Curiosidades

Tudo o que você precisa e deve saber sobre terremotos

Terremotos são considerados uma das piores catástrofes naturais do mundo, por isso reunimos algumas informações básicas sobre eles.

O mundo é um lugar perigoso, e eu não estou falando de violência urbana. Desde a formação do planeta Terra, as catástrofes naturais são uma realidade da humanidade. Quando houve o surgimento do homem – e o seu agrupamento em “bandos” -, é necessário lidar com esses acontecimentos grandiosos. Entre furacões e erupções vulcânicas, estão os terremotos.

Mesmo com o avanço tecnológico e toda a preparação humana para lidar com eles, terremotos ainda matam muitas pessoas pelo mundo inteiro. Mesmo com tamanha força e magnitude, o que você sabe sobre os terremotos? O Segredos do Mundo está para te contar o básico que você precisa saber sobre eles.

O que são os terremotos?

Tudo o que você precisa e deve saber sobre terremotos

Também chamados de sismos, os terremotos são consequência da movimentação das placas tectônicas – localizadas abaixo da superfície terrestre -, que causam vibrações na costra terrestre. Elas estão se mexendo constantemente sobre uma camada de magma chamada astenosfera.

Continua após a publicidade

Essa movimentação não só causa os terremotos, como também é responsável pela formação das montanhas, vulcões e afastamento dos continentes. Quando essas placas tectônicas se movimentam e entram em atrito umas com outras, levam ao tão temido terremoto.

Força de um terremoto

Tudo o que você precisa saber sobre terremotos

Pode-se medir a força de um terremoto tanto pela sua magnitude quanto pela sua intensidade. Veja:

  • Magnitude: energia liberada pelo terremoto
  • Intensidade: efeito causado por ele na superfície da Terra

Para medir a energia liberada pelo terremoto, pode ser usado a escala Richter, quando falamos dos efeitos, e também a escala Mercalli-Modificada. Veja:

Continua após a publicidade
  • escala Richter: calculada a partir dos registros dos terremotos produzidos pelos sismógrafos, aparelhos que possuem sensores de vibração que monitoram a movimentação da superfície onde estão localizados. Cada unidade de magnitude representa uma energia liberada dez vezes maior que o grau anterior, ou seja, um terremoto de 4 graus na escala Richter libera uma energia dez vezes maior que um terremoto de 3 graus
  • escala Mercalli-Modificada: possui 12 graus indicados por algarismos romanos de I a XII. A intensidade não é calculada, apenas se observam os efeitos que o sismo causou na superfície.

Veja a seguir a escala Mercalli-Modificada

Escala de intensidade Mercalli-Modificada

I. Não sentido.

II. Sentido por pessoas em repouso eu em andares superiores.

III. Vibração leve. Objetos pendurados balançam um pouco.

Continua após a publicidade

IV. Vibração como a causada pela passagem de caminhões pesados. Chacoalhar de janelas e louças. Carros parados balançam.

V. Sentido fora de casa. Acorda as pessoas. Objetos pequenos tombam e quadros nas paredes se movem.

VI. Sentido por todos. Deslocamento de mobília. Louças e vidros se quebram. Queda de objetos. Rachadura no reboco de casas

VII. Percebido por motoristas dirigindo. Dificuldade em manter-se em pé. Sinos tocam em igrejas, capelas etc. Danos, como quebra de chaminés, ornamentos arquitetônicos e mobília; queda de reboco; rachaduras em paredes, algumas casas podem até desabar.

Continua após a publicidade

VIII. Motoristas de automóveis sentem o tremor. Galhos e troncos se quebram. Rachaduras em solo molhado. Destruição de torres de água elevadas, monumentos, casas de adobes. Danos severos a moderados em estruturas de tijolo, casas de madeira (quando não estão firmes com fundação), obras de irrigação e diques.

IX. Solo rachado, como “crateras de areia”. Desabamentos. Destruição de alvenaria de tijolo não armado. Danos severos a moderados em estruturas inadequadas de concreto armado e tubulações subterrâneas

X. Desabamentos e solo rachado. Destruição de pontes, túneis e algumas estruturas de concreto armado. Danos severos a moderados de alvenarias, barragens e estradas de ferro

XI. Distúrbios permanentes no solo

Continua após a publicidade

XII. Danos quase totais

Por que não há terremotos no Brasil?

Tudo o que você precisa e deve saber sobre terremotos

Um terremoto, como já dito, é causado pelo atrito entre duas placas tectônicas. Acontece que o Brasil, fica se encontra em um território de estabilidade tectônica, ou seja, no centro da placa tectônica sulamericana, longe das áreas de instabilidade. Por isso também não temos problemas vulcânicos.

Voltando para os terremotos em si, no mundo todo, ainda não descobrimos uma forma de prevê-los, podendo assim, nos anteciparmos perante eles.

Continua após a publicidade

Hoje em dia, a região que possui a maior quantidade de terremotos é a que circunda o Oceano Pacífico, desde o sul do Chile até a Nova Zelândia, passando por vários países da América do Sul, Central e do Norte, além do Japão.

Você gostou dessa matéria? Então você também vai gostar: Como se formam os furacões? E como eles terminam?

Fonte: Nova Escola

Imagem: TriCurioso Curiosamente

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você