Saúde

Síndrome da autocervejaria: quando o organismo produz cerveja

A síndrome de autocervejaria é uma condição raramente diagnosticada, onde curiosamente é possível produzir álcool no intestino.

A síndrome da autocervejaria é uma condição rara, descoberta pela primeira vez na década de 1940, na qual uma pessoa experimenta intoxicação alcoólica ao criar álcool em seu próprio corpo.

Essas pessoas não bebem álcool, no entanto seu corpo produz álcool por meio de “fermentação intestinal anormal”, o que basicamente significa que seu corpo produz álcool a partir de alimentos e bebidas que contêm carboidratos, fermentando-o no intestino com leveduras ou bactérias vivas do corpo.

Além disso, a condição também é conhecida como “fermentação endógena de etanol”.

Síndrome da autocervejaria: como assim?

A fermentação no intestino é uma parte normal do processo digestivo e ocorre através da decomposição dos alimentos por bactérias normais no cólon. Todavia, em pessoas com síndrome de autocervejaria, a fermentação ocorre no intestino delgado, mais acima no trato digestivo.

Continua após a publicidade

Descobriu-se que certos fungos são responsáveis ​​pela produção de álcool, como Candida glabrata e Sacchromyces cerevisiaw.

Normalmente, o fígado pode desintoxicar as pequenas quantidades de álcool que são subprodutos da fermentação de leveduras, mas em pessoas com fermentação intestinal anormal, muito álcool é produzido, fazendo com que o indivíduo fique intoxicado.

Como ocorre?

Em suma, a síndrome da autocervejaria é uma condição rara que deixa você bêbado, sem ter feito a ingestão de álcool. Isso acontece quando seu corpo transforma alimentos açucarados e ricos em amido (carboidratos) em álcool.

Alguns tipos de levedura que podem causar a síndrome da autocervejaria são:

Continua após a publicidade
  • Candida albicans
  • Candida glabrata
  • Torulopsis glabrata
  • Doces krusei
  • Candida kefir
  • Saccharomyces cerevisiae

Sintomas da síndrome da autocervejaria

A síndrome da autocervejaria pode ser difícil de diagnosticar. Além disso, pode ser confundida com outras condições de saúde. Confira os sintomas que ajudam a identificá-la abaixo:

  • Problemas com concentração, memória e processos de pensamento;
  • Fadiga;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de estomago;
  • Inchaço, gases;
  • Alterações nos movimentos intestinais.;
  • Coriza, tosse produtiva e sinusite;
  • Vontade de comer doces;
  • Pele avermelhada;
  • Tontura;
  • Desorientaçao;
  • Náusea e vômito;
  • Desidratação;
  • Boca seca;
  • Arrotos excessivos;
  • Mudança brusca de humor.

Diagnóstico e tratamento dessa condição

Não há testes específicos para diagnosticar a síndrome da autocervejaria. Esta condição foi descoberta recentemente e ainda mais pesquisas são necessárias. Contudo, os sintomas sozinhos geralmente não são suficientes para um diagnóstico.

Seu médico provavelmente pedirá um exame de fezes para descobrir se você tem muito fermento no intestino. Isso envolve o envio de uma pequena amostra das fezes para um laboratório para análise. Aliás, outra opção que alguns médicos podem solicitar é um teste de glicose.

Os principais tratamentos para a condição são mudanças na dieta para reduzir a ingestão de açúcares simples, carboidratos refinados, produtos de levedura e medicamentos para reduzir os fungos e bactérias ​​no intestino.

Continua após a publicidade

Suplementos vitamínicos e minerais também podem ser necessários para suprir as deficiências desses nutrientes.

Casos de síndrome da autocervejaria

Conforme publicado na Medscape, um homem de 46 anos nos Estados Unidos foi diagnosticado com a síndrome da autocervejaria. Tudo começou em 2011, quando ele notou tonturas, confusão, alterações de humor, comportamento agressivo e, às vezes, perda de memória. Nesse mesmo ano teve que deixar o emprego, pois esses sintomas de embriaguez se repetiam constantemente.

Algumas semanas antes, ele havia sofrido uma lesão no dedo e foi tratado com antibióticos, possível causa do que estava acontecendo com ele.

Meses se passaram e as coisas pioraram, uma manhã ele foi preso por dirigir alcoolizado. Apesar de se recusar a fazer o teste do bafômetro, o resultado foi de 200 mg/dL, o equivalente a 10 doses de álcool.

Continua após a publicidade

Os médicos não souberam dar-lhe solução, ainda em 2014, uma psicóloga orientou-o a tomar antidepressivos, sem qualquer melhoria.

Depois disso, ele decidiu pedir ajuda a especialistas da Universidade de Richmond, na Virgínia, que perceberam que isso poderia ser consequência do uso de antibióticos. Eles detectaram uma estranha síndrome na qual seu corpo produzia grandes quantidades de etanol, ou seja, a síndrome da autocervejaria.

Por fim, após terapia antifúngica e probiótica, o paciente conseguiu retomar sua vida normal, após seis anos de descrença em que era considerado alcoólatra.

Bibliografia

Future, Helen Thomson Da BBC. «O mistério de ficar ‘bêbado’ com um simples prato de massa». BBC News Brasil.
Kruckenberg, Katherine M.; DiMartini, Andrea F.; Rymer, Jacqueline A.; Pasculle, A. William; Tamama, Kenichi. «Urinary Auto-brewery Syndrome: A Case Report». Annals of Internal Medicine (em inglês). ISSN 0003-4819. doi:10.7326/L19-0661
Kaji, H.; Asanuma, Y.; Yahara, O.; Shibue, H.; Hisamura, M.; Saito, N.; Kawakami, Y.; Murao, M. (1984). «Intragastrointestinal Alcohol Fermentation Syndrome: Report of Two Cases and Review of the Literature». Journal of the Forensic Science Society.

Continua após a publicidade

Fontes: Vitallogy, Minha Vida, Mega Curioso

Leia também:

Síndrome de Noé: conheça as causas e sintomas da doença

Síndrome de Fregoli: um transtorno delirante de identificação

Dieta antifúngica: combata a candidíase e a síndrome fúngica

Continua após a publicidade

Síndrome de Munchausen: conheça as causas e sintomas

Síndrome de Ramsay Hunt: o que é, sintomas causas, e tratamento

Menino com síndrome do cabelo impenteável viraliza nas redes sociais; veja fotos

Rumeysa Gelgi: a mulher mais alta do mundo e a síndrome de Weaver

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você