7 costumes japoneses que os brasileiros deveriam copiar

Apesar dos costumes japoneses serem bem diferentes dos nossos, o pessoal da “terra do sol nascente” tem muita coisa legal para compartilhar com os ocidentais. Bons exemplos disso, como você já viu em matérias anteriores aqui, do Segredos do Mundo, são os banheiros japoneses, bem mais divertidos e tecnológicos que os nossos; e o quanto eles têm orgulho de terem criado o miojo.

Mas isso é só uma parte do que eles têm para nos mostrar. Muita coisa por aqui seria melhor se incorporássemos em nossa cultura alguns costumes japoneses, que embora sejam na maioria rígidos, conseguem fazer a vida em sociedade mais organizada e funcional.

Como você vai ver na lista abaixo, estão entre os costumes japoneses que deveriam ser copiados pelos brasileiros, o hábito de tirar os sapatos antes de entrar em casa e até mesmo o fato da limpeza das escolas fazerem parte da grade curricular dos estudantes.

Outro dos costumes japoneses que, com certeza, o mundo todo deveria copiar é a limpeza de lugares públicos. Sobre isso, aliás, eles deram um belo exemplo por aqui, no Brasil, durante a Copa de 2014, quando todos os japas recolhiam o lixo dos estádios antes de saírem, ao final dos jogos. Lembra disso?

Já consegue, agora, entender porque alguns costumes japoneses deveriam ser incorporados à cultura do Brasil e de muitos outros lugares do mundo? Na seleção abaixo a gente ajuda a deixar esse assunto ainda mais claro.

Confira 7 costumes japoneses que os brasileiros deveriam copiar:

1. Usar máscaras hospitalares

1

Parece estranho ver pessoas em todo o Japão usando máscaras hospitalares pela rua, mas a verdade é que esse é um dos costumes japoneses que deveriam ser importados para o Brasil. Isso porque as máscaras protegem da de alergias, viroses, resfriados e ajudam a proteger as pessoas que sofrem com doenças respiratórias.

2. Toalhas quentes para as mãos

2

Esse é outro dos costumes japoneses que mais parecem uma frescura, mas as toalhas quentes, para limpar as mãos, são um recurso higiênico bastante eficiente para antes das refeições. Aliás, quando for comer em um restaurante no Japão, não use a toalha quente que lhe entregaram para outra coisa, se não limpar as mãos. Coisas como limpar o rosto ou usá-las como guardanapos não extremamente mal vistas no País.

3. Alunos faxinam a escola

Uma das lições ensinadas aos alunos, nas escolas japonesas, é o valor da limpeza e da organização. Aliás, são os próprios estudantes que fazem a faxina diária nas escolas. Inclusive, isso faz parte da grade curricular dos japinhas, que cuidam da limpeza a partir dos 6 anos. Esse sim é um dos costumes dos japoneses que deveríamos trazer para o Brasil, não acham? #polêmica

4. Organização no transporte público

4

A ordem, no Japão, é a mesma para todos os tipos de transporte público: todo mundo tem que esperar em filas e esperar que os passageiros desembarquem antes. Parece um sonho tanta organização, não é mesmo? Além disso, em ônibus, trens e metrôs, os japoneses evitam ficar com mochilas nas costas e até mesmo de atender o telefone para não incomodar os demais passageiros.

5. Recolher o lixo dos estádios

5

Outro dos costumes japoneses que vale a pena importar para o Brasil é o hábito de recolher o lixo dos estádios esportivos após as competições. Em 2014, aliás, eles deram um grande exemplo por aqui, na Copa, limpando o lixo deles e de outras pessoas antes de deixarem os estádios. Nota 10 para esse pessoal!

6. Tirar os sapatos antes de entrar em casa

6

Estudos já mostraram esse é um dos costumes japoneses mais corretos e que deveria ser seguido por todo mundo. Isso porque, além de demonstrar respeito pela morada (sua ou de outras pessoas), tirar os sapatos antes de entrar em casa preserva a higiene do local, já que os sapatos carregam consigo toda a sujeira das ruas.

7. Não deixar gorjetas

7

Um dos costumes japoneses que realmente deveria ser espalhado pelo mundo é o ato de nunca deixar gorjetas, seja em restaurantes, hotéis ou mesmo no táxi. Para eles, aliás, receber dinheiro a mais é como um insulto. Mesmo assim, eles são suficientemente educados para aceitar sua gorjeta, ao invés de explicar os costumes japoneses, caso um ocidental a ofereça em um café japonês, por exemplo.