Ciência & Tecnologia

O que acontece com o corpo após a morte?

O corpo depois da morte passa por estágios de decomposição, contando com a ação de bactérias e, até mesmo, de animais em algumas situações.

Após a morte, o corpo humano perde suas funções vitais e passa a se decompor por meio de processos químicos e físicos. O tempo que o processo de desintegração completa pode variar de semanas até anos, pois isso está ligado a fatores específicos, como temperatura, se o corpo está ou não em um caixão etc.

Além disso, segundo uma pesquisa australiana publicada em 2020, durante o processo de decomposição o corpo pode se mover. Esses movimentos podem ocorrer em diversas partes do corpo e não se tratam de pequenos espasmos como são conhecidos.

Para os pesquisadores, esses movimentos acontecem enquanto o corpo passa por um processo semelhante à mumificação e quando os ligamentos estão se ressecando.

Estágios da decomposição

Levaremos em consideração aqui um corpo em decomposição ao ar livre e descoberto para expor cada um dos estágios e os processos da decomposição.

1. Pallor mortis

Esse estágio ocorre cerca de 15 minutos após a morte e ele consiste em deixar o cadáver pálido. Isso ocorre como consequência da falta de circulação sanguínea e falta de sangue nos capilares.

2. Rigor mortis

De 2 a 6 horas depois, inicia esse estágio, que é caracterizado pela rigidez do corpo como causa da morte das células pela falta de oxigênio e nutrientes.

Essa etapa termina cerca de 36 horas após a morte e, então, o corpo vai ficando flexível novamente, devido à proteólise, que quebra as proteínas presentes no corpo.

3. Inchaço

Depois da morte, as bactérias que vivem em nosso corpo começam a se reproduzir e a consumir o cadáver. Em decorrência disso, surgem os gases que incham o abdômen.

Segundo dados de uma pesquisa de 2014, leva cerca de 58 horas para que as bactérias se espalhem pelo corpo e inicie esse processo. Em regiões de clima mais ameno, esse estágio pode durar de 2 a 3 dias.

4. Deslizamento da pele

Em virtude do aumento do gás no corpo, ocorre também um aumento de pressão, que passa a empurrar os fluidos entre as camadas da pele e, consequentemente, desprende as camadas mais superficiais.

Dessa forma, a pele começa a deslizar e, ao passo que a epiderme e a derme se separam, a pele pode ser removida do corpo com facilidade.

5. Marmoreio

As hemoglobinas do sangue, depois que já não tem mais oxigênio disponível para elas, passam a se ligar ao enxofre, o que forma uma substância de cor roxo-esverdeada. Em razão dessa coloração, algumas partes do corpo ficam semelhantes ao mármore, por exemplo, os membros e o toráx.

6. Expulsão dos órgãos liquefeitos

Em até 3 semanas após a morte, por causa da pressão interna mais alta, tanto os fluidos como os órgãos liquefeitos saem pelos orifícios que encontrarem.

Além disso, os globos oculares podem ser afastados e podem, até mesmo, explodir, devido à forma e local que a pressão afeta. Ademais, as unhas e os tecidos do corpo ficam moles e começam a cair.

7. Multiplicação de insetos

Conforme o corpo libera algumas substâncias químicas, as moscas são atraídas e passam a botar ovos nos orifícios, ou próximos deles, do cadáver. Quando as larvas nascem, elas passam a se alimentar da carne e dos órgãos.

Nota-se a dispersão das larvas quando não existe mais pele do cadáver.

8. Surgimento dos carniceiros

Com o passar do tempo, outros animais começam a ser atraídos para o cadáver, por exemplo, besouros, pássaros etc. De modo geral, eles se alimentam dos restos humanos.

Em seguida, os animais carniceiros também surgem e passam a arrancar a carne dos ossos.

9. Esqueletização

Por fim, este estágio ocorre quando o cadáver conta apenas com ossos e cartilagens mais duras, ou seja, já não existe mais tecidos moles.

Cerca de 9 meses após a morte ao ar livre, o corpo começa a sofrer os processos de esfoliação e de branqueamento dos ossos. Depois disso, os fenômenos naturais afetam o que restou do cadáver e acontece a desarticulação dos ossos, o que pode ocorrer por meses ou até anos.

Quanto tempo depois da morte o corpo começa a cheirar mal?

Em temperatura ambiente, é comum que cerca de 12 a 24 horas o corpo já comece a exalar um cheiro ruim. Esse odor forte e desagradável é resultado dos gases excretados pelas bactérias do intestino ao digerirem as proteínas.

Os gases responsáveis pelo cheiro ruim são metano, cadaverina e putrescina. Esse processo é natural, e o mal cheiro quase sempre vai marcar o início da decomposição.

Leia mais:

Fontes: Canal Tech, Conslac.

Bibliografia:

Galloway A, Birkby WH, Jones AM, Henry TE, Parks BO. Decay rates of human remains in an arid environment. J Forensic Sci. 1989 May;34(3):607-16.

Ismail Can, Gulnaz T. Javan, Alexander E. Pozhitkov, Peter A. Noble, Distinctive thanatomicrobiome signatures found in the blood and internal organs of humans, Journal of Microbiological Methods, Volume 106, 2014, Pages 1-7.

Shrestha R, Kanchan T, Krishan K. Methods Of Estimation Of Time Since Death. [Updated 2022 May 15]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2022 Jan-.

Wilson A, Neilsen P, Berry R, Seckiner D, Mallett X. Quantifying human post-mortem movement resultant from decomposition processes. Forensic Sci Int Synerg. 2020 Aug 18;2:248-261.

Próxima página »

Escolhidas para você