Pessoas que encontraram maneiras inacreditáveis de escapar do Muro de Berlim

De 1961 a 1989, o Muro de Berlim dividiu a Alemanha Oriental e Ocidental, juntamente com as inúmeras famílias que estavam presas em ambos os lados.

Para se reunir com seus entes queridos – ou para escapar da Alemanha Oriental Soviética – mais de 5.000 pessoas conseguiram atravessar o muro, enquanto que mais de 200 morreram tentando.

Além dos guardas armados, o Muro contava com trincheiras anti-veículos, torres de vigia, arames farpados, cachorros e metralhadoras. Para atravessar o muro era preciso muita coragem e criatividade. Confira agora algumas pessoas que encontraram formas inusitadas para atravessar o Muro de Berlim:

Túnel sob o muro

O grupo, liderado por um homem de 81 anos, passou mais de 2 semanas cavando um túnel de 160 metros que iniciava dentro de um galinheiro ao leste da Alemanha. Quando foi perguntado para os “fugitivos” por que eles fizeram o túnel com 6 metros de altura, eles disseram que era para “caminhar para a liberdade com nossas esposas, confortavelmente”.

Trem para a liberdade

Em dezembro de 1961, um jovem condutor de trem da Alemanha Oriental, chamado Harry Deterling, fez uma parada não planejada na Alemanha Ocidental, conduzindo seu trem em alta velocidade contra o muro recém-construído.

Ele salvou 669 crianças dos nazistas, mas nunca disse a ninguém seu segredo

Deterling, sua família e um grupo de passageiros no trem permaneceram na Alemanha Ocidental para sempre, enquanto outro grupo de passageiros pediu para ser levado para a Alemanha Oriental.

Em um tanque de guerra roubado

O soldado alemão alemão Wolfgang Engels teve a sorte de sobreviver após seu plano de fuga. Engels roubou um tanque e o jogou contra o muro, mas, infelizmente, o tanque não atravessou a barreira. Engels saiu e atravessou o muro, gritando: “Estou saindo daqui para o oeste, alguém quer vir?”

No caminho, Engels se enrolou em um emaranhado de arame farpado e foi baleado por guardas da Alemanha Oriental. Felizmente, ele foi resgatado por um barman da Alemanha Ocidental de uma taberna nas proximidades. “Quando eu virei minha cabeça e vi todas as marcas de licor da Western na prateleira, eu sabia que eu tinha conseguido”, disse Engels.

Membro de um clube da Play Boy

Uma maneira de atravessar a fronteira sem qualquer problema era usar um passaporte diplomático, mas uma falsificação que poderia enganar os guardas do leste da Alemanha era difícil de encontrar.

A menos que você fosse um membro do Munich Playboy Club. Os passaportes do clube se pareciam  muito com os passaportes diplomáticos, e muitas vezes o guardas não chegavam a verificar de perto, apenas acenavam para liberar a passagem.

Sobre um colchão de ar

O Muro de Berlim separou a cidade por terra, mas não pela água. Muitos daqueles que buscavam a liberdade tentavam passar pelo rio Elbe  em pequenos barcos, ou tentavam nadar. Mas dois homens fizeram uma viagem muito mais confortável em uma balsa improvisada.

Ingo Bethke foi um guarda aposentado que conseguiu ir para a Alemanha Ocidental, remando em um colchão de ar inflável, junto com um amigo. Para chegar com o colchão no rio, a dupla teve que carregá-lo sobre uma cerca através de um campo minado.

Em uma corda bamba

Claro que o homem que usou esse esquema louco era um acrobata. Horst Klein encontrou um cabo entre dois edifícios de cada lado da parede que os guardas não tinham cortado – provavelmente porque achavam que ninguém seria estúpido o suficiente para usa-lo!

Fotos surreais mostram armas da 2º Guerra Mundial brotando em árvores na Rússia

Horst atravessou o fio se equilibrando com um bastão. Ele caiu do fio, mas felizmente aterrissou na Alemanha Ocidental.

Em um avião soviético falso

Um par de irmãos foram separados do irmão mais novo quando o muro foi construído, mas logo tiveram uma ideia brilhante para reunir a família de novo. Depois de pegar aulas de vôo, os irmãos pintaram um par de pequenos aviões com estrelas vermelhas, para se parecerem com aviões militares soviéticos.

Com alguns uniformes falsos, os irmãos conseguiram encontrar seu irmão desaparecido e levá-lo de volta para casa sem problemas. “Eu pensei que nunca voltaria a ver meus irmãos”, disse o irmão mais novo East Geman, “mas eles saíram do céu como anjos e me levaram para o paraíso”.

Em um balão de ar quente caseiro

O mecânico Hans Stelczyk e o pedreiro Gunter Wetzel usaram o seus conhecimentos combinados para construir um motor de balão de ar quente, enquanto suas esposas costuraram lençóis.

Juntamente com seus 4 filhos, o casal fez o voo em uma noite, flutuando a 8 mil pés. Apesar do balão ter se incendiado no meio do voo, todos os 8 passageiros chegaram com segurança na Alemanha Ocidental.

Sendo um guarda da fronteira

Os guardas da fronteira do leste da Alemanha impediram muitas tentativas de fuga, até de seus próprios colegas. Cerca de 1.300 guardas da fronteira aproveitaram seus empregos e fugiram para o Ocidente enquanto estavam em serviço.

O caso mais famoso de “guarad fujão” foi o de Conrad Schumann, um menino de 19 anos que pulou sobre uma cerca de arame farpado enquanto o concreto estava em construção. A foto que capturava sua fuga dramática tornou se um dos símbolos mais famosos do Muro de Berlim.

 

 

Fonte: Shared
Imagens: Reprodução