Curiosidades

ENEM: conheça a história do exame que mexe com a cabeça dos jovens

Criado em 1998, o ENEM contava apenas com 63 questões e a redação, e contava com uma missão muito diferente da que tem hoje.

Criado em 1998, pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), o Exame Nacional do Ensino Médio, popularmente conhecido como ENEM, tinha como objetivo principal avaliar os estudantes de todo o país cursando o ensino médio em escolas públicas e particulares.

Apesar de ainda manter em sua essência essa avaliação do sistema de ensino no Brasil, nos últimos anos a avaliação ganhou novas diretrizes, sendo hoje o maior meio dos jovens brasileiros de ingressar no ensino superior.

Rascunho automático

Apesar de ser tema principal nas rodas de conversa daqueles que buscam se graduar no ensino superior e movimentar milhões de pessoas durante dois finais de semana por ano, poucos conhecem a história do ENEM. Sem mais delongas, segura na minha mão que eu vou te levar por essa viagem histórica recente.

Origem

O ENEM foi criado em 1998, na gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Para ser mais exato, o exame foi criado pelo então ministro da educação Paulo Renato Souza.

No princípio, a prova contava com 63 questões – bem menos do que as atuais 180 perguntas objetivas – e uma redação. A proposta era recolher os resultados do teste para auxiliar o governo na elaboração de políticas de melhoria na educação do País. Quatro edições depois, em 2001, o ENEM já contava com mais de 1 milhão de inscritos, contrastando com os 157 mil inscritos da 1° edição, de 1998.

Continua após a publicidade
Rascunho automático
Paulo Renato Souza

A prova ganhou um alto nível de popularidade e se consolidou de vez em 2004, já na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Pois foi nesse ano que houve a criação do Programa Universidade para Todos, o famoso ProUni, que concede bolsas de estudos para estudantes em universidade e faculdades particulares de acordo com o desempenho do estudante no ENEM.

O sucesso foi tamanho que no ano seguinte, em 2005, o exame contou com 3 milhões de inscritos e mais de 2 milhões de participantes.

Tornando-se vestibular

Em 2009, o governo federal mudaria de vezo caráter do ENEM. Ele deixaria de ser apenas um medidor de qualidade do ensino médio e um gerenciador de bolsas de estudos para se tornar, também, um grande vestibular nacional. Desde então, ele passou a ser um processo unificado de seleção para universidades públicas de todo o país.

A ideia era substituir um exame baseado em conhecimentos decorados, como a maioria das provas para universidades federais de todo o país na época, por um exame que opta pela resolução de problemas, a interdisciplinaridade e o raciocínio lógico.

Rascunho automático

No ano seguinte, em 2010, a prova contou com mais de 4 milhões de inscritos. Foi também neste ano que o governo criou o Sistema de Seleção Unificada, o SISU.

Continua após a publicidade

Ele é um mecanismo que cruza os as notas obtidas pelos alunos com as vagas disponíveis em universidades públicas. Assim, apenas com a inscrição no SISU após a realização do exame, os alunos podem concorrer as vagas existentes. Atualmente, as provas das próprias universidades federais para ingresso de novos alunos foram quase todas extintas, restando apenas algumas universidades pelo país que aplicam suas próprias provas, além do SISU. Quase todas se adequaram ao modelo do governo federal.

Problemas do ENEM

Nos últimos 9 anos, desde que o ENEM passou a ser bem mais abrangente do que em outrora, o número de problemas também foi significativo. O primeiro deles aconteceu em 2010, quando dados de participantes dos anos de 2007, 2008 e 2009 vazaram na internet e puderam ser acessados livremente.

Foram cerca de 12 milhões de afetados pelo erro na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o INEP.

Na sequência de erros, em 2010, no primeiro dia de provas, o gabarito veio invertido. Além disso, nessa mesma edição, cerca de 33 mil cadernos de prova vieram com erro de impressão.

Rascunho automático

Se isso já não fosse suficiente, também ocorreu do vazamento do tema da redação. A cereja do bolo foi um erro encontrado em uma questão sobre a passagem de um livro.

Continua após a publicidade

Em 2011, faltando três dias para as provas, houve erro na confirmação de local de prova para cerca de mil estudantes. Além disso voltou a acontecer o vazamento do tema da redação e também houve o vazamento da própria prova.

Em 2012 e 2013 erros de mesmo gênero voltaram a se repetir. Apesar de pequenas “bolas foras”, a aplicação da prova se estabilizou nos últimos anos.

ENEM 2018

Hoje, o ENEM é o segundo maior exame do mundo para entrada de jovens no ensino superior, só perdendo para a China, cuja prova se chama gaokao. A edição de 2018 conta com mais de 5 milhões e meio de inscritos.

O local de prova já está disponível no site do INEP. As provas ocorrerão em dois finais de semana separados – como ocorre desde 2017.

ENEM: conheça a história do exame que mexe com a cabeça dos jovens

O primeiro dia será no domingo de 4 de novembro, e o segundo será no domingo de 11 de novembro. Os gabaritos serão divulgados no dia 12 de novembro e o resultado só em janeiro de 2019.

Continua após a publicidade

Para concluir, quem for fazer o exame neste ano, deve se preparar para não se atrasar, pois o horário de verão irá iniciar no primeiro dia de prova, 4 de novembro.

E então, você sabia que foi assim que o Enem se tornou o que é hoje? Você vai fazer a prova esse ano ou conhece alguém que vá? Comente!

Agora, falando no assunto, confira ainda: Como memorizar qualquer coisa, segundo a neurociência.

Fonte: Terra, G1

Próxima página »

Escolhidas para você