teatro, cinema e televisão que divertiu o público brasileiro com seu humor leve e irreverente. Minha solidariedade à família, amigos e fãs”.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, comentou:

“Triste com a morte dessa mulher tão especial. Muito obrigado por tantas risadas e momentos de alegria que sua arte nos proporcionou. Meus sentimentos aos amigos e familiares”.

Carreira de Cláudia Jimenez

Cláudia Jimenez nasceu no Rio de Janeiro e desde a infância se dedicou às artes. Assim, sua estreia como profissional do teatro foi em 1978, na peça Ópera do Maladro, de Chico Buarque. Dessa forma, na produção, ela viveu a prostituta Mimi Bibêlo.

As primeiras aparições na televisão foram nos anos 1980, quando chegou a Globo para participar do programa Viva o Gordo, de Jô Soares, que também morreu recentemente. No programa, ela viveu a personagem Pureza.

Continua após a publicidade

Posteriormente, Cláudia Jimenez foi para um dos programas humorísticos de maior sucesso da televisão brasileira, A Escolinha do Professor Raimundo, para viver Dona Cacilda. Aliás, a personagem imortalizou o bordão “Beijinho, beijinho, pau, pau”, em clara ironia à despedida de Xuxa Meneguel.

Então, a partir de 1996, ela passou a integrar o humorístico Sai de Baixo, ao lado de Miguel Falabella, Tom Cavalcante, Luís Gustavo, Aracy Balabanian e Marisa Orth. Na atração, ela vivia a doméstica Edileuza.

Além disso, Cláudia Jimenez esteve em diversas novelas da Rede Globo, como Torre de Bebel, As Filhas da Mãe, Papo de Anjo, América e, mais recentmeente, em Haja Coraçao. No cinema, ela participou de oito filmes e deu a voz para Ellie em A Era do Gelo 2 e 3.

Prêmios e indicações

A artista recebeu diversas premiações ao longo de sua carreira. O principal deles foi o de melhor atriz no Festival de Cinema de Brasília, na edição de 1991. Aliás, neste ano, Cláudia concorreu pelo filme “O Corpo” e levou o troféu para casa.

A artista também venceu o Prêmio APCA, oferecido pela Associação Paulista de Críticos de Arte, em 1991. Aliás, a premiação foi dada pela atuação de Cláudia no papel de Dona Cacilda, na ‘Escolinha do Professor Raimundo’.

Por fim, Cláudia também foi nomeada para o prêmio de melhor atriz no Troféu Imprensa, de 1999, por seu trabalho na novela Torre de Babel. E para o Prêmio Contigo! de 2008, por sua atuação na novela Sete Pecados.

Continua após a publicidade

Vida pessoal de Cláudia Jimenez

Apesar de ter sido sempre muito discreta sobre sua vida pessoal, ela teve muitos amores ao longo de sua existência. O mais forte deles foi com a personal trainer Stella Torreão. Há quatro anos, ela disse que esta não foi a única experiência com mulheres.

“A Stella não foi a primeira. Eu já tinha namorado outras. É que são pessoas conhecidas, e não posso falar nomes para não expor [risos]. Mas essas eu só namorei”, contou ela para a colunista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

“Costumo dizer que a nossa separação não deu certo. Ela é tão dentro da minha vida, e eu da dela, que a única parte que a gente não vive é a erótica”, afirmou Claudia Jimenez.

Ainda na entrevista rara sobre sua vida pessoal, ela também disse que nunca “escondeu” sua bissexualidade. “Nunca escondi nada. Não se falava nesse assunto [homossexualidade], mas as minhas namoradas frequentavam a minha casa e a minha mãe as tratava super bem. Tudo normal. Nunca achei que isso fosse um problema, uma diferença. Isso fazia parte de mim”, esclareceu Claudia Jimenez.

Confira mais biografias de outros saudosos artistas da televisão brasileira:

Jô Soares aos 84 anos morre em São Paulo
Paulo Gustavo: tudo sobre vida e carreira do ator e humorista
8 famosos que morreram em 2018 deixaram saudades
Morre o humorista Jorge Loredo, o eterno Zé Bonitinho

Continua após a publicidade

Fontes: G1, Carta Capital, CNN

Próxima página »

Escolhidas para você