Ciência & Tecnologia

6 formas científicas de deixar de amar alguém sem sofrer

Deixar de amar alguém não é das coisas mais fáceis de se conseguir. Contudo, é possível por meio dessas dicas que listamos. Confira!

Deixar de amar alguém, em certas situações, é algo essencial para manter o bem-estar. Mesmo que isso possa ser difícil nos momentos iniciais, muitas vezes, é o melhor a se fazer.

Para auxiliar nesse momento conturbado, existem algumas medidas simples que podem ser muito úteis, como mudar o foco daquilo que te faz sofrer, desligar-se da pessoa que você quer deixar de amar e também passar a se colocar como prioridade em sua vida.

Por mais que a gente saiba que o amor seja, basicamente, reações químicas que envolvem diversos neurotransmissores, é importante levar em conta que ele também afeta nossa saúde mental e emocional. Por essa razão, você deve manter atenção para observar se o sofrimento está saindo do controle ou te abalando de forma insuportável, pois se estiver nesse nível, o ideal é que procure assistência psicológica profissional.

Lembre-se de que, para que haja uma boa superação nesses tipos de situação, o mais importante é fazer de seu bem-estar o seu principal foco de atenção.

Continua após a publicidade

6 formas para deixar de amar alguém

1. Pratique o autoamor

Antes de mais nada, para que você consiga parar de amar alguém sem tanto sofrimento, é de suma importância que você pratique o autoamor. Essa é uma medida indispensável, pois, quando passamos por episódios de amor não correspondido, é muito comum que isso afete nossa autoestima e autoconfiança.

Assim, é muito importante que você consiga olhar para si, observar suas qualidades, suas conquistas e suas virtudes. Se achar oportuno, você pode até mesmo criar uma lista para cada um desses itens, porque isso pode te ajudar a reconhecer o seu autovalor e, então, descobrir o que você deseja encontrar em novas relações.

Continua após a publicidade

2. Largue o vício

Não é exagero: o amor é entendido por nosso corpo como um vício! Conforme pesquisa da Universidade Rutgers, nos Estados Unidos, o amor intenso ativa uma região do cérebro associada com recompensas e vícios.

Assim, o sentimento por outra pessoa causa o mesmo efeito cerebral que viciados em cocaína e cigarro, por exemplo, teriam quando eles antecipam a sensação de se drogar.

Continua após a publicidade

E, por ser um vício, os cientistas recomendam: trate um relacionamento acabado como um vício que precisa ser abandonado! Então, se mantenha o mais distante possível da pessoa, não a procure na internet ou na vida real  e, por fim, se livre de todos os objetos que possam te fazer se lembrar da pessoa.

3. Pare de pensar na pessoa

Claro que é mais fácil na teoria do que na prática, mas é supereficiente se policiar a fim de parar de pensar na pessoa que precisa ser esquecida.

Assim, todas as vezes que se pegar lembrando, mude o comportamento na hora: comece a enfatizar todas as características negativas da pessoa.  A ideia é se convencer que foi um ótimo negócio ter saído do relacionamento falido.

Além disso, se manter ocupado pode ajudar bastante. Ler, sair, fazer outras coisas interessantes que lhe agradem e até mesmo conhecer gente nova pode ser muito bom para se manter longe de seus próprios pensamentos.

Continua após a publicidade

É isso que foi comprovado por um estudo desenvolvido na Universidade Estadual de Oklahoma, nos Estados Unidos.

4. O amor não dura para sempre

Os românticos de plantão podem ficar escandalizados agora, mas cientistas apontam que o amor não dura muito tempo. Ou melhor: a intensidade apaixonada do sentimento é totalmente perecível.

Segundo os estudiosos, o amor pode se aprofundar em um relacionamento longo, como em um casamento, mas nunca vai permanecer tão intenso e desconcertante quanto no começo das relações.

Sendo assim, sentar e esperar que o tempo faça efeito não parece uma das soluções mais rápidas e indolores para deixar de amar alguém, mas a ciência aponta que é uma das mais eficazes.

Continua após a publicidade

Além disso, nesse meio tempo, você pode se ajudar, fazendo exercícios físicos para liberar, em seu corpo, hormônios do bem-estar, como a dopamina; e abraçar o máximo que puder seus amigos, já que o toque é uma maneira de circular ocitocina, hormônio que acalma os ânimos.

5. Desenvolva-se

Por mais que nos primeiros momentos seja mais difícil, conforme o tempo for passando, é importante reverter as lamentações em ação com intuito de você conseguir se desenvolver como pessoa e, consequentemente, como parceiro em sua próxima relação.

Observe o que você conseguiu de aprendizado no relacionamento e utilize nos mais diversos contextos que for possível, isso, inclusive, te ajudará a ver que o período com aquela pessoa não foi um desperdício de tempo.

6. Permita-se descobrir o novo

Sabemos que, no início de uma separação, poucas pessoas estão pensando em novos começos e está tudo bem. No entanto, é muito importante que, de acordo com o passar do tempo, você passe a se permitir conhecer pessoas novas, ambientes diferentes e se abrir para essas experiências.

Continua após a publicidade

É muito importante ir fazendo esse movimento aos poucos, conforme você vai se sentindo mais confortável, pois, dessa forma, essa abertura ao novo ocorre de forma mais suave e natural, sem ser nada forçado.

Leia mais:

Fontes: Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional, Espaço Recomeçar.

Continua após a publicidade

Próxima página »

Escolhidas para você