História

Era Vitoriana: conheça os piores empregos do período

Os piores trabalhos da Era Vitoriana incluem desde coletar sanguessugas, limpar chaminés até desenrolar múmias falsas.

A era vitoriana foi o período de máximo esplendor do Reino Unido da Grã-Bretanha. Este cobriu a maior parte do século XIX e corresponde ao reinado da Rainha Vitória I, entre 1837 e 1901. Aliás, também foi neste período, que existiram os piores empregos, destinados aos mais pobres. Este grupo sofria de condições de vida muito precárias, com longas jornadas de trabalho, condições insalubres e pouco acesso à moradia.

Veja alguns exemplos abaixo!

7 piores empregos da Era Vitoriana

1. Varredor particular

Como se pode ter uma ideia, hoje as estradas são muito limpas, mas no século XIX obviamente não era tão fácil mantê-las nessas boas condições.

Mas, ao mesmo tempo, durante a Era Vitoriana na Inglaterra, era muito comum que as grandes personalidades, pessoas ricas ou com certo poder, vestissem roupas de grandes dimensões e que muitas vezes esfregavam no chão.

Continua após a publicidade

Obviamente, roupas roçando o chão e sujeira nele não é uma boa combinação, de modo que as pessoas cujo trabalho era varrer a passagem dessas personalidades eram colocadas nos cruzamentos das ruas, evitando assim que suas roupas ficassem sujas.

Com efeito, esta profissão manteve-se em vigor até ao final do século XIX.

2. Coletor de sanguessugas para uso médico

Na Era Vitoriana as sanguessugas eram um dos recursos mais valorizados pelos médicos para tratar praticamente qualquer tipo de doença. Aliás, naquele tempo não havia recursos médicos que temos hoje à nossa disposição.

Devido à forte demanda por sanguessugas, surgiu o trabalho de coleta desse bicho, que geralmente era uma mulher, e cujo objetivo era entrar nas lagoas para que elas aderissem aos braços e pernas. Mais tarde, eles os venderiam aos médicos.

Continua após a publicidade

Contudo, é evidente que não era um sistema muito seguro. Em primeiro lugar porque a sanguessuga estaria sugando o sangue de uma pessoa que também poderia ter alguma doença, que se espalharia para o paciente a quem a referida sanguessuga foi aplicado.

Por outro lado, ao utilizar esse sistema para coleta, essas mulheres geralmente perdiam muito sangue e até apresentavam inúmeras feridas pelo corpo. É por isso que, com o tempo, decidiu-se usar cavalos em vez de pessoas.

3. Devorador de pecados

Basicamente, o que esse trabalhador fazia era transferir os pecados do corpo do falecido para o seu próprio corpo, tornando mais fácil para ele ir para o céu.

A maioria das pessoas que se dedicavam a esse trabalho eram mendigos, que no início eram muito apreciados. Todavia, com o passar do tempo e com a ideia de que estavam acumulando um grande mal dentro de si, acabaram sendo estigmatizados.

Continua após a publicidade

É importante ter em mente que esta prática nunca foi endossada pela Igreja, então no final acabou desaparecendo completamente.

4. Desenrolador de múmia

Esse é outro dos piores empregos da Era Vitoriana. Basicamente se concentrava no grande número de expedições que eram feitas no Egito pelos ingleses, que, como se sabe, não respeitavam muito as outras culturas.

De fato, muitas vezes traziam múmias para a Inglaterra com o objetivo de usá-las em uma espécie de espetáculo em que as bandagens eram retiradas lentamente.

No entanto, vale ressaltar que os arqueólogos conseguiram verificar que grande parte das múmias que desembrulharam eram falsas. Portanto, de certa forma, foi um trabalho desrespeitoso e, ao mesmo tempo, uma farsa.

Continua após a publicidade

5. Despertador humano

Basicamente, os que se dedicavam a este serviço acordavam seus clientes em função da hora que tinham para se levantar. Deve-se notar que cada cliente colocava um pequeno quadro no qual indicava a hora em que desejava ser acordado.

Embora, fosse um trabalho contratado pelos próprios trabalhadores, houve também o caso de inúmeras empresas que tiveram problemas de pontualidade com seus funcionários,

Na verdade, este trabalho foi mais difundido em muitos países do que podemos imaginar. Contudo, obviamente chegou ao fim quando se generalizou o uso de despertadores tradicionais, que eram mais baratos e, claro, também mais confortáveis.

6. Caçadores de ratos

Os caçadores de ratos eram empregados pelos ricos para se livrar de infestações em suas casas ou ruas, e normalmente usavam um furão ou cachorro pequeno para ajudá-los em suas buscas.

Continua após a publicidade

Muitas vezes preferiam pegar os animais vivos para vendê-los aos “ratoeiros”. Ratoeiros eram homens que jogavam um monte de ratos vivos em uma cova, junto com um cão faminto, e apostavam em quanto tempo o cachorro levaria para matar todos eles.

7. Limpador de chaminés

Por fim, outro dos piores empregos da Era Vitoriana, estava relacionado ao trabalho infantil. As crianças, a partir dos 4 anos de idade, costumavam trabalhar como limpadores de chaminés, pois eram do tamanho perfeito para caber em chaminés de tijolos.

Os espaços apertados das lareiras muitas vezes faziam com que as crianças arranhassem os joelhos e cotovelos, antes de ficarem cobertas de calos. A inalação de fuligem e poeira das chaminés muitas vezes levava a danos permanentes nos pulmões.

Há também evidências que sugerem que alguns patrões até atearam fogo sob as chaminés de trabalhadores relutantes para forçá-los a subir mais alto.

Continua após a publicidade

Fontes: Buzzfeed, Triniradio

Leia também:

10 curiosidades surreais sobre a Era Vitoriana

Profissões que não existem mais – 10 trabalho extintos

Continua após a publicidade

Qual é a profissão mais antiga do mundo?

Profissões do futuro, quais são? 30 carreiras para conhecer hoje mesmo

Profissões mais bem pagas – Ranking com os 9 melhores salários

Profissões promissoras – 21 possibilidades no mundo pós-pandemia

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você