Curiosidades

10 coisas que você não sabia sobre O Diabo Veste Prada

Você sabia que Meryl Streep quase não aceitou fazer O diabo veste Prada? Saiba mais sobre essa e outras curiosidades do filme aqui!

O diabo veste Prada é um longa-metragem que foi lançado em 22 de setembro de 2006, podendo atualmente ser assistido no Star+, dirigido por David Frankel foi um enorme sucesso de bilheteria, tanto pelos atores e atrizes como pelo enredo que é envolvente.

A narrativa conta com uma jornalista recém-formada (Anne Hathaway) que começa a trabalhar em uma revista de moda, mesmo sem ela ter a mínima noção da área. Para piorar, sua chefe (Meryl Streep) é muito exigente, arrogante e até mesmo cruel em alguns momentos.

Sem dúvida, acompanhar a evolução da jornalista novata é muito instigante, principalmente, quanto aos looks que ela desfila durante o decorrer do filme. Só por esse aspecto já valeria muito a pena, mas o filme tem muito mais para oferecer. Confira algumas curiosidades!

10 curiosidades sobre O diabo veste Prada

1. Miranda quase não foi interpretada por Meryl Streep

Embora Meryl Streep seja uma das atrizes mais icônicas do cinema mundial, ela nem sempre foi muito valorizada, sobretudo, ao que diz respeito ao salário. No entanto, em 2005, ela mudou seu posicionamento e exigência acerca de sua remuneração e isso quase a fez desistir do papel de Miranda.

Continua após a publicidade

Meryl, segundo publicado na Revista Variety, recusou a primeira oferta, pois alegou que era “um pouco abaixo do meu valor real para o projeto”.  Porém, os produtores, de forma acertada, fizeram uma nova oferta à atriz, oferecendo o dobro do primeiro valor e que, dessa vez, aceitou o papel.

2. A “verdadeira Miranda” foi à estreia do filme vestindo Prada

Para quem não sabe, o filme O diabo veste Prada é inspirado em uma história real. Inclusive, a autora do livro que deu origem ao filme foi realmente assistente pessoal de Anna Wintour, a editora da renomada revista Vogue.

A famosa do mundo da moda prestigiou o lançamento do longa com seu look Prada e ainda aprovou a obra “Qualquer coisa que torne a moda divertida, glamourosa e interessante é maravilhosa para nossa indústria”.

3. Os direitos autorais do livro foram adquiridos mesmo antes de sua conclusão

Conforme mencionado, a narrativa do filme foi, originalmente, criada em um livro, escrito por uma ex-assistente de Anna Wintour. E, assim que tiveram acesso às primeiras páginas do romance, os executivos da 20th Century Studios já providenciaram a compra dos direitos autorais pelo estúdio.

Continua após a publicidade

Isso tudo aconteceu em 2003, quando Lauren Weisberger, a autora, ainda não tinha nem concluído a obra. No entanto, as primeira 100 páginas foram suficientes para convencer a vice-presidente executiva da época a aprovar a adaptação para o cinema.

Carla Hacken, a responsável pela aprovação, afirmou para a Variety: “achei que Miranda Priestly fosse uma das maiores vilãs de todos os tempos”.

4. Inspiração de Meryl Streep

Mesmo Clint Eastwood não sendo uma pessoa com relações com o mundo da moda, ele foi uma grande inspiração para a atriz quando foi se preparar para a sua personagem.

Ela disse à Variety: “Ele nunca, nunca levanta a voz e todos têm que se inclinar para que o ouçam, isso sempre faz com que ele automaticamente seja a pessoa mais poderosa na sala”.

Continua após a publicidade

5. Anne Hathaway precisou engordar e emagrecer para o filme

Ganhar e perder peso para alguns papéis não é bem novidade para alguns atores e algumas atrizes, contudo, com Anne Hathaway ocorreu uma situação inusitada nesse quesito.

Inicialmente, o diretor do filme, David Frankel, solicitou que a atriz ganhasse 5 quilos, no entanto, para que as roupas de alta costura do filme servissem na atriz, a figurinista disse que ela deveria perder esses mesmos 5 quilos.

Para Anne Hathaway, essa experiência não foi muito boa: “Foi um pesadelo. Levei cerca de uma mês para ganhá-lo e dois meses para perdê-lo”, de acordo com o que afirmou à Revista People.

6. Casamento graças ao filme

Emily Blunt e Stanley Tucci, que faziam os papéis de outros funcionários de Miranda Priestly no filme, acabaram ficando amigos fora das telas. Assim, no casamento de Emily, Stanley conheceu a irmã da noiva e, em mais ou menos dois anos, ele estava se casando com ela.

Continua após a publicidade

De acordo com Emily Blunt para a Variety: “Dez anos depois, Stanley está na minha família de verdade. Quão assustador é isso?”.

7. Meryl Streep viveu o personagem

Durante a interpretação de Miranda Priestly, Meryl Streep permanecia em seu papel, em uma abordagem chamada de atuação por método. A opção assustou um pouco sua colega Anne Hathaway que alegou que, ao abraçá-la pela primeira vez, ficou muito empolgada, no entanto, a veterana disse que aquela seria a última vez em que seria legal.

Assim, Meryl se manteve no personagem de Miranda até acabarem as gravações do filme.

8. Adaptações no roteiro de Meryl Streep e Emily Blunt

Mesmo não sendo grandes mudanças, Meryl Streep e Emily Blunt adicionaram algumas falas que ficaram bem famosas no filme, por exemplo: “eu estou ouvindo isso (gesto com a mão abrindo e fechando), e eu quero ouvir isso (gesto da mão fechada)” em uma cena memorável.

Continua após a publicidade

Já a contribuição de Meryl Streep se deu na mudança das palavras finais de Miranda, já na primeira leitura para “Todo mundo quer ser como nós“.

9. Miranda não vestiu Prada no filme

Ao contrário do título do filme, Miranda, que seria a quem a palavra ‘diabo’ faz referência, não vestiu tal grife italiana. Patricia Fields, a figurinista do filme, optou por se inspirar em uma amiga de muito tempo e designer de moda Donna Karan.

Além disso, a própria Meryl Streep contribuiu com a imagem da personagem quando sugeriu pintar o cabelo de branco, se inspirando na modelo Carmen Dell’Orefice.

10. A viagem para Paris

Devido ao orçamento curto, a ideia inicial era de que as cenas que se passariam em Paris não iriam ser gravadas lá. Entretanto, os produtores conseguiram uma viagem para a França para alguns dos atores e parte da equipe.

Continua após a publicidade

Porém, Meryl Streep não foi contemplada e, por isso, ela teve que fingir que estava na França utilizando alguns recursos como a tela verde e alguns cenários.

BÔNUS: Significado de O diabo veste Prada

Muitas pessoas não compreendem muito bem o título do livro/filme, mas, na realidade, ele diz respeito à Miranda, que é uma chefe bastante difícil de lidar, beirando à crueldade que é a personificação (metafórica, claro!) do diabo.

Além disso, pelo fato de ela ser do ramo da moda, trazer alguma referência a esse universo seria interessante, dessa forma, surge a Prada, que é uma grife de alta costura muito renomada e famosa.

Vai ter O diabo veste Prada 2?

Mesmo a autora do livro dando continuidade à sua narrativa que conquistou muita gente, ainda não há muitos indícios de que haverá a continuação do filme também. O jeito vai ter que ser acompanhar e torcer para que isso ocorra, né?

Continua após a publicidade

Leia também:

Fonte: Star+ Brasil

Próxima página »

Escolhidas para você