História

5 piores métodos de tortura praticados pelos Estados Unidos

Essa é uma das matérias mais pesadas que você já acompanhou aqui, no Segredos do Mundo. Nem mesmo os experimentos controversos que o exército americano já fez, com pessoas reais, vai impressionar tanto você quanto as descrições dos piores métodos de tortura adotados pelas autoridades americanas.

E, se você estiver na dúvida sobre a veracidade desses relatos medonhos, todos eles foram tirado do livro do ex-vice-presidente americano, Dick Cheney, que esteve ao lado de George W. Bush entre 2000 e 2009. A lista que você confere, aliás, foi publicada originalmente pela Revista Superinteressante.

Conforme a matéria, no livro, o ex-vice-presidente defende a tortura e conta sobre os métodos mais “arrojados” usados pelos oficiais americanos na primeira década dos anos 2000, quando os Estados Unidos declarou guerra ao terrorismo, logo após o atentado do 11 de setembro. Conforme seus relatos, os vérios métodos de tortura que você vai conhecer fazem parte da “missão de liberdade”, dos Estados Unidos.

A própria CIA, assim que um relatório oficial foi liberado a respeito das torturas desse período, assumiu que isso é uma prática comum. E mais, conforme os próprios representantes, a CIA não se arrepende de nada que fez até hoje.

Conheça os piores métodos de tortura praticados pelos Estados Unidos:

1. Afogamento simulado

3

Você sabe o que é isso? O afogamento simulado ou waterboarding, um dos métodos de tortura mais usado pelos Estados Unidos, consiste em imobilizar a vítima, colocar um pano no rosto dela e deixar que ela sufoque, por um bom tempo, com muita água caindo em seu rosto.

Continua após a publicidade

Parece foi de filme, né? Mas essa oi uma realidade quase que diária para Abd al-Rahim al-Nashiri, no ano 2000. Ele foi apontado pelas autoridades americanas como líder do bombardeio contra um navio da Marina dos EUA, o USS Cole.

4

Mas, claro, a tortura não consistiu apenas nisso. As autoridades diziam que violentariam a mão do prisioneiro na frente dele. Isso, claro, sem contar na alimentação pelo reto, ao qual Abd foi submetido por dias.

2. Eminem… por 20 dias

1

Em 2002, Binyam Mohamed foi preso pelos americanos, em 2002, no Paquistão. A acusação contra ela era de lutar ao lado do Talibã. Durante 18 meses o prisioneiro foi torturado com cortes praticamente diários em suas partes íntimas, feitos com uma lâmina de barbear.

2

Continua após a publicidade

Mas não foi só isso. Conforme o próprio preso, nada foi tão angustiante quanto ser obrigado a ouvir a mesmo música de Eminem, durante 20 dias, sem um segundo de intervalo. Ele estava preso em um quarto minúsculo e escuro, onde o único som que se ouvia era “The real slim shady”. “Muitos enlouqueceram”, contou Mohamed.

Escute a música de Eminem usada como um dos métodos de tortura dos EUA:

3. Hipotermia

7

Em 2002, Gul Rahman, outra vítima dos métodos de tortura americanos, acabou morrendo em uma prisão da CIA, no Afeganistão. Qual a causa de sua morte? Hipotermia ou, se preferir, frio!

Dizem que, pela manhã, o prisioneiro foi encontrado sem as roupas, deitado no chão de concreto. Na noite anterior ele havia sido torturado e deixado naquela situação, mesmo com a temperatura beirando 0ºC. Há suspeitas também de que Gul não tenha suportado a exaustão, já que havia sido impedido de dormir 48 horas antes disso, tempo em que passou isolado, em um quarto escuro.

Continua após a publicidade

O pior de tudo é que o nome de Gul Rahman foi mantido em segredo pelos americanos por 7 anos. Durante todo esse tempo família da vítima não recebeu notícias sobre seu destino. Ele era casado e tinha filhos.

4. Olho extraído

Abu Zubaydah também foi vítima de alguns dos métodos de tortura mais brutais usados pelos americanos. Ele chegou a passar pelo afogamento simulado 83 vezes, tanto que já se deitava sozinho, para o castigo, quando o oficial dos Estados Unidos dava o sinal.

Ele também chegou a ficar preso em uma caixa cheia de insetos, mas nem isso foi a pior parte de sua prisão. Abu teve um olho arrancado no período em que esteve preso e foi torturado pelos Estados Unidos.

5. Alimentação ao contrário

8

Continua após a publicidade

No caso de Majid Khan, preso em Guantánamo, o principal método de tortura foi a alimentação ao contrário, como a sofrida por Abd al-Rahim al-Nashiri, no primeiro item dessa lista de horrores. Por uma “sonda” (acredite, é bondade nossa chamar sonda o que foi introduzido nele) ele recebia, como alimento, humos, macarrão, nozes e purê.

O pior de tudo é que essa humilhação e tortura foi compartilhada com o mundo. Dois vídeos de Majid foram divulgados, mostrando ele em situações deploráveis. Toda a pressão, aliás, vez com que o prisioneiro tentasse de matar das formas mais horríveis possíveis, como mastigando o próprio braço e tentado cortar sua pele com uma escova de dentes.

Pesado o assunto, não é? E ainda tem gente que defende a tortura!

E, ainda falando sobre os Estados Unidos, leia também: 5 teorias da conspiração verdadeiras que chocaram o mundo.

Fonte: Superinteressante, O Dia, The Guardian 

Continua após a publicidade
Próxima página »

Escolhidas para você