Jan Karbaat, o médico que usava o próprio sêmen em tratamentos de fertilidade

Jan Karbaat foi um médico que morreu aos 89 anos em abril deste ano (04/2017). Ele coordenou por muitos anos uma clinica famosa de tratamentos de fertilidade em Roterdã, na Holanda. O falecido médico é acusado de substituir o esperma de doadores, escolhidos pelas mulheres inseminadas, por seu próprio esperma.

Joey Hoofdman, um holandês de 30 anos, conta que quando viu uma foto do médico quando jovem, ficou desorientado. “Fiquei desconcertado, chocado… quase caí”, disse ele em um programa da TV holandesa RTL4. (Na imagem acima: Joey Hoofdman à esquerda e Jan Karbaat à direita)

Até o momento, já foi confirmado que o médico é o pai biológico de 18 pessoas que nasceram a partir de procedimentos realizados na clínica. Entretanto, são 25 o número de pessoas que movem juntas uma ação judicial em que exigem amostras genéticas de Karbaat.

ISTOCK

Moniek Wassenaar, uma psiquiatra de 36 anos, é uma dessas 25 pessoas. Em entrevista ao The New York Times, ela contou que em 2011 encontrou o médico e que durante uma conversa ele declarou que acreditava estar prestando “um serviço à humanidade” ao doar seu sêmen e que acreditava ter pelo menos 60 filhos no mundo.

Enquanto vivo o médico já havia respondido as mesmas acusações de agora. Na época ele as menosprezava. Classificava como absurdas.

“São um pequeno grupo de mães frustradas que não estão satisfeitas com o resultado. Decidi passar por cima disso e rir de cada queixa”, disse no início deste ano, segundo a agência Efe.

ISTOCK

Prevendo o futuro, Karbaat antes de falecer deixou explicito em seu testamento que não autorizava a extração de amostras de DNA do seu corpo, e sua família também não aceitou a  exumação do corpo.

No momento, 18 pessoas que fizeram testes de DNA com o material genético de um dos filhos legítimos do médico tiveram resultado positivo, segundo a imprensa holandesa.

 

Fonte: BBC
Imagens: Reprodução