Assédio: 13 atrizes que acusam Harvey Weinstein de abuso

Não é de hoje que se ouve histórias de assédio nos bastidores de Hollywood. Mesmo assim, o que deu para perceber nos últimos dias, muitas das estrelas que já sofreram ou sofrem esse tipo de abuso acabam se calando para evitar escândalos na imprensa ou, simplesmente, para não perderem seus papéis.

Um prova disso são as acusações de assédio feitas ao produtor americano Harvey Weinstein. Desde o jornal The New York Times divulgou relatos sobre o comportamento abusivo do figurão das produtoras Miramax e The Weinstein Company, outras atrizes, modelos e funcionárias que passaram por essas empresas tomaram coragem de quebrar o silêncio.

Ao que tudo indica, ao longo de nada menos que 30 anos, Harvey Weinstein praticou assédio, e até mesmo alguns casos de estupro, contra mulheres jovens, que sonhavam em construir carreira na indústria cinematográfica de Hollywood.

Abaixo, como você vai ver, listão alguns dos nomes mais conhecidos que admitiram ter sofrido assédio e abusos do produtor. Angelina Jolie, Cara Delevingne e Gwyneth Paltrow são apenas algumas das atrizes que denunciaram o produtor nos últimos dias.

Confira quem são as atrizes que acusaram Harvey Weinstein de assédio:

Cara Delevingne

No Instagram, a atriz e modelo contou que se sentiu desconfortável durante um encontra com Harvey Weinstein em um quarto de hotel. Quando ela tentou sair do local, o produtor teria levado ela até a porta e tentou beijá-la. Ela o impediu e saiu do quarto.

Cara conseguiu o papel no filme, mas se sentiu mal por ter participado do projeto, imaginando que só conseguiu o trabalho por causa da atração que ele sentia por ela. Ela contou ainda não ficou com medo de falar sobre o caso, uma vez que não queria magoar a família do produtor.

Lea Seydoux

A atriz francesa, em artigo ao jornal The Guardian, disse que conheceu o produtor em um desfile de moda e que ela a convidou para tomar um drinque no quarto do hotel onde estava hospedado.

Enquanto eles conversavam no sofá, o produtor tentou beijá-la, saltando em cima dela. Conforme Lea, ela precisou se defender e usar a força para afastá-lo.

Gwyneth Paltrow

Em entrevista ao The New York Times, a atriz contou que depois de ser escolhida como protagonista para o filme Emma, de 1996, ela foi intimada a ir até o quarto de hotel de Harvey. Na época, ela tinha 22 anos.

O produtor a tocou e sugeriu uma massagem. Ela conta que ficou assustada e rejeitou os avanços dele.

Conforme a atriz, ela contou o ocorrido a Brad Pitt, então seu namorado, que chegou a tirar satisfações com o produtor. Ela achou que seria demitira depois de tudo.

Angelina Jolie

Em 1998, durante o lançamento do filme Corações Apaixonados, a atriz rejeitou os avanços do produtor, ocorridos em um quarto de hotel.

Jolie fez o seguinte relato ao The New York Times: “Tive uma experiência ruim com Harvey Weinstein na minha juventude e, por causa disso, escolhi não trabalhar mais com ele e alertar as mulheres que trabalhavam para sua produtora. Esse comportamento com as mulheres, em qualquer área, é inaceitável.”

Ashley Judd

Em entrevista ao New York Times, a atriz contou que quando foi convidada para conhecer o produtor em um hotel, esperava se tratar de um simples café da manhã de negócios. Mas, quando ela chegou na hora marcada, Weinstein a recebeu de toalha e pediu que a atriz lhe fizesse uma massagem.

Quando ela recusou, o produtor sugeriu que ela o assistisse tomar banho. Ela disse que disse não para ele de várias formas, mas ele sempre aparecia com um novo convite.

Rose McGowan

Em 1997, o produtor precisou firmar um acordo com a atriz depois de um episódio de assédio que ele teria protagonizado contra ela em um quarto de hotel, durante o Festival de Sundance.

O acordo de 100 mil dólares não foi construído como uma admissão do assédio por parte do produtor, mas tinha como objetivo “evitar litígios e comprar a paz”. Na época, a atriz tinha 23 anos e tinha acabado de estrear a série de TV, Scream.

“Os homens de Hollywood precisam mudar o mais rápido possível”, afirmou, em entrevista ao New York Times. “O poder de Hollywood está morrendo porque a sociedade mudou e evoluiu, mas o comportamento dos homens de Hollywood não.”

Heather Graham

A atriz contou que o produtor a abordou no início dos anos 2000, quando se conheceram para uma seleção de um filme, e tentou obrigá-la a fazer sexo. Ele chegou a dizer que a esposa dele não se importaria e que podia dormir com quem quisesse quando estava fora da cidade.

A atriz contou ainda que, depois de se recusar a dormir com ele, saiu do quarto se sentindo mal. Segundo ela, o produtor não chegou a falar que precisava dormir com ele para conseguir um papel, mas disse que a condição estava subentendida.

Zoe Brock

A modelo e atriz contou que, em 1997, foi levada ao quarto do produtor, no sul da França, depois que inventaram uma mentira para ela. Harvey, então, teria aparecido nu, pedindo uma massagem.

Zoe contou que se recusou a fazer aquilo e ele, então, teria perguntado se podia fazer a massagem nela. “Eu não sabia o que fazer e senti que se deixasse ele me tocar um pouco talvez eu conseguisse acalmá-lo para conseguir sair de lá de alguma forma”, relatou a modelo, em entrevista à rádio BBC.

Asia Argento

A atriz e diretora italiana conta que passou a trabalhar na Miramax quando protagonizou o filme de suspense B Monkey. Depois de ser convidada para a festa da produtora, que era uma farsa, ela acabou ficando sozinha com Weinstein em um quarto de hotel.

Ela conta que relutou em concordar em fazer uma massagem nele, mas que depois disso ele a estuprou. Na época, ela tinha 20 anos e temia que ele pudesse arruinar sua carreira, então preferiu ficar em silêncio.

Lucia Stoller

A atriz conheceu o produtor em 2004, em uma boate de Nova York, enquanto ainda era uma aspirante. Ela conta que foi forçada a dormir com ele depois de ir até seu escritório para uma reunião de elenco.

Segundo ela, o tipo de controle que ele exercia era muito real, que a presença dele era intimidadora.

Mira Sorvino

Embora tenha aparecido em vários dos filmes do produtor, ela conta que também sofreu assédio por parte dele.

Eles estavam em um quarto de hotel durante o Festival de Toronto, em 1995, quando ele começou a massagear seus ombros e a deixar muito desconfortável. Depois disso, ele tentou ficar mais perto e a perseguir.

Depois de semanas, ela disse que o produtor apareceu em seu apartamento, com desculpa em pensar em ideias para a divulgação do filme Poderosa Afrodite. Ela conta que abriu a porta apavorada, colocando seu chihuahua na frente. Para se livrar dele, ela disse que o novo namorado dela estava quase chegando e, então, ele foi embora.

Louisette Geiss

A atriz e produtora contou ter sido atacada por Weinstein, em 2008, durante o Festival de Suncande. O produtor a havia convidado para uma reunião no hotel para debater o roteiro que ela havia escrito, mas a conversa de trabalho não durou meia hora.

Ele teria ido ao banheiro e voltado com um roupão aberto na frente. Ela diz que ele insistiu para continuar ouvindo sobre o roteiro, mas na hidromassagem. Como ela se recusou, o produtor teria pedido ainda para que ela ficasse vendo ele se masturbar.

A atriz conta que disse que ia embora, quando ele a segurou pelo braço e a empurrou para a banheira. “Eu estava prestes a chorar, mas me recompus e saí dali rápido”.

Roseanna Arquette

No início dos anos 90, a atriz rejeitou as investidas do produtor e acredita que ele acabou atrapalhando a carreira dela depois disso.

Ele teria pedido que ela passasse no Hotel Beverly Hills para pegar o roteiro de um papel. Quando o produtor atendeu a porta, estava usando roupão e pediu uma massagem.

Arquette conta que se recusou a fazer qualquer coisa, mas ele pegou a mão dela e colocou na virilha dele.

O que aconteceu a Harvey Weinstein depois disso?

Sobre a repercussão das acusações direcionadas a Harvey Weinstein, até agora a única consequência sofrida pelo produtor foi o afastamento de sua própria produtora. Para a imprensa, ele chegou a dizer que seu comportamento causou muita dor, mas negou a veracidade de muitas das acusações.

Os porta-vozes do produtos disseram ainda que as alegações de sexo não consensual são mentirosas e que nunca houveram atos de retaliação contra qualquer mulher que o denunciou até hoje.

Tenso, não? Agora, se você ainda não entendeu a importância de debater esse tipo de coisa que ainda acontece por aí, essa outra matéria pode ajudar você a compreender melhor a relevância de quebrar o silêncio: Mãe publica carta de adeus da filha que suicidou após estupro.

Fonte: BBC