Dez músicas que eram usadas como método de tortura

Uma música inocente não pode fazer mal à ninguém, certo? Não é bem assim. Algumas prisões e polícias especias tem utilizado a música como método de tortura. A lista vai de canções infantis até os grandes sucessos de bandas de heavy metal.

Apesar da tortura ser considerada um crime de guerra, vários jornais, emissoras de TV e até ex-detentos, confirmaram o uso das músicas abaixo em sessões de tortura:

Killing in the name – Rage Against The Machine 

A música foi repetida em looping por dias na prisão de Guantánamo. A banda Rage Against The Machine se uniu ao movimento “Zero dB”, que luta pelo fim da tortura musical, em 2008.

Bodies – Drowning Pool

A música está no “top hits” das salas de interrogatório e tortura. Um fato curioso é que o baixista da banda aprovou o uso da música para esse fim.

The Real Slim Shady – Eminem

Binyam Mohamed, um ex-detento, revelou eu seu livro que foi torturado diversas vezes com esse Rap do Eminem entre 2002 e 2004 pela CIA em uma prisão secreta no Afeganistão.

I Love You – Barney

De acordo com o canal CNN, essa canção infantil, simples e repetitiva, foi usada indeterminada vezes como método de tortura na prisão de Guantánamo.

Enter Sandman – Metallica

Segundo ao jornal “The Guardian”, o hit “Enter Sandman” da banda de heavy metal Metallica, também foi usada com a finalidade de torturar detentos na prisão de Guantánamo.

Fire – Red Hot Chili Peppers

A CIA foi acusada em 2014 pela emissora de TV Al Jazeera de algemar e prender suspeitos de terrorismo à caixas de som que reproduziam repetidas vezes a música “Fire”, do Red Hot Chili Peppers.

Born in the USA – Bruce Springsteen

Em 2011 mais de 800 arquivos vazados pelo site Wikileaks confirmaram o uso desta canção em volumes elevados como método de tortura na prisão de Guantánamo.

Tema de Vila Sésamo

Mais uma canção infantil desvirtuada. Segundo o pesquisador em Direitos Humanos Thomas Keenan, a música foi muito usada em sessões de tortura nas prisões de Abu Grahib e Guantánamo.

My sweet lord – George Harrison

Segundo o jornal “Telegraph”, as músicas do ex-beatle foi tocada por dias, com a finalidade de tortura, presos da ditadura de Pinochet, no Chile.

 

 

Fonte: Mundo Estranho
Imagens: Reprodução