7 segredos sobre xingar que ninguém comenta

Quantas vezes na vida você já foi oprimido por xingar? Tente se lembrar quantas vezes você já tomou aqueles “cascudo” da sua mãe por ter falado aquele palavrão delicioso na frente de pessoas estranhas ou do seus avós?

Pois é, essa muito provavelmente foi a história de vida de grande parte da população mundo. Mas, o problema é que os palavrões, ao que tudo indica, não são vilões terríveis quanto seus pais pensavam.

Conforme a Ciência, xingar tem lá suas vantagens e pode até ser sinal de uma inteligência mais aguçada, sabia? E sua mãe que vivia dizendo que “menino inteligente não xinga”, hien!?

Claro que, como tudo na vida, xingar exige bom senso. Você, obviamente, não vai sair por aí faltando com o respeito com ninguém, mas fique sabendo que dizer palavrões pode ser saudável e chega até mesmo a aliviar a dor.

Dá para acreditar nisso tudo? O pior, o melhor, de tudo é que isso não é nem o começo das coisas que você precisa saber sobre xingamentos e outras “cositas” mais, como você vai entender assim que conferir nossa lista.

Conheça 7 segredos sobre xingar que ninguém comenta:

1. Xingar é sinal de inteligência

5

Ao contrário do que sua mãe sempre achou, quem xinga muito é mais inteligente e tem um repertório maior, segundo a Ciência. Quem constatou isso foi a Faculdade de Artes Liberais de Massachusetts, em parceria com a Marist College, nos Estados Unidos.

As instituições aplicaram testes com voluntários que foram convidados a escrever palavrões e todo tipo de palavras de baixo calão. Em seguida, essas mesmas pessoas deveriam resolver alguns testes de conhecimentos gerais.

Conforme constataram os pesquisadores, quem conseguiu escrever o maior número de expressões rudes teve também um melhor desempenho nas demais etapas do experimento. Interessante, não?

2. Xingar alivia a dor

3

Quem nunca disse aquele palavrão “cabeludo” depois de bater o cotovelo com a maior força do mundo em algo pontiagudo, por exemplo? Embora muita gente acredite que isso não acrescenta em nada, a Ciência provou também que xingar pode mesmo aliviar a dor física.

Esse fato foi constatado por um experimento realizado por Richard Stephen, professor do Departamento de Psicologia da Universidade de Keele. Segundo ele, durante o parto de sua esposa, verificou que ela soltou toda a espécie de palavrões possíveis para se aliviar da dor.

Depois disso, ele resolveu testar a teria com outras pessoas e reuniu 64 voluntários para um experimento doloroso. A ideia era colocar as mãos em um recipiente com água e gelo e permanecer com o membro ali até quando fosse possível. Além disso, uma parte dos voluntários podiam xingar, a outra não.

Conforme o pesquisador, as pessoas que podiam dizer palavrões conseguiram manter as mãos na água congelante por mais tempo e, conforme relataram, sentiram um grau de dor menos intenso em comparação com a dor relatada pelos voluntários que não podiam dizer nada. Então, se sentir dor, não exite!

3. A doença dos xingamentos

4

Sabia que xingar demais pode ser um dos sintomas da Síndrome de Tourette? Para quem não sabe, esse é um tipo de distúrbio do sistema nervoso que faz as pessoas ter movimentos repetitivos e emitir sons involuntários.

Estudos já comprovaram essa possível relação, mas ainda não sabem dizer porque ela ocorre. Eles suspeitam que isso esteja diretamente ligado ao funcionamento de uma área específica do cérebro, que pode ser responsável pelos xingamentos e palavrões que dizemos.

Aliás, conforme os pesquisadores, isso explica também o fato de sempre aprendermos palavras inadequadas tão rápido. Embora isso não deixe mais claro o porque das pessoas com Síndrome de Tourelle utilizarem esses termos chulos para se expressar.

4. Eleitores adoram políticos que xingam

Couple Arguing

Conforme um estudo publicado pelo Journal of Language and Social Psychology, as pessoas sentem mais empatia por políticos que se permitem dizer algumas expressões chulas em seus discursos. Isso porque xingamentos são emocionais e dão ao candidato um ar de informalidade e proximidade com o povo.

Isso foi constatado depois de um experimento com 100 voluntários. Eles tiveram que ler e analisar as postagens de alguns candidatos para uma suposta eleição. O que eles não sabiam era que as postagens dos blogs tinham sido escritas pelos próprios pesquisadores.

No final das contas, os voluntários viram com bons olhos as pequenas expressões vulgares em alguma postagens dos tais políticos imaginários. O problema nisso, conforme os estudiosos, é que isso só valeu para candidatos homens, já que as pessoas não gostavam de ler postagens de mulheres que xingam. Além disso, não dá para saber até que ponto xingar pode criar empatia nos eleitores ou deixá-los escandalizados.

5. O Estado americano que mais xinga

6

Em 2013, Ohio foi considerado o estado americano em que a população mais xinga. Isso foi possível afirmar depois que as gravações de mais de 600 mil serviços de atendimento de Call Centers foram compilados e vasculhados em busca de palavras de cordialidade e xingamentos. No final das contas, comparado com todos os outros estados do país, Ohio foi o grande vencedor no quesito grosseria.

6. Xingar em língua estrangeira

9

Conforme estudos sobre Línguas Nativas, realizados pela Universidade de Bangor, nos Reino Unido; e pela Universidade de Varsóvia, na Polônia; as pessoas que falam outros idiomas dificilmente vão escolher xingar usando a língua materna. Isso acontece, de acordo com os estudos, porque as pessoas costuma ter uma relação emocional com idioma nativo, o que faz com que prefiram “blasfemar” em outras línguas que não seja a usada em casa.

7. Crianças e os palavrões

2

Conforme estudos na área de Psicologia, as crianças atualmente estão aprendendo a xingar cada vez mais cedo. E, ao contrário de algumas décadas atrás, elas estão aprendendo seus primeiros palavrões em casa, e não na escola.

Conforme Thimothy Jay, o responsável pelo estudo, o que acontece é um crescimento da hipocrisia por parte dos pais. Isso porque eles dizem às crianças para não xingar, mas xingam sempre que podem.

De acordo com o especialista, mesmo que as crianças não saibam o que significa o palavrão que estão dizendo, elas repetem essas expressões para chamar atenção ou pela forma como elas soam.

10

E você, xinga muito?

 

Agora, se você quiser ir além dos prazeres do xingamento, deveria ler também: 13 prazeres que só você pode despertar em si mesmo.

Fonte: Listverse, Mega Curioso