6 lugares censurados no Google Maps que você nem percebeu

A internet e os vários recursos que estão disponíveis nela são, com certeza, uma das maiores maravilhas atuais. Por meio do Google Maps, por exemplo, qualquer pessoa pode visitar as ruas de vários lugares do mundo sem sair de casa. Ou quase isso, se não fossem os lugares censurados no Google Maps que quase ninguém sabe que existem.

Isso porque, apesar de realmente dar essa possibilidade de desbravamento por meio da internet, a verdade é que alguns lugares no aplicativo estão encobertos ou desfigurados, obviamente, para que não sejam reconhecidos e para que a região em sua volta permaneça no anonimato. Mas, afinal, porque isso acontece?

Embora muitas teorias conspiracionista possam encontrar nesses lugares censurados no Google Maps um prato cheio para suas explicações cheias de criatividade, a verdade pode ser um pouco mais séria. Conforme explicações do próprio Google, alguns desses lugares foram apagados dos mapas depois de pedidos oficiais de alguns países.

Muitos dos lugares censurados no Google Maps, conforme justificam, se tratam de locais em disputas comerciais ou comprometeriam a segurança nacional de vários Países, caso fossem revelados. Há até bases que escondem armamentos nucleares, acredita? E isso não é nem o começo!

Conheça 6 lugares censurados no Google Maps:

1. Aeroporto Michael Aaf – Estados Unidos

Um dos lugares censurados no Google Maps, como você vai ver abaixo, é a área do Aeroporto Michael Aaf, em Utah. O lugar está apagado, com manchas brancas para que os usuários do aplicativos não vejam nem mesmo os prédios e armazéns do lugar. Isso acontece porque o Exército americano ocupa o local e o utiliza para testes, especialmente com armas químicas.

2. Manami Torishima Airport – Japão

Também disfarçado pela cor branca, esse pequeno aeroporto na Ilha de Minami Torishima também é um dos lugares censurados do Google Maps. A justificativa para o lugar não ser mostrado pelo aplicativo é que ali existe uma base da Marinha do Japão, logo o local está disfarçado por questões de segurança nacional.

3. Base Aérea Volkel – Holanda

Toda coberta com blocos de camuflagem, essa base aérea holandesa foi encoberta por abrigar 22 bombas nucleares dos Estados Unidos. E isso não é só boato: o armazenamento de armas nucleares no lugar já foi confirmado pelo primeiro-ministro da Holanda Ruud Lubbers. Isso, claro, sem contar os documentos recentemente vazados pelo Wikileaks.

4. Kangtega – Nepal

Localizado na Cordilheira do Himalaia, o pico de proporções grandiosas está na lista dos lugares censurados do Google Maps e é encoberta por uma mancha negra. Dizem por aí que a a faixa se trata apenas de uma falha do aplicativo, mas o intrigante é que ela está há anos nesse mesmo local, sem que ninguém a corrija.

5. Ilhas Faroé – Dinamarca

Com partes embaçadas e outras até mesmo descoloridas no aplicativo, essa região, localizada entre a Islândia e a Noruega, está entre os lugares censurados do Google Maps. As Ilhas Faroé, conforme justificam, se trata de um território autônomo da Dinamarca e que está no meio de uma disputa comercial, ligada aos direitos de pesca na região. Seria por isso que o local está censurado.

6. Prisão Portlaoise – Irlanda

Também por questões de segurança, esse é um dos lugares censurados no Google Maps. A prisão, aliás, abriga alguns dos criminosos mais perigosos da Irlanda. Foi por isso, e por medo de um plano de fuga organizado pelos criminosos, que o governo irlandês  solicitou que a região fosse apagada dos mapas do Google.

E, por falar em coisas estranhas relacionadas ao aplicativo, confira também: 10 bizarrices que surgem no Google Maps com muito zoom.

Fontes: Google Maps, Eco Viagem