Curiosidades

Black Music – Origem, desafios, características e representantes do ritmo

A black music, ou música negra, faz parte da história e cultura americana e brasileira, servindo como um canal para dar voz às lutas por seus direitos.

Por Renata Gonçalves Pereira

-

Provavelmente você já ouviu falar da Black Music, chamada de Música negra no Brasil. Em suma, trata-se de um gênero musical extremamente importante para a história. Pois, representa um símbolo de luta e resistência dos escravos que sofriam diariamente.

Ademais, ela foi porta voz para manifestações de desigualdades, e influenciou o surgimento de diversos outros estilos musicais. Por exemplo, o jazz, soul, hip-hop e R&B. Além disso, ela também marcou presença na Igreja com ritmos gospel, que falam sobre amor e fé.

Apesar dos diversos desafios e preconceitos enfrentados, esse gênero musical conseguiu ser reconhecida na metade do século XX pela revista Billboard. Logo, ela ganhou seu espaço na sociedade. E é bastante conhecida por suas melodias marcantes, reflexões, sedução e sensualidade.

Origem da Black Music

Imagem: Vai Dançar

A diáspora africana possibilitou que os negros escravizados e suas respectivas culturas e etnias fossem espalhadas por diversas colônias. Isto é, as colônias inglesas, portuguesas, holandesas, francesas, espanholas e as Américas receberam influência dos escravos.

Ademais, a música fazia parte da vida dos africanos, pois era uma forma de não se perderem de si mesmos e ainda algo da própria cultura. Assim, a Black Music norte-americana surgiu na época em que os negros eram escravizados nos Estados Unidos.

Em suma, eles eram trazidos da África como gado, em vários navios negreiros, para trabalhar em terras de forma miserável sendo explorados até a morte.  Dessa forma, surgiram as músicas conhecidas como work songs, nas plantações de algodão do sul dos EUA.

Porém, somente em 1861 que os escravos foram libertos. Então, a Black Music se tornou ainda mais forte, principalmente em bairros que viviam a descendência dos escravos. Entretanto, foi na metade do século XX que a revista americana de música Billboard reconheceu a importância desse estilo musical.

Origem da Black Music no Brasil

Imagem: Revista Raça Brasil

No Brasil também havia cantos de trabalho escravo nos canaviais do Nordeste e nas minerações de Minas Gerais. Logo, a Música negra que veio dos Estados Unidos se uniu com a que era originaria brasileira. Entretanto, no Brasil criaram seus próprios gêneros musicais provenientes desses estilos, mas adicionando melodias, sedução e sensualidade. Ademais, a música negra no Brasil foi um instrumento essencial de afirmação do movimento negro.

O fundador da Academia Brasileira de Black Music, Fernando Mukulukusso, explicou que antes da Black Music ser aceita pela revista Billboard, nos Estados Unidos, ela tinha outro nome. Logo, ela era chamada de race music.

Em seguida, o estilo musical aderiu dois rumos, um religioso, através do espiritual e gospel, e o mundano, que é o blues. Dessa forma, surge o jazz, uma forma negra de interpretação onde se improvisa qualquer tipo de tema musical. Por isso, surgem outras ramificações de estilos, uma delas é a soul music, que se trata da parte mais sensual e comercial da música negra. Além disso, também tem o R&B, rhythm and blues, e o funk, com seus ritmos marcantes.

A Black Music nas Igrejas

Imagem: Today Uconn

Durante a época da escravidão, os afro-americanos eram evangelizados pela Igreja. Dessa maneira, a Black Music se tornou parte da religião. Logo, a Soul Music também contribuiu para influenciar o Blues e o Jazz.

Assim, os escravos cantavam os salmos nas igrejas, fazendo o uso desse estilo sincopado, falando sobre amor e fé. Entretanto, o termo Soul era muito influenciado pelos movimentos anti-guerra e anti-racial. Portanto, a Soul Music recebeu bastante influência cultural, provenientes do gospel, R&B gospel.

Os desafios da Música Negra

Imagem: Obvious

Apesar de esse conceito musical ter se tornado bastante famoso, ele enfrentou diversos desafios para isso. Dessa forma, dividiu-se em vários estilos, saindo das periferias em busca de reconhecimento, fazendo a cabeça de pessoas de todas as classes sociais. Além disso, ainda sofreu bastante com o preconceito com os negros.

Entretanto, não deu espaço para mais preconceitos, permitindo que várias pessoas de várias raças, culturas e religiões pudessem aproveitar dessas melodias.

Características marcantes da Black Music

Imagem: Blog da Michael

Nos Estados Unidos eles utilizavam uma mistura de dialetos com o inglês, eram cantadas utilizando um sistema sincopado. Isto é, de perguntas e respostas, que futuramente seria conhecido pelos Blues. Ademais, criavam um padrão repetitivo, e a improvisação era essencial.

Por outro lado, trata-se de um movimento de protesto e busca de igualdade. Por isso, contém letras agressivas que enfatizam as desigualdades. Dessa forma, estilos como o Hip-hop e o Rap foram alvos de muitos preconceitos, enquanto buscavam expressar suas frustrações e desigualdades.

A riqueza da Black Music

Imagem: Smithsonian

A música negra trouxe uma riqueza de melodias musicais e reflexões que são essenciais para a formação da história. Ademais, nasceram de uma mistura de culturas com instrumentos harmônicos.

  • Rock’n roll – Surgiu em 1950, com a união dos ritmos R&B e country and western.
  • Jazz – As músicas desse estilo são cantadas em um sistema sincopado, de perguntas e respostas. Ademais, a improvisação ocorre bastante.
  • Funk – Surgiu em 1960, como uma mistura de jazz, R&B e soul.

Os bailes Black

Imagem: Catraca Livre

Em 1970 surgiu o Baile da Pesada no Canecão, criado por Big Boy e Ademir Lemos. Ademais, esses bailes black se expandiram da zona sul para os subúrbios cariocas.

O Baile Charme trata-se de um tradicional baile black a céu aberto, no Rio de Janeiro. Ademais, ele acontece em Madureira faz 16 anos. Portanto, se tornou um local de referência e cultura.

Vozes de sucesso da Black Music: Internacionais

1 – Michael Jackson

Imagem: Uol

O cantor Michael Jackson foi o maior artista pop da história, sendo um dos 100 mais vendidos desde 1969. Ademais, ao lançar a música Thriller revolucionou os caminhos da música negra dos anos 80. Assim, transformou o canal de videoclipe dos EUA, a MTV, em uma potência entre todos os jovens.

2 – Bob Marley

Imagem: Jornal de Brasília

Bob Marley ficou conhecido como o rei do Reggae, e fazia parte da religião Rastafari, onde um de seus lemas é a união da raça negra. Dessa forma, suas composições tiveram essa pegada, cheias de positividade, política e sobre sua raça. Ademais, a sua música chamada Zimbabwe é marcada por se tratar de um hino de libertação do povo do continente africano.

3 – James Brown

Imagem: Britannica

James Brown é um cantor bastante influente da Black Music no século XX. Além disso, é o rei da Soul Music, e fez muito sucesso nos anos 1960, marcando presença até na política. Ademais, um fato curioso é que após o assassinato do líder Martin Luther King Jr., ele entrou em uma rádio e cantou a noite toda. Dessa maneira, ele estava tentando conter o desejo de revolta da população.

4 – Ella Fitzgerald

Imagem: NPR

Ella Fitzgerald é a dama do Jazz, e fez bastante sucesso por sua técnica, e um maravilhoso repertório de alta capacidade de improvisação. Além disso, a sua dicção era de chamar atenção, com uma entonação perfeita. Por outro lado, ela iniciou sua carreira no coro da Igreja Metodista Africana de sua cidade, no estado americano da Virgínia.

5 – Whitney Houston

Imagem: Terra

Whitney Houston já vendeu mais de 160 milhões de discos no mundo todo. Ademais, teve o terceiro contrato mais caro que já foi pago para uma artista feminina. Logo, a cantora conquistou 19 músicas em primeiro lugar na Billboard. Além disso, ela foi uma influência para diversas cantoras da atualidade, como Jennifer Lopez, Beyoncé, Celine Dion e Mariah Carey.

Vozes e hits de sucesso da Black Music: Brasileiros

1 – Cartola

Imagem: Cem por cento samba

Cartona, cujo nome é Agenor de Oliveira, foi o maior sambista da música brasileira. E o samba traz à tona elementos musicais que vieram da África. Ademais, ele participou da fundação da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, a segunda do Rio de Janeiro.

2 – Tim Maia – Rational Culture

Imagem: Uol

Tim Maia compôs uma das poucas músicas em inglês, feitas por brasileiros, que tocavam no baile nos anos 80, a Rational Culture. Ademais, era da época em que o cantor buscava tentar explicar sobre a criação do universo, da vida, e o destino da humanidade.

3 – Jorge Ben – O Telefone Tocou Novamente

Imagem: Central Brasileira de Show

Jorge Ben compôs a música O Telefone Tocou Novamente, faixa do álbum Força Bruta, e foi gravada junto com o trio Mocotó. Ademais, foi lançada em 1970, e tinha a força da música negra mesclada com soul e samba.

4 – Motiro feat Cabal – Senhorita

Imagem: Mega FM

Motiro e Cabal compuseram um hit da Black Music, chamado Senhorita. Logo, foi o primeiro Rap independente a estourar nas rádios comerciais por todo o Brasil. Ademais, foi lançado em 2003, com tiragem em vinil, começou no underground paulistano e estourou por todo o país. Por outro lado, se tornou um divisor de caminhos, onde a geração de adolescentes estava começando a rimar no meio dos anos 2000.

5 – Robson Jorge & Lincoln Olivetti – Aleluia

Imagem: Discogs

A música Aleluia, de Robson Jorge & Lincoln Olivetti, foi um hit das danceterias e da cultura DJ. Ademais, foram responsáveis por introduzir o Boogie Funk no Brasil.

Em suma, a Black Music é um gênero musical que foi e é muito importante não só para a cultura, mas como representação de um povo e seus direitos. E você, qual o seu estilo musical preferido? Se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Madonna – História, fama, músicas e sucesso da rainha do pop.

Fontes: Magazine Luiza, Revista Raça, Cultura Mix, Memória EBC, Redbull

Imagens: Medium, Vai Dançar, Revista Raça, Today Uconn, Obvious, Blog da Michael, Smithsonian, Catraca Livre, Uol, Jornal de Brasília, Britanicca, NPR, Terra, Cem por cento samba, Central Brasileira de Show, Mega FM, Discogs

Próxima página »

Escolhidas para você