5 assassinas bonitas e mais cruéis do mundo

O senso comum nos diz que as prisões pelo mundo são sempre cheias de pessoas feias, mal encaradas e que estão sempre tramando algo muito ruim, já que são também pessoas ruins por natureza. Esse, na verdade, é um grande exagero, um preconceito sem tamanho. O que a realidade nos mostra é que as cadeias abrigam gente de todo jeito, incluindo assassinas bonitas, que são também cruéis, apesar da beleza física.

Você vai ter a oportunidade de conhecer alguns bons exemplos disso. Na lista que preparamos abaixo, você vai conhecer mulheres que estariam acima de quaisquer suspeitas, especialmente pela carinha de anjo que elas têm. Aliás, uma característica em comum entre elas é que são todas assassinas bonitas, daquelas que conseguiriam deixar qualquer juiz confuso… há, inclusive, as conseguiram esse feito na seleção.

Algumas das assassinas bonitas e mais cruéis do mundo, como você vai descobrir em instantes, foram capazes de matar, à sangue frio, seus namorados e maridos. Em alguns casos, nem mesmo os filhos foram poupados de suas índoles ruins.

Sinistro, não? Essa matéria, com certeza, é um alerta para que as pessoas prestem menos atenção nas aparências e uma prova incontestável de que “quem vê cara, não vê coração”.

Confira, abaixo, algumas das assassinas  bonitas e mais cruéis do mundo:

Amanda Knox

Amanda Knox arrives at her trial for the murder of Meredith Kercher in 2009

Meiga e sorridente, como está na foto, muita gente seria capaz de acreditar que a britânica Amanda se trata de um ser humano inofensivo. Sua história, no entanto, surpreende a todos por mostrar evidências completamente diferentes desse conceito inicial.

Amanda foi acusada de matar a estudante Meredith Kercher, em 2007. A vítima foi encontrada morta, com a garganta cortada, no apartamento que dividia com a assassina, na Itália. Segundo as investigações, a moça foi morta porque havia se recusado a participar da orgia que sua colega e outros dois rapazes estavam fazendo.

A polícia acredita que Amanda contou com a ajuda de Raffaele Sollecito, seu namorado na época; e de um andarilho, chamado Rudy Guede. Eles também foram acusados pelo crime.

2

Mas a parte mais incrível vem agora: Amanda e seu namorado – embora tenham passado 4 anos na prisão – foram absolvidos em 2010. Em 2013, quando o caso foi retomado, somente o andarilho foi condenado pelo assassinato e cumpre pena desde então.

Casey Anthony

Essa, com certeza, é uma das mais cruéis assassinas bonitas que você vai conhecer hoje. A americana, segundo noticiou a imprensa, simplesmente não se importou com o desaparecimento da filha, Caylee Marie Anthony, em 2008. A reação dela foi tão estranha que a promotoria de Orlando, na Flórida, a acusou pela morte da criança.

Segundo a acusação, Casey teria anestesiado a menina com clorofórmio e vedado sua boca com fita adesiva antes de tirar a vida da criança. Há indícios de que a mãe tenha coberto o corpo da filha com um cobertor e deixado no porta-malas do carro por um tempo, antes de jogá-la em um matagal.

4

Uma das principais provas de que Casey não estava preocupada com o desaparecimento da filha (o que a incrimina), foram as festas que ela própria organizou durante os 31 dias que a garotinha ficou “desaparecida”. As pessoas que viviam próximas à assassina disseram que ela nunca mencionou a falta da filha e chegou a fazer uma tatuagem durante o desaparecimento da menina, com a frase “bella vita” (vida bela, em italiano).

Mas, embora todas as evidências apontassem para a mãe, como autora do crime, a promotoria falhou em ligar Casey ao crime. Ela, então, foi absolvida e pegou uma pena leve por mentir em seus testemunhos à polícia.

Jodi Arias

5

Absolutamente atraente, Jodi é uma das assassinas bonitas de nossa lista. Mas, apesar do rosto angelical, ela matou o próprio namorado, Travis Alexander, com 27 facadas e um tiro na cabeça, em 2008.

No início, ela disse à justiça que matou o homem em legítima defesa, como resposta aos abusos que sofria há algum tempo, por parte dele. Mas as provas do crime e as gravações que a polícia conseguiu, indicavam outras circunstâncias; e a moça acabou confessando que tirou a vida do namorado durante uma ataque de ciúmes: ela não conseguiu lidar com a notícia de que Travis havia terminado o relacionamento e estava planejando ir para o México com outra mulher.

6

Jodi foi acusada e condenada pelo crime. Mas, ao invés de passar o resto da vida na cadeia, ela pediu ao júri que preferia a pena de morte. Na última hora, no entanto, ela se arrependeu da escolha e agora espera a anunciação de sua prisão perpétua.

Megan Martzen

7

Apenas 19 anos, mas cheia de maldade. Ela trabalhava como babá e foi condenada pela morte de um bebê, de apenas 17 meses. Segundo os laudos de óbito da criança, a causa da morte foram concussões graves na cabeça e no abdômen, o que seria fruto de uma ‘chacoalhada’ muito forte.

8

No mesmo instante em que as causas da morte da crianças foram noticiadas, as atenções pousaram sobre a babá, que nem se deu ao trabalho de negar o crime. Mas sua condenação foi por homicídio culposo, aquele que não tem intenção de matar. Sua pena saiu depois de três anos da morte do bebê, e ela foi condenada a três anos de liberdade condicional.

Tanta clemência seria por Megan estar no “hall” das assassinas bonitas?

Amber Hilberling

10

Em 2013, Amber empurrou o marido da janela do apartamento, no 25º andar. Segundo os registro do crime, o que motivou a moça, considerada uma das assassinas bonitas e mais cruéis do mundo, a matar foi uma discussão trivial entre o casal.

Conforme a família, o homem pretendia deixar Amber e já estava de malas prontas por ter sofrido abusos psicológicos durante outras brigas. Ela estava grávida de 7 meses, do segundo filho, quando tirou a vida do marido. Cerca de 30 dias antes do crime, Amber havia quebrado uma lâmpada na cabeça dele.

9

Leia também: Conheça as 10 mulheres mais bonitas de 2015.