Curiosidades

Fim do mundo: 10 catástrofes que podem aniquilar a humanidade

O fim do mundo ocorrerá, mas não será de uma hora para outra como muitos acreditam. Mas, em quais cenários a humanidade pode ser exterminada?

Você já parou para pensar como será o fim do mundo? Há milhares de anos as pessoas vêm prevendo possíveis causas para o apocalipse ou o fim da humanidade como a conhecemos.

Por exemplo, quem não lembra quando foi dito que o mundo acabaria no 21 de dezembro de 2012? Felizmente, o último dia do calendário maia não foi marcado pelas tempestades solares e efeitos catastróficos das marés, conforme a antiga civilização previu.

Além disso, existiram outras teorias recentes como a ideia de que planeta Nibiru, cerca de quatro vezes o tamanho da Terra, iria colidir com o nosso mundo em 2017.

Claro, que nada disso aconteceu, mas essas teorias sobre o fim do mundo, aliás, algumas bem malucas, ganham força a cada dia. Por isso reunimos a seleção de alguns cenários catastróficos para o fim do mundo, confira!

Continua após a publicidade

10 teorias sobre o fim do mundo

1. Colisão de um asteroide com a Terra

Esta teoria é a favorita das pessoas há muito tempo e até mesmo os cientistas acreditam que ocorrerá um dia. Por exemplo, em 2004, os cientistas descobriram o Apophis, um asteroide de 390 metros de largura.

Ademais, a NASA previu que se o Apophis colidisse com a Terra, a energia liberada seria 1.000 vezes maior do que a explosão nuclear sobre Hiroshima, no Japão, na Segunda Guerra Mundial e que todos no planeta sentiriam os efeitos. Os astrônomos pensaram que o Apophis tinha 1 chance em 37 de colidir com a Terra em 2029.

Então eles mudaram de ideia. Agora, a maioria dos cientistas concorda que o Apophis passará por nós em 2029. Alguns dizem, entretanto, ele ainda pode voltar em 2036. Se isso acontecer, a colisão pode ser devastadora para a humanidade.

Continua após a publicidade

2. Mudanças climáticas

Fim do mundo: 10 catástrofes que podem aniquilar a humanidade

Segundo uma pesquisa da Nature Climate Change, por causa das intensas mudanças climáticas a Terra precisará de 50% a mais de alimentos até 2050 para alimentar a população. Todavia, o grande problema é que o nosso suprimento pode não ser capaz de atender a demanda.

Além disso, os pesquisadores descobriram que o aquecimento global pode reduzir a produção de alimentos em 10%. O rendimento das safras não será afetado apenas pelo aquecimento global, mas também pela camada de ozônio.

Usando um modelo que examinou quatro safras principais e projeções da qualidade do ar, os pesquisadores descobriram que a desnutrição nos países em desenvolvimento poderia aumentar para 27%, ante os atuais 18%.

Continua após a publicidade

Ademais, a mudança climática pode, é claro, ter outros efeitos terríveis em nossa produção de alimentos, incluindo enchentes e outras condições climáticas extremas, como as recentes secas, tempestades tropicais e temperaturas extremas.

3. Inversão dos polos magnéticos

Algumas pessoas acreditam os polos magnéticos da Terra se inverterão em algum momento repentina e drasticamente. Aliás, se isso acontecer continentes inteiros podem mover-se repentinamente ou mesmo afundar no oceano. Mas, não para por ai!

Acredita-se que em meio ao processo também haverá desastres naturais épicos. Tsunamis, terremotos massivos, erupções vulcânicas, entre outros. Desse modo, a combinação de mudanças continentais no núcleo da Terra e desastres naturais generalizados levará ao fim da vida como a conhecemos.

Continua após a publicidade

Todavia, não criemos pânico! Pois a Universidade de Yale afirma reversão dos polos magnéticos da Terra é um fenômeno natural que ocorre a cada 250.000 anos. E, no entanto, não há evidência de um declínio de 10% no campo magnético da Terra desde o século XIX; portanto, não há nenhuma evidência científica de que a mudança de polo súbita irá ocorrer em breve.

4. Guerra nuclear

Fim do mundo: 10 catástrofes que podem aniquilar a humanidade

O cenário da Guerra Fria instituiu a ideia de que os países poderiam lançar bombas nucleares uns sobre os outros até que causassem o fim do mundo.

Para muitas pessoas, esse medo desapareceu com o fim da Guerra Fria na década de 1990, mas alguns ainda acreditam que ter acesso a essas armas ainda pode levar à destruição prematura do nosso planeta.

Continua após a publicidade

Isso porque a consequência da detonação de uma única bomba nuclear é devastadora. Assim, num possível cenário de guerra, as bombas nucleares abririam buracos no ozônio, resfriariam o planeta e limitariam nossa proteção contra os raios ultravioleta.

Como resultado, as plantações poderiam morrer, milhões iriam sucumbir à fome e as taxas de câncer de pele também iriam disparar.

Entretanto, embora a guerra nuclear seja uma das hipóteses para as causas do fim do mundo, ela é um cenário bastante improvável. Até hoje apenas duas bombas atômicas foram usadas em tempo de guerra.

Desde então, mais de 100 partes assinaram o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares (TNP), concordando em não usá-las na guerra.

Continua após a publicidade

5. Guerra química e biológica

Ao contrário das armas nucleares, que requerem uma engenharia complexa, a guerra biológica e química pode ser desenvolvida a um custo relativamente baixo e com materiais relativamente acessíveis .

Em suma, produtos químicos tóxicos armados podem causar um dano tremendo a um alvo específicos, pois imagine o que aconteceria com a população de um local, se toxinas forem liberadas para o ar ou para o abastecimento de água.

Além disso, as armas biológicas representam uma ameaça catastrófica ainda maior. Os avanços na biologia sintética tornaram muito real a possibilidade de pessoas com más intenções criarem patógenos prejudiciais para o armamento.

Continua após a publicidade

Por outro lado, também existe a chance de que pesquisadores inocentes lancem acidentalmente um vírus infeccioso letal para o mundo. No caso de uma pandemia de rápida movimentação, o mundo ficaria muito vulnerável.

6. Pandemia

Fim do mundo: 10 catástrofes que podem aniquilar a humanidade

Já que citamos o cenário de pandemia no último tópico, vamos aprofundá-lo mais aqui.

A pandemia de coronavírus (covid-19) é a crise de saúde global mais significativa de nosso tempo e apresenta o maior desafio que enfrentamos desde a Segunda Guerra Mundial. Surgido na Ásia no final de 2019, o vírus está presente em todos os continentes e não se sabe quando esse cenário vai terminar.

Continua após a publicidade

Em suma, os vírus e outros patógenos fluem continuamente entre as espécies, muitas vezes sem efeitos, às vezes sofrendo mutação, de vez em quando causando doenças.

Essa mistura é conhecida como ‘vibração viral’ e quanto mais espécies diferentes entram em contato próximo regular, maiores são as chances de ocorrer um evento de transbordamento.

Portanto, mesmo com o fim da pandemia de Covid-19, a comunidade científica deve ficar alertar a possíveis novos vírus e outros patógenos que possam evoluir e se espalhar entre os humanos com facilidade.

7. Guerra contra a Inteligência artificial (IA)

Continua após a publicidade

A IA trazendo o fim dos tempos é algo que assusta muita gente. No entanto, esta precisaria ser uma superinteligência artificial muito mais inteligente e muito mais rápida do que os seres humanos.

Além disso, caso o cenário se concretize, existe a chance de que a IA possa simplesmente querer dominar a humanidade de alguma forma, ao invés de causar à sua destruição total.

8. Explosão do sol

Fim do mundo: 10 catástrofes que podem aniquilar a humanidade

Em suma, o sol passa por fases de atividade a cada 11 anos. Estamos atualmente no pico do ciclo, mas, na verdade, tem sido uma das fases “ativas” mais fracas que vimos ultimamente.

Continua após a publicidade

No longo prazo, porém, o sol continua envelhecendo. À medida que envelhece, vai se iluminando e aquecendo, com efeito, acredita-se que em cerca de 8 bilhões de anos se expandirá em uma gigante vermelha e engolirá todos os planetas do sistema solar.

Se isso ocorrer, o aquecimento do sol irá evaporar os oceanos da Terra, e então a radiação solar irá expulsar o hidrogênio da água. A Terra nunca mais teria oceanos, e consequentemente, seria o fim da humanidade.

9. Supervulcão

Assim, como o inverno nuclear ou o impacto de um asteroide, uma gigantesca erupção vulcânica poderia lançar partículas suficientes na atmosfera para bloquear o sol, resfriando o planeta e matando a vida vegetal.

Continua após a publicidade

Aliás, alguns pesquisadores acreditam que a ameaça do supervulcão é substancialmente maior do que a ameaça do asteroide ou do cometa.

Desse modo, os cientistas da NASA estão atualmente muito preocupados com o supervulcão sob o Parque Nacional de Yellowstone e estão testando maneiras de prevenir uma possível erupção.

10. Guerra contra alienígenas

Fim do mundo: 10 catástrofes que podem aniquilar a humanidade

Existem muitas crenças de que o mundo irá chegar ao fim por causa da invasão de extraterrestres.

Continua após a publicidade

Ademais, alguns também atribuem aos alienígenas uma possível punição dos humanos por meio de máquinas de destruição como supercomputadores e até mesmo zumbis. Que combinação bizarra, heim?

Agora que você conferiu os possíveis cenários para o fim do mundo, leia também: História da Internet – Evolução da rede da Guerra Fria aos dias atuais

Próxima página »

Escolhidas para você