Veja como é a merenda das escolas públicas pelo Brasil

Não é de hoje que a imprensa denuncia corrupção até mesmo com relação ao dinheiro que deveria ir para os alunos de escolas públicas se alimentarem, não é mesmo? Mas será que você realmente entende a gravidade desse assunto? Será que você sabe como é a realidade da merenda das escolas públicas pelo Brasil?

Cansados de comer mal e de ninguém fazer nada para resolver o problema, alunos secundaristas de escolas municipais e estaduais pelo País se reuniram e criaram uma página de denúncia no Facebook. Chamada Diário da Merenda, a página divulga um pouco do cardápio precário e quase sempre pobre da merenda das escolas públicas brasileiras.

Como você vai ver nas fotos feitas pelos próprios alunos, o lanche que eles recebem está longe de ser o ideal, já que não existe equilíbrio nutricional algum entre as refeições. Aliás, a maior parte da merenda das escolas públicas é composta de alimentos prontos, como comida enlatada, biscoitos, achocolatados, barrinhas de cereais, sucos artificiais e assim por diante.

Mesmo na hora do almoço, que acaba sendo a principal refeição de muitos alunos da rede pública, as escolas dificilmente servem saladas e outros alimentos frescos. Em muitos casos, o que se percebe também é uma porção insuficiente distribuída entre as crianças, que ficarão um longo período de tempo sem comer.

O Diário da Merenda também pode ser seguido no Instagram e, como já ressaltamos, se trata de um grito de protesto dos próprios estudantes. O que fica latente, depois dessa matéria, é que eles têm razão em se manifestar. Isso porque, ao contrário do que já mostramos aqui, nessa outra matéria, a realidade da comida nas escolas públicas é precária e perde até mesmo para as refeições servidas em hospitais.

Confira como é a merenda das escolas públicas brasileiras:

1

Suco artificial de maçã, barra de cereal sabor banana e uma maçã – EE Júlia Rios Athayde, Sorocaba, São Paulo. 9h30

2

Leite com corante de morango e duas bolachas salgadas – EEEI Alberto Torres, São Paulo. 14h10

3

Um pedaço de bolo – EE Fernão Dias Paes, São Paulo. 9h40

4

Farofa de carne moída com proteína de soja e suco de caju – Escola Municial T.I. José Carlos Pimenta, zona rural de Goiânia, Goiás. Lanche da tarde

5

Arroz, salada de repolho e omelete – EE Fernão Dias Paes, São Paulo. 9h45

6

Resto de bolo de chocolate e uma caneca de leite – EE Professor Alberto Conte, São Paulo. 9h30

7

Arroz com frango, feijão e farofa de jiló – Escola Municipal T.I. José Carlos Pimenta, zona rural de Goiânia, Goiás

8

Suco artificial com duas bolachas doces – EE Julia Rios Athayde, Sorocaba, São Paulo. 9h30

9

Suco artificial de uva, três bolachas integrais e uma barrinha de cereal – EE José Maria Matosinho, Campinas, São Paulo. 9h3o

10

Leite e três bolachas – EE Lauro Sanchez, Sorocaba, São Paulo. 9h30 e 15h30

11

Laranja, arroz e abóbora com carne – Escola Municipal T.I. José Carlos Pimenta. Almoço

12

Arroz, feijão enlatado, carne enlatada e purê de batatas – EE Maria José, São Paulo. 10h20

13

Vitamina de banana – EE Tiburtino Pena, Minas Gerais. 9h30

Tenso, né? E, por falar em comidas em locais públicos, esses outros cardápios também vão chocar você: Como é a comida nas prisões dos Estados Unidos?

Fonte: Catraca Livre, Diário da Merenda