Biografias

Jeffrey Dahmer, fatos bizarros sobre o serial killer canibal

Jeffrey Dahmer matou 17 pessoas entre 1978 e 1991. Aliás, ele desmembrou e até comeu os corpos de suas vítimas, saiba mais sobre o serial killer.

Jeffrey Dahmer era cruel desde a adolescência e cresceu para se tornar um dos assassinos em série mais notórios da América. Dahmer nasceu em 21 de maio de 1960, filho de Joyce e Lionel Dahmer. De acordo com seu pai, Dahmer era um menino normal, feliz e amável até que ele passou por uma cirurgia de hérnia dupla por volta dos 4 anos. Após a cirurgia, Dahmer ficou quieto e retraído e seu interesse pela morte começou. No post de hoje vamos conferir os principais fatos sobre Jeffrey Dahmer, continue lendo abaixo!

Fatos da vida de Jeffrey Dahmer

Quando criança, Jeffrey Dahmer costumava coletar animais atropelados, desmembrá-los e armazenar as partes do corpo em potes no galpão de ferramentas de sua família. Ele até desmembrou um cachorro que havia encontrado morto e empalou a cabeça do animal.

Além disso, quando ele tinha apenas dez anos, ele perguntou ao seu pai o que aconteceria se ele branqueasse ossos de galinha.

Sua mãe, Joyce sofria de hipocondria e depressão, por isso ela passava a maior parte de seus dias na cama. Seu pai, Lionel, era um químico analítico e tinha um bom relacionamento superficial com Jeffrey. Eles se uniram por causa da ciência e do interesse de Jeffrey em uma espécie de taxidermia amadora.

Quando Jeffrey Dahmer entrou no ensino médio, ele já estava bebendo muito. Ele trazia uísque com ele para a aula e bebia descaradamente. Quando entrou na puberdade, Dahmer percebeu que era gay, mas não contou a seus pais ou amigos.

Em maio de 1978, Jeffrey Dahmer se formou no colegial. Seus pais se divorciaram recentemente e naquela primavera, sua mãe, Joyce, também se mudou e levou seu filho, David, com ela, mas deixou seu outro filho, Jeffrey, sozinho em casa.

Continua após a publicidade

Crimes e vítimas

Dahmer começou a ter fantasias que envolviam controle e dominação sexual. Não sabendo como agir sobre esses desejos, ele começou a usar a violência.

Assim aos 18 anos, Dahmer pegou um caroneiro que estava a caminho de um show de rock. Os dois passaram algum tempo na casa de Dahmer – quando o caroneiro quis ir embora, Dahmer o matou.

Depois que Dahmer desmembrou o corpo, ele colocou o corpo do homem em um saco de lixo e dirigiu para levá-lo a uma lixeira. Ao longo do caminho, ele foi parado pela polícia – mas foi liberado. Ele espalhou os ossos de sua primeira vítima na floresta perto de sua casa.

A essa altura, o pai e a madrasta de Dahmer notaram que ele estava agindo mal. Eles tentaram, sem sucesso, matriculá-lo na faculdade, levaram-no a psiquiatras e, eventualmente, o encorajaram a ingressar no exército.

A segunda vítima

Em 1979 Dahmer se juntou ao exército, trabalhando como médico de combate na Alemanha. Mas seu alcoolismo era um problema contínuo e ele foi expulso em 1981, indo morar com sua avó em West Allis, Wisconsin.

Em 1985, ele era um frequentador regular do balneário gay local, onde drogava homens e os estuprava enquanto estavam inconscientes. Ele foi preso por atentado ao pudor em 1982 e 1986, mas nunca enfrentou acusações pelos estupros.

Desse modo, ele conheceu sua segunda vítima, Steven Tuomi, em um bar em setembro de 1987. O serial killer confessou, anos depois, que quando acordou, ficou chocado ao ver o cadáver espancado de Tuomi. Mas, alegou que não se lembrava do crime.

Ele matou mais dois homens em 1988, outro homem em 1989 e quatro homens em 1990. Seu modus operandi envolvia atrair homens de bares ou pagar prostitutas para irem para casa com ele, onde ele drogava suas vítimas antes de estuprá-las e estrangulá-las.

Método perturbador

Foi nessa época que os maus caminhos de Dahmer entraram no território mais perturbador: tirar fotos de corpos desmembrados, fazer sexo com os cadáveres e também preservar os crânios e a genitália das vítimas para exibição. Aliás, ele também confessou guardar partes do corpo para consumo.

Em 1989, o serial killer foi preso por drogar e molestar sexualmente um menino de 13 anos. Isso o levou a ser preso como agressor sexual e sentenciado a cinco anos de liberdade condicional, bem como um ano em um campo de trabalho.

Ao ser solto, em maio de 1990, mudou-se para um apartamento em Milwaukee, onde ficou conhecido como “serial killer de Milwaukee”. Mas, apesar de ter compromissos regulares com seu oficial de condicional, ele estava em grande parte livre para continuar sua matança. Assim, ele assassinou quatro pessoas naquele ano e mais oito em 1991.

A prisão de Dahmer

O serial killer levou um homem de volta para sua casa em 22 de julho de 1991. No início do encontro, ele disse ao homem que iria comer seu coração. Mas Dahmer ficou sem drogas para deixar o homem inconsciente, e só conseguiu colocar uma algema na mão do homem. O homem conseguiu escapar e perguntar à polícia como tirar a algema.

A polícia não conseguiu tirar as algemas, então eles foram ao apartamento de Dahmer para procurar a chave. À vista de todos, os oficiais viram as fotografias das vítimas de Dahmer.

Essas fotos incluíam evidências de que Dahmer havia matado e desmembrado várias vítimas. Neste ponto, Dahmer foi finalmente algemado e levado sob custódia pelos assassinatos. Quando os investigadores revistaram a casa, encontraram todos os restos mortais e evidências dos recentes assassinatos do serial killer.

Quando e como Jeffrey Dahmer morreu?

Dahmer foi a julgamento em 30 de janeiro de 1992 e enfrentou 15 acusações de assassinato, alegando insanidade como sua defesa, devido a seus impulsos perturbadores. As provas contra ele eram esmagadoras e, após o julgamento de duas semanas, ele foi declarado culpado em 15 acusações de assassinato.

Ele foi condenado a 957 anos de prisão, em 15 penas de prisão perpétua; mais tarde ele confessou o assassinato de sua primeira vítima, Stephen Hicks, e recebeu uma sentença extra de prisão perpétua.

Dahmer confessou ter matado dezessete homens. Assim, ele cumpriu sua pena na Instituição Correcional de Columbia em Portage, Wisconsin, onde aparentemente expressou algum remorso por seus assassinatos.

Tentativas de assassinato

Houve dois atentados contra sua vida: uma envolveu um ataque de faca que exigiu pontos. A segunda tentativa foi mais bem-sucedida; em 28 de novembro de 1994, Dahmer foi espancado até a morte por um preso enquanto eles limpavam um dos chuveiros da prisão, sem algemas e sem vigilância.

Dahmer foi levado ao hospital, mas morreu de traumatismo craniano grave: ele tinha 34 anos. Seu assassino, Christopher Scarver, de 25 anos, também preso por assassinato, disse mais tarde à polícia que mantinha recortes de imprensa detalhando a onda de assassinatos de Dahmer e estava ‘desgostoso’. O corpo de Dahmer foi cremado e seus pais receberam suas cinzas.

Achou interessante saber esses fatos sobre Jeffrey Dahmer? Pois, leia também: Jeffrey Epstein, quem foi? Crimes cometidos pelo bilionário americano

Fontes: Aventuras na História, Wikipédia, Darkside

Próxima página »

Escolhidas para você