Saúde

Dieta antifúngica: combata a candidíase e a síndrome fúngica

Muitas pessoas desenvolvem aftas ou outro tipo de candidíase. Mas, você sabia que uma dieta antifúngica pode ajudar a aliviar os sintomas?

Candida albicans (C. albicans), um tipo de fungo que vive na boca, trato gastrointestinal e vagina, não causa problemas em níveis normais. Mas um crescimento excessivo – causado por má alimentação, ingestão excessiva de álcool ou estresse – pode desencadear síndrome fúngica, candidíase, fadiga e muito mais. Mas, você sabia que uma dieta antifúngica pode prevenir e ajudar a aliviar os sintomas?

Desse modo, para proteger contra o crescimento excessivo de candida, é importante evitar alimentos como frutas com alto teor de açúcar, excesso de carboidratos, álcool e açúcar de qualquer forma. Em vez disso, você deve se concentrar em carnes magras, vegetais sem amido e gorduras saudáveis.

Veja no post de hoje como reforçar seu sistema contra a candida.

O que comer em uma dieta antifúngica?

Vinagre de maçã

O vinagre de maçã tem sido usado há muito tempo como remédio caseiro para tratar o crescimento excessivo de candida e proteger contra infecções fúngicas e aftas.

Continua após a publicidade

Assim, estudos mostram que o vinagre de maçã tem poderosas atividades antimicrobianas e pode inibir o crescimento de C. albicans e outros patógenos. Pode até ser mais eficaz que a nistatina, um medicamento antifúngico, na prevenção do crescimento excessivo de candida na boca.

Couve

As folhas verdes são ricas em fibras para nutrir bactérias intestinais benéficas e ajudar seu corpo a proteger contra o crescimento excessivo de candida. A couve também é uma crucífera, por isso é rica em compostos que podem minimizar o crescimento de C. albicans.

Continua após a publicidade

Além disso, outros vegetais crucíferos e sem amido para uma dieta antifúngica incluem espinafre, rúcula, couve de Bruxelas, repolho, brócolis, aipo, feijão verde, pepino, berinjela, cebola e abobrinha.

Óleo de côco

O óleo de coco é um remédio tradicional para proteger contra candidíase e outras infecções fúngicas. É rico em ácido caprílico, ácido cáprico e ácido láurico, ácidos graxos com propriedades antifúngicas que ajudam a inibir o crescimento de C. albicans e outros patógenos.

Continua após a publicidade

Além disso, o ácido láurico no coco também é eficaz contra feridas na boca e pode prevenir infecções por Candida na boca (aftas).

Cúrcuma

A cúrcuma contém curcumina, um poderoso agente anti-inflamatório e antifúngico que parece inibir o crescimento de C. albicans e proteger contra infecções fúngicas.

Um estudo sugeriu que a curcumina prejudicou a capacidade das leveduras de se ligar às células da boca e foi realmente mais eficaz que o fluconazol, um medicamento antifúngico.

Alho

O alho é rico em alicina, um composto formado quando os dentes de alho são esmagados ou picados. A alicina demonstrou inibir a proliferação de fungos e bactérias.

Continua após a publicidade

Estudos sugerem que o composto pode proteger contra o crescimento excessivo de candida. Pode até reduzir a capacidade da candida de se ligar às células que revestem a boca. No entanto, como a alicina é danificada pelo aquecimento, é melhor comer alho cru para obter a máxima eficácia.

Gengibre

O gengibre contém compostos antifúngicos chamados gingerol e shagelol e agentes anti-inflamatórios. Estudos mostram que o gengibre pode inibir o crescimento de C. albicans.

Kimchi

Kimchi é um prato de repolho picante, tradicionalmente fermentado, rico em uma variedade de probióticos. Esses probióticos protegem o intestino de patógenos e, como mostram os estudos, reduzem a inflamação intestinal.

Além disso, o conteúdo probiótico do Kimchi também protege contra o crescimento excessivo da levedura candida e pode aliviar os sintomas da candida. Como não contém laticínios e também contém alho e gengibre, é ideal para uma dieta antifúngica.

Continua após a publicidade

O que evitar em uma dieta antifúngica?

Açúcar

Qualquer forma de açúcar processado, incluindo açúcar branco ou mascavo derivado da planta de cana-de-açúcar e qualquer adoçante simples derivado de xarope de bordo, mel, agave, xarope de arroz integral ou malte.

Você também precisa tomar muito cuidado para evitar o xarope de milho com alto teor de frutose – essa forma processada de açúcar, derivada da planta do milho, é especialmente problemática para o crescimento excessivo de levedura e deve ser evitada.

Carboidratos simples

Carboidratos processados, como farinhas brancas, arroz branco não contêm fibras e se transformam em açúcares simples no sistema digestivo. Os alimentos nesta categoria incluem bolachas, batatas fritas, massas e macarrão instantâneo.

Levedura

A Candida é uma levedura e, quando você consome alimentos que contêm levedura, está adicionando mais levedura a um ambiente já cheio de fungos.
Desse modo, alimentos com alto teor de levedura incluem:

Continua após a publicidade
  • Bebidas alcóolicas, principalmente cervejas;
  • Produtos fermentados, incluindo todos os tipos de vinagre, molho de soja, tamari, molho de salada, maionese, ketchup, mostarda e a maioria dos outros condimentos que incluem vinagres;
  • Muitos pães contêm fermento, por outro lado, as tortilhas não contêm fermento e podem ser usadas para substituir o pão.

Alimentos fonte de fungo

Alimentos ricos em mofo podem aumentar os esporos de fungos no trato intestinal que contribuem para o crescimento da Candida. Os principais são:

  • Carnes em conserva, defumadas ou secas, como cachorro-quente, salmão defumado e bacon de porco curado;
  • Queijo, especialmente ‘queijo mofado’, como gorgonzola, brie e camembert;
  • Frutas secas e frutas enlatadas ou em frascos – estas pertencem à categoria de açúcar, bem como à categoria de mofo, pois contêm açúcar concentrado.

Cogumelos

Os cogumelos são um fungo e, como tal, também podem contribuir para o crescimento excessivo de leveduras. Os cogumelos têm um papel a desempenhar na medicina e algumas espécies podem estimular o sistema imunológico.

No entanto, com o objetivo de tratar a Candida, é melhor evitar qualquer alimento que tenha um componente fúngico para minimizar o crescimento de levedura nos intestinos.

Candidíase e síndrome fúngica

Um crescimento excessivo no trato gastrointestinal da levedura Candida albicans geralmente benigna pode causar candidíase crônica ou síndrome fúngica. Esse aumento pode ser desencadeado por AIDS/HIV, uso antibióticos, esteróides, gravidez, quimioterapia, alergias ou simplesmente um sistema imunológico fraco.

Continua após a publicidade

Especificamente, acredita-se que o crescimento excessivo de candida cause uma ampla variedade de sintomas em praticamente todos os sistemas do corpo, sendo os sistemas gastrointestinal, geniturinário, endócrino, nervoso e imunológico os mais suscetíveis.

Normalmente, a Candida albicans vive harmoniosamente no trato digestivo (e no trato vaginal nas mulheres). No entanto, quando essa levedura cresce demais, os mecanismos do sistema imunológico são esgotados ou o revestimento normal do trato intestinal é danificado, o corpo pode absorver células de levedura, partículas de células e várias toxinas.

Como resultado, pode haver uma interrupção significativa dos processos do corpo, resultando em sintomas como fadiga, ansiedade, mal-estar geral, coceira, erupções cutâneas e infecções dependo do local afetado.

Fontes: Nutritotal, Mundo Boa Forma, Tua Saúde, Ecycle, Vegmag, Boomi, Lactose Não

Continua após a publicidade

Então, achou este artigo interessante? Pois, leia também:

Próxima página »

Escolhidas para você